A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Grupo 100.6: Subgrupo1 Jaqueline de Araujo Ribeiro (08/32057) Osvaldo Luiz (09/0076249) Raiana Carolina Lopes Barbalho (08/39108) Subgrupo2 Clarissa Dall'ora.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Grupo 100.6: Subgrupo1 Jaqueline de Araujo Ribeiro (08/32057) Osvaldo Luiz (09/0076249) Raiana Carolina Lopes Barbalho (08/39108) Subgrupo2 Clarissa Dall'ora."— Transcrição da apresentação:

1 Grupo 100.6: Subgrupo1 Jaqueline de Araujo Ribeiro (08/32057) Osvaldo Luiz (09/ ) Raiana Carolina Lopes Barbalho (08/39108) Subgrupo2 Clarissa Dall'ora (06/17938) Mauricio Teixeira (05/21710) Rosamaria Gonçalves de Mello (07/38085)

2 Com a velocidade das informações, evento influenciado pela globalização e pelo desenvolvimento da tecnologia, o fluxo contínuo iniciou com o conceito JIT, utilizado por empresas como a Toyota na fabricação de seus estoques e, como explanado utilizado pela Dell, e por fim implantado na HP.

3 O modelo JIT foi inicialmente introduzido pela Toyota na fabricação de seus carros. À medida que foi difundido tornou-se a o enfoque do fluxo de materiais com a previsão de venda como na Dell e, por fim, na HP.

4 O propósito do sistema Just in Time é um sistema inverso puxado pelo cliente num sistema de produção lidado a make to order (sob encomenda) como na Dell e na HP.

5 O propósito make to order (sob encomenda) é utilizado somente na Dell.

6 Entre as funções básicas descritas por Ching da gestão de estoques, a dificuldade da HP se concentra em não ter feito o cálculo do estoque mínimo.

7 Não só o estoque mínimo como o cálculo do estoque máximo e a emissão de compra quando atingir ponto de ressuprimento. Osvaldo Luiz Nogueira 09/

8 1.A partir da leitura do capítulo 3, e dos slides sobre o G20, é possível identificar as crescentes transformações que a economia mundial tem sofrido nos últimos anos, cabendo às instituições adaptarem-se a esta nova realidade, observando sempre os fatores internos e principalmente externos a ela. No caso da HP é bastante clara a idéia de que a empresa cresceu muito, em pouco tempo, e por isso talvez, tenha se esquecido de observar as influências internas a sua organização, mantendo um estoque exorbitante que veio a acarretar prejuízos mais tarde. continua

9 Esse prejuízo deve-se, entre outros fatores, a uma problemática muito discutida nos últimos tempos no âmbito das organizações: a logística. Uma possível solução para o grande problema da HP seria a mudança em seu conceito de logística, integrando não só os processos da empresa afim de obter melhor desempenho, mas também as unidades HP espalhadas pelo mundo, tentando obter um maior controle sobre a organização destas, visto que esse desleixo para com as unidades, e a falta de integração e comunicação entre os próprios gerentes destas causou um problema singular: enquanto alguns lugares não tinham mais espaço para alocar seus estoques, outros lugares estavam sem saber como suprir a demanda de solicitações. Uma nova logística colocaria fim aos problemas de estoque da HP.

10 2. O sucesso obtido pela Dell Computadores pode ser facilmente relacionada com o conceito de Supply Chain, já que ela conseguiu, de maneira singular, integrar o planejamento e o controle do fluxo de mercadorias, informações e recursos, desde os fornecedores até o cliente final, procurando sempre administrar as relações na cadeia logística de forma cooperativa e para beneficio de todos os envolvidos. Além disso, a Dell atende aos principais fatores necessários para ao desempenho do Supply Chain: capacidade de resposta às demandas dos clientes, mesmo com um estoque de alta rotatividade; qualidade de produtos e serviços: a Dell sempre tem o cuidado de não deixar seus produtos obsoletos, inovando sempre na tecnologia, isso é facilmente percebido quando observa-se a alta rotatividade de seus estoques; velocidade,qualidade e timing da inovação nos produtos: além da inovação constante da tecnologia, a Dell saiu na frente com a venda de produtos customizados, observando as necessidades e exigências dos consumidores de perto; efetividade dos custos de produção e entrega e utilização de capital: a Dell optou por não produzir os componentes de seus produtos, mas apenas por montá-los com componentes de outros fornecedores. Isso reduziu custos e otimizou o serviço, colaborando também para o não acúmulo de produtos no estoque, que poderiam ficar obsoletos, dado que a tecnologia modifica-se rapidamente.

11

12 3. Com a crescente era do consumo, onde as pessoas têm consumido cada vez mais e com muito mais exigências, a Dell não ficou atrás. Inovou não só nos produtos, lançando produtos únicos num mercado tão extenso como o da Informática, mas também no seu modo de gestão da cadeia de suprimentos. Comum estoque que dura surpreendentes oito dias em média, o modo de produção da Dell pode ser relacionada com o modelo de produção em que a gestão se baseia no culto da quantidade Jaqueline de Araujo Ribeiro 08/32057

13 Ao longo de nosso estudo sobre estoques vemos a importância de não manter os estoques elevados bem como ter conhecimento sobre a demanda do produto. A Dell utilizando-se do modelo direto de negócios nos mostrou que isso não é somente possível como também ajuda a alcançar novos nichos no mercado. Sendo assim é correto dizer que a HP resolveria seus problemas utilizando este mesmo modelo, já que reduziria seus estoques e aumentaria o giro do mesmo.

14 A HP e a Dell apesar de ambas trabalharem com tecnologia, contem cada uma delas, clientes diferenciados. As duas utilizam modelos de produção, venda e estocagem diferentes, cada um mais apropriado para o seu nicho no mercado. A Dell nesse sentido é mais adaptada. Já a HP resolveria seus parte de seus problemas se alterasse a remessa de seus produtos de marítima para aérea, aumentando assim o tempo de resposta da mesma e fazendo o modelo utilizado se ajustar a atual situação da empresa.

15 Os dois casos e o conteúdo estudado mostram a importância de uma logística integrada, bem como isso afeta as vendas e a disponibilidade do produto, os dois casos ilustram o que acontece se a logística funciona ou não, mostrando como o atual mercado globalizado força as empresas a integrar os diversos setores para manter o bom andamento da empresa. Raiana Carolina Lopes Barbalho 08/39108

16 De acordo com o estudo de caso sobre a cadeia de suprimentos das impressoras Deskjet da Hewett-Packard, o crescimento dos seus estoques acompanhou o crescimentos das vendas, ou seja, que que suas analises de demanda e de necessidade de estoque se basearam no seu histórico de vendas. A HP baseou sua produção nessas informações, desenvolvendo da melhor forma sua logistíca de produção. Garantindo assim seu melhor desempenho no mercado.

17 De acordo com a apresentação sobre o G20, que fala sobre o artigo de LC. Mendonça de Barros na folha de 3 de abril de 2008, que explicita que a globalização e a revolução tecnológica são peças chaves para uma efetivação da produção integrada e para o crescimento das organizações como um todo. E que isso impactua num ambiente externo a organização instável e que gera constantes mudanças. E sendo assim, se essas mudanças não forem bem analisadas, se os riscos e as vantagens não forem levados em conta, e as estratégias bem traçadas a empresa não alcançará da melhor forma seus objetivos.

18 Observando o estudo de caso da Dell Computer Corporation, onde sua gestão da cadeia de suprimentos da grande ênfase no cliente e no valor que este possui na organização. A Dell, utilizando-se de tecnologia, cria uma ponte entre a organização e seu cliente, tentando tirar disso informações importantes, formando com isso seus objetivos de estoque em função do nível de serviço. Criando assim uma forma de buscar informações e diminuir as incertezas sobre a demanda emanada pelo seu público alvo e fortalecendo sua aliança com os clientes. Maurício Teixeira Rodrigues 05/21710

19 1 - A logística é uma atividade que envolve e integra, além da movimentação física dos materiais, a fase de produção, layout de armazéns, transportes, distribuição, seleção de fornecedores definindo assim um conceito de logística integrada que atenda as exigências de um mercado extremamente competitivo. 2 - A logística, para ser um instrumento de competitividade, deve focar na responsabilidade e autonomia, na boa comunicação com os diversos departamentos, derrubar barreiras e minimizar os conflitos internos para atigir seu objetivo principal, satisfazer as necessidades de seus clientes. 3 - Além das condições econômicas e tecnológicas, as alterações nos padrões e demandas dos consumidores provocaram mudanças na logística, levando as empresas a darem destaque também à distribuição dos produtos. A facilitação do fluxo e a redução dos custos dos produtos encorajam e conquistam os clientes, trazendo lucros às empresas. Rosamaria Gonçalves de Mello 07/38085


Carregar ppt "Grupo 100.6: Subgrupo1 Jaqueline de Araujo Ribeiro (08/32057) Osvaldo Luiz (09/0076249) Raiana Carolina Lopes Barbalho (08/39108) Subgrupo2 Clarissa Dall'ora."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google