A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTROLADORIA E AUDITORIA Professor: LEONIDAS LOPES DE CAMARGO GRADUADO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRE EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carga Horária : 102 h/a – 03.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTROLADORIA E AUDITORIA Professor: LEONIDAS LOPES DE CAMARGO GRADUADO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRE EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carga Horária : 102 h/a – 03."— Transcrição da apresentação:

1 CONTROLADORIA E AUDITORIA Professor: LEONIDAS LOPES DE CAMARGO GRADUADO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRE EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carga Horária : 102 h/a – 03 h/Aulas semanais Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

2 CONTROLADORIA E AUDITORIA EMENTA: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO NO PLANO DE ENSINO Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

3 CONTROLADORIA E AUDITORIA OBJETIVO: APRESENTAR E DISCUTIR OS CONCEITOS E FUNDAMENTOS DA CONTROLADORIA QUE CONTRIBUEM COM A ASSESSORIA PRESTADA PARA AS ORGANIZAÇÕES E A OTIMIZAÇÃO DOS RESULTADOS DA GESTÃO DE EMPRESAS PRIVADAS E PÚBLICAS. Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

4 CONTROLADORIA E AUDITORIA OBJETIVO: CAPACITAR O ESTUDANTE A UTILIZAR OS CONCEITOS E FUNDAMENTOS DA CONTROLADORIA, PARA COMPREENDER, A ASSESSORIA PRESTADA NO PROCESSO DE GESTÃO EMPRESARIAL E ENTENDER OS MOTIVOS DAS DECISÕES, OBSERVANDO O DESEMPENHO DAS EMPRESAS A CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO. Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

5 CONTROLADORIA E AUDITORIA BIBLIOGRAFIA: FIGUEIREDO, Sandra. Controladoria-Teoria e Prática. 3ª. Ed. São Paulo. Atlas, MOSSIMANN, Clara Pellegrinell, Controladoria seu papel na administração de empresas.Ed. Atlas 2001 Campiglia, Oswaldo Américo. Controle de Gestão Controle financeiro na empresas. Ed. Atlas Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

6 CONTROLADORIA E AUDITORIA BIBLIOGRAFIA: Junior, Jose Hernandez Perez, Controle de Gestão. Ed. Atlas Brito, Osias. Gestão de Riscos. Ed.Saraiva PADOVEZE, Clovis Luiz, Controladoria estratégica e operacional. Ed.Thompson SLOWSKI, Walmor, Controladoria e governança na gestão pública. Ed. Atlas Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

7 CONTROLADORIA E AUDITORIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Avaliações bimestrais : Provas com peso 70 Trabalhos individuais ou em grupo, em sala ou extra classe, peso 30 METODOLOGIA DE ENSINO As aulas serão expositivas, com a utilização de Multi Mídia Debates com os temas abordados Estudos de casos como exercício de fixação dos temas abordados Trabalhos de pesquisa e de apresentação Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC

8 I – UMA ESTRUTURA PARA O PLANEJAMENTO E CONTROLE Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA O SISTEMA EMPRESA COM O OBJETIVO DE EFICÁCIA O MODELO DE GESTÃO E O PROCESSO DE GESTÃO MISSÃO E ESTRUTURA DA CONTROLADORIA E O PAPEL DO CONTROLLER SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE CONTROLADORIA O SENTIDO DO PLANEJAMENTO E CONTROLE A ESTRUTURA DA CONTABILIDADE DE CUSTOS

9 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC POR LONGOS ANOS, A DISCIPLINA CONTÁBIL FICOU CONHECIDA COMO FORNECEDORA DE DADOS PARA A INCIDÊNCIA DE TRIBUTOS. COM O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE, O AVANÇO DA TECNOLOGIA, A CRESCENTE EXIGÊNCIA DOS CONSUMIDORES, ENTRE OUTROS FATORES, HOUVE UMA MUDANÇA NO PARADIGMA DAS EMPRESAS EXIGINDO DELAS UMA PERMANENTE ADAPTAÇÃO A ESSE NOVO AMBIENTE.

10 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC DIANTE DESSE DESAFIO, AS ORGANIZAÇÕES DEVEM ELABORAR UM ADEQUADO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO QUE ATENDA AS NOVAS NECESSIDADES DOS STAKEHOLDERS (CLIENTES, FORNECEDORES, ACIONISTAS, BANCOS E ÓRGÃOS FISCALIZADORES) PODENDO TRAZER CONTRIBUIÇÕES VALIOSAS PARA QUE AS DECISÕES TOMADAS NO PRESENTE APÓIEM AS CONSEQUÊNCIAS GERADAS NO FUTURO.

11 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A META MAIS PERSEGUIDA PELO SER HUMANO EM SOCIEDADE TEM SIDO A OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS, GERALMENTE ESCASSOS, PARA A MELHORIA DE SUA QUALIDADE DE VIDA. NESSE CONTEXTO, O CONHECIMENTO HUMANO SE ESPERA EM TENTAR PREDIZER O FUTURO PARA REDUZIR AS INCERTEZAS E PARA ISSO, A PRINCIPAL FERRAMENTA É O CONHECIMENTO DO PASSADO.

12 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A CONTABILIDADE NO ATUAL CONTEXTO ECONÔMICO, TEM SE DEDICADO COM ALGUMA REGULARIDADE A OFERECER RESPOSTAS ÀS NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO AOS TOMADORES DE DECISÃO, ABRINDO UM FÉRTIL CAMPO DE ATUAÇÃO, CORRELACIONANDO AS ETAPAS DE CAPTAÇÃO E REGISTRO DE EVENTOS (CONTABILIDADE) COM O DOMÍNIO DE OUTRAS DISCIPLINAS COMO A TEORIA DA DECISÃO PARA A SELEÇÃO RACIONAL DE ALTERNATIVAS,

13 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC COM A TEORIA DA INFORMAÇÃO, COM O AGRUPAMENTO ORDENADO DOS DADOS COLETADOS E COM A TEORIA DA COMUNICAÇÃO PARA A FASE DE RELATO DAS INFORMAÇÕES E RESULTADOS DAS DECISÕES. A PARTIR DESSAS IDÉIAS, FICA CLARO QUE A FUNÇÃO DE CONTROLE TEM COMO PRÉ- CONDIÇÃO A INFORMAÇÃO, PORQUE NÃO SE CONSEGUE CONTROLAR O QUE NÃO SE CONHECE E NÃO SE CONHECE O QUE NÃO SE MEDE.

14 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC DAÍ RESULTA A CLARA VISÃO DO FERRAMENTAL CONTÁBIL COMO APTO A SERVIR DE ESTEIO AO PAINEL DE CONTROLE DOS EVENTOS E METAS NA TAREFA DE SUBSIDIAR E ORIENTAR AS DECISÕES SOB DIVERSOS ASPECTOS DA VIDA EMPRESARIAL COMO ALGUNS ABAIXO CITADOS: O TRADICIONAL DILEMA ENTRE COMPRAR OU FABRICAR : HORIZONTALIZAR OU VERTICALIZAR; AS DECISÕES DE INVESTIR OU DE APLICAR;

15 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A ATUAÇÃO NA CONTENÇÃO OU EXPANSÃO DE GASTOS; A MELHORIA NA RELAÇÃO CONSUMO- PRODUTO; A ADEQUAÇÃO NO USO DOS FATORES; RESUMIDAMENTE, TUDO QUE FREQÜENTA O DIA- A-DIA DAS PREOCUPAÇÕES DOS GESTORES DE RECURSOS (HUMANOS, MATERIAIS OU TECNOLÓGICOS) QUE EXIGE ACOMPANHAMENTO PARA A ATUAL CONFIRMAÇÃO OU CORREÇÃO DE RUMOS.

16 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A CONTROLADORIA, COM APOIO NUM SÓLIDO DOMÍNIO DA CONTABILIDADE, DISPÕE DE INSTRUMENTAL NECESSÁRIO PARA ENSEJAR SUCESSO NESSA AÇÃO. Segundo Mossimann (1993), A CONTROLADORIA PODE SER CONCEITUADA COMO O CONJUNTO DE PRINCÍPIOS, PROCEDIMENTOS E MÉTODOS ORIUNDOS DAS CIÊNCIAS DE ADMINISTRAÇÃO, ECONOMIA, PSICOLOGIA, ESTATÍSTICA E PRINCIPALMENTE DA CONTABILIDADE, QUE SE OCUPAM DA GESTÃO ECONÔMICA DAS EMPRESAS, COM O FIM DE ORIENTÁ- LAS PARA EFICÁCIA.

17 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A CONTROLADORIA SE APÓIA NUM SISTEMA DE INFORMAÇÕES E NUMA VISÃO MULTIDISCIPLINAR, SENDO RESPONSÁVEL PELA MODELAGEM, CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES E MODELOS DE GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES, A FIM DE SUPRIR DE FORMA ADEQUADA AS NECESSIDADES DE INFORMAÇÃO DOS GESTORES CONDUZINDO-OS DURANTE O PROCESSO DE GESTÃO A TOMAREM MELHORES DECISÕES.SISTEMA DE INFORMAÇÕESSISTEMAS DE INFORMAÇÕES E MODELOS DE GESTÃO

18 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC POR ISSO É QUE SE EXIGE DOS PROFISSIONAIS DA CONTROLADORIA UMA FORMAÇÃO SÓLIDA E ABRANGENTE A CERCA DO PROCESSO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL. A METODOLOGIA DA CONTROLADORIA É BASEADA NO PROCESSO DE CONTROLE, ATRAVÉS DE PADRÕES DE QUALIDADE PREVIAMENTE ESTABELECIDOS, FOCADO NO PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO TRAÇADOS PELA ORGANIZAÇÃO.

19 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC PORÉM TODOS OS MEMBROS DA ORGANIZAÇÃO DEVEM ESTAR ENVOLVIDOS, DESDE OS NÍVEIS MAIS ALTOS ATÉ OS OPERACIONAIS. DESTA FORMA, A CONTROLADORIA PRESTA CONTRIBUIÇÕES IMPORTANTES AO PROGRESSO ORGANIZACIONAL, POSSIBILITANDO O EQUILÍBRIO DA ORGANIZAÇÃO DIANTE DAS DIFICULDADES EXISTENTES NO SEU AMBIENTE OPERACIONAL.

20 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC PRIMEIRAMENTE A CONTROLADORIA DEVE DEFINIR OS PADRÕES DE CONTROLE E PROJETAR OS RESULTADOS COM ENFOQUE NOS OBJETIVOS DA ORGANIZAÇÃO, DE MODO QUE NÃO HAJA EXCESSO, DESPERDÍCIO OU ROUBO. DESTA FORMA, O CONTROLLER IRÁ ELABORAR UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS RESULTADOS E OS PADRÕES DE CONTROLE ESTABELECIDOS, OBSEVANDO OS DESVIOS, OU SEJA, A DIFERENÇA ENTRE OS RESULTADOS E OS PADRÕES.

21 CONTROLADORIA COMO CIÊNCIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC APÓS A VERIFICAÇÃO DOS DESVIOS, ELABORA- SE UMA ANÁLISE DA RELEVÂNCIA, A FIM DE APURAR SE OS DESVIOS COMPROMETEM OS OBJETIVOS DA ORGANIZAÇÃO.

22 AUDITORIA - CONCEITO - OBJETIVOS Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC UMA AUDITORIA É UMA REVISÃO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS, SISTEMA FINANCEIRO, REGISTROS, TRANSAÇÕES E OPERAÇÕES DE UMA ENTIDADE OU DE UM PROJETO, EFETUADA POR CONTADORES, COM A FINALIDADE DE ASSEGURAR A FIDELIDADE DOS REGISTROS E PROPORCIONAR CREDIBILIDADE ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS E OUTROS RELATÓRIOS DA ADMINISTRAÇÃO.

23 AUDITORIA - CONCEITO - OBJETIVOS Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A AUDITORIA TAMBÉM IDENTIFICA DEFICIÊNCIAS NO SISTEMA DE CONTROLE INTERNO E NO SISTEMA FINANCEIRO E APRESENTA RECOMENDAÇÕES PARA MELHORÁ- LOS AS AUDITORIAS PODEM DIFERIR SUBSTANCIALMENTE, DEPENDENDO DE SEUS OBJETIVOS, DAS ATIVIDADES PARA OS QUAIS SE UTILIZAM AS AUDITORIAS E DOS RELATÓRIOS QUE SE ESPERA RECEBER DOS AUDITORES.

24 AUDITORIA - CONCEITO - OBJETIVOS Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC EM GERAL, AS AUDITORIAS PODEM SER CLASSIFICADAS EM TRÊS GRUPOS: AUDITORIA FINANCEIRA; AUDITORIA DE CUMPRIMENTO E AUDITORIA OPERACIONAL. AUDITORIA FINANCEIRA NO CASO DA AUDITORIA FINANCEIRA, HÁ INTERESSE NA AUDITORIA DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DA ENTIDADE COMO UM TODO.

25 AUDITORIA - CONCEITO - OBJETIVOS Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC O OBJETIVO GERAL DE UMA AUDITORIA DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS É FAZER COM QUE O AUDITOR EXPRESSE UMA OPINIÃO SOBRE SE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ESTÃO RAZOAVELMENTE APRESENTADAS DE ACORDO COM OS PRINCÍPIOS DE CONTABILIDADE GERALMENTE ACEITOS.

26 AUDITORIA - CONCEITO - OBJETIVOS Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC AUDITORIA DE CUMPRIMENTO E OPERACIONAL A AUDITORIA DE CUMPRIMENTO E A AUDITORIA OPERACIONAL TÊM OBJETIVOS ESPECÍFICOS E PODEM OU NÃO ESTAR RELACIONADAS À CONTABILIDADE DE UMA ENTIDADE. NORMALMENTE, A CONTABILIDADE É BASE DESTES EXAMES. DAÍ SUA IMPORTÂNCIA PARA DIFERENTES USUÁRIOS E OBJETIVOS.

27 AUDITORIA - CONCEITO - OBJETIVOS Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A AUDITORIA DE CUMPRIMENTO ENGLOBA A REVISÃO, COMPROVAÇÃO E AVALIAÇÃO DOS CONTROLES E PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DE UMA ENTIDADE. A AUDITORIA OPERACIONAL É UM EXAME MAIS AMPLO DA ADMINISTRAÇÃO, RECURSOS TÉCNICOS E DESEMPENHO DE UMA ORGANIZAÇÃO. O PROPÓSITO DESTA AUDITORIA É MEDIR O GRAU EM QUE AS ATIVIDADES DA ENTIDADE ESTÃO ALCANÇANDO SEUS OBJETIVOS.

28 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC A IMPORTÂNCIA DO PAPEL DO CONTADOR GERENCIAL ESTÁ EM SUA CONTRIBUIÇÃO PARA A ADMINISTRAÇÃO GERAL DAS OPERAÇÕES DA COMPANHIA E NÃO PURAMENTE FOCADO NOS REGISTROS CONTÁBEIS. DESTA FORMA, UMA APRECIAÇÃO DA CONTABILIDADE GERENCIAL É FEITA ATRAVÉS DA ABORDAGEM SISTÊMICA NO CONTEXTO DA ORGANIZAÇÃO COMO UM TODO.

29 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC O NOVO CONTEXTO ECONÔMICO GLOBALIZADOR IMPACTA NO CONTEXTO INTERNO DAS RELAÇÕES CONTRATUAIS DAS ORGANIZAÇÕES CRIANDO UMA DEMANDA POR MELHORES PRÁTICAS DE GESTÃO, POIS AS MESMAS SERÃO COBRADAS EM SEU PAPEL SOCIAL EM RELAÇÃO AO SEU DESEMPENHO, E A OTIMIZAÇÃO DO USO DOS RECURSOS DISPONÍVEIS É PREOCUPAÇÃO PRIMEIRA DOS GESTORES. O Objetivo do negócio privado é a obtenção do maior lucro possível alinhado com o crescimento de longo prazo da empresa e com os padrões éticos da sociedade. Além desse objetivo principal, existem os objetivos colaterais ou sociais, como exemplo: oferecer emprego e boas condições de trabalho, atender as aspirações por melhores salários, crescimento e reconhecimento profissional, pagar impostos para os programas sociais. Todos os objetivos colaterais só serão alcançados se o objetivo principal for atingido: Lucro EMPRESA: É uma unidade produtora que visa criar riquezas, transacionando em dois mercados, um fornecedor e outro consumidor. VISÃO SISTÊMICA DA EMPRESA: Empresa é um conjunto organizado de recursos econômicos, sociais e humanos e tecnológicos vista como um SISTEMA aberto, que visa o bem-estar da sociedade. Entende-se por SISTEMA, uma unidade identificada com um papel independente, possuindo seus próprios objetivos e suas próprias funções internas. Um sistema aberto (empresa), por interagir com o meio ambiente, é afetado por fatores externos. Considerando a idéia de que nos sistemas são introduzidos INPUTS que, processados, se transformam em OUTPUTS, a empresa vale-se de recursos materiais, humanos e tecnológicos, cujo processamento resulta em bens e serviços, riquezas, emprego e muitos outros, que são fornecidos à sociedade. Cumprindo esse papel, a empresa desenvolve grande número de atividades de compra, produção, venda etc. que, direta ou indiretamente, contribuem para que o seu OBJETIVO final seja alcançado. Levando em conta a sua característica de SISTEMA ABERTO, admite-se sua contínua interação com o meio ambiente, sendo impactada tanto pelas variáveis ambientais quanto pelas interações de seus elementos, o que a faz participar de um constante processo de MUDANÇA. SOCIALISTA OU CAPITALISTA ? MISSÃO DA EMPRESA Missão significa Finalidade, objetivo ou propósito básico e permanente da existência da empresa. Está sempre ligada ao oferecimento de produtos e serviços para a satisfação das necessidades do consumidor. MISSÃO DA CONTROLADORIA A missão da controladoria é zelar pela continuidade da empresa, assegurando a otimização do resultado global

30 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC O OBJETIVO DO NEGÓCIO PRIVADO É A OBTENÇÃO DO MAIOR LUCRO POSSÍVEL ALINHADO COM O CRESCIMENTO DE LONGO PRAZO DA EMPRESA E COM OS PADRÕES ÉTICOS DA SOCIEDADE. ALÉM DESSE OBJETIVO PRINCIPAL, EXISTEM OS OBJETIVOS COLATERAIS OU SOCIAIS: OFERECER EMPREGO E BOAS CONDIÇÕES DE TRABALHO, ATENDER AS ASPIRAÇÕES POR MELHORES SALÁRIOS,

31 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC CRESCIMENTO E RECONHECIMENTO PROFISSIONAL, PAGAR IMPOSTOS PARA OS PROGRAMAS SOCIAIS. TODOS OS OBJETIVOS COLATERAIS SÓ SERÃO ALCANÇADOS SE O OBJETIVO PRINCIPAL FOR ATINGIDO: LUCRO EMPRESA: É UMA UNIDADE PRODUTORA QUE VISA CRIAR RIQUEZAS, TRANSACIONANDO EM DOIS MERCADOS, UM FORNECEDOR E OUTRO CONSUMIDOR.

32 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC VISÃO SISTÊMICA DA EMPRESA: EMPRESA É UM CONJUNTO ORGANIZADO DE RECURSOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E HUMANOS E TECNOLÓGICOS VISTA COMO UM SISTEMA ABERTO, QUE VISA O BEM-ESTAR DA SOCIEDADE. ENTENDE-SE POR SISTEMA, UMA UNIDADE IDENTIFICADA COM UM PAPEL INDEPENDENTE, POSSUINDO SEUS PRÓPRIOS OBJETIVOS E SUAS PRÓPRIAS FUNÇÕES INTERNAS.

33 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC UM SISTEMA ABERTO (EMPRESA), POR INTERAGIR COM O MEIO AMBIENTE, É AFETADO POR FATORES EXTERNOS. CONSIDERANDO A IDÉIA DE QUE NOS SISTEMAS SÃO INTRODUZIDOS INPUTS QUE, PROCESSADOS, SE TRANSFORMAM EM OUTPUTS, A EMPRESA VALE-SE DE RECURSOS MATERIAIS, HUMANOS E TECNOLÓGICOS, CUJO PROCESSAMENTO RESULTA EM BENS E SERVIÇOS, RIQUEZAS, EMPREGO E MUITOS OUTROS, QUE SÃO FORNECIDOS À SOCIEDADE.

34 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC CUMPRINDO ESSE PAPEL, A EMPRESA DESENVOLVE GRANDE NÚMERO DE ATIVIDADES DE COMPRA, PRODUÇÃO, VENDA ETC. QUE, DIRETA OU INDIRETAMENTE, CONTRIBUEM PARA QUE O SEU OBJETIVO FINAL SEJA ALCANÇADO. LEVANDO EM CONTA A SUA CARACTERÍSTICA DE SISTEMA ABERTO, ADMITE-SE SUA CONTÍNUA INTERAÇÃO COM O MEIO AMBIENTE, SENDO IMPACTADA TANTO PELAS VARIÁVEIS AMBIENTAIS QUANTO PELAS INTERAÇÕES DE SEUS ELEMENTOS, O QUE A FAZ PARTICIPAR DE UM CONSTANTE PROCESSO DE MUDANÇA.

35 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC SOCIALISTA OU CAPITALISTA ? MISSÃO DA EMPRESA MISSÃO SIGNIFICA FINALIDADE, OBJETIVO OU PROPÓSITO BÁSICO E PERMANENTE DA EXISTÊNCIA DA EMPRESA. ESTÁ SEMPRE LIGADA AO OFERECIMENTO DE PRODUTOS E SERVIÇOS PARA A SATISFAÇÃO DAS NECESSIDADES DO CONSUMIDOR.

36 CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL - CONTROLADORIA Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC MISSÃO DA CONTROLADORIA A MISSÃO DA CONTROLADORIA É ZELAR PELA CONTINUIDADE DA EMPRESA, ASSEGURANDO A OTIMIZAÇÃO DO RESULTADO GLOBAL

37 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC O ÓRGÃO ADMINISTRATIVO CONTROLADORIA TEM POR FINALIDADE GARANTIR INFORMAÇÕES ADEQUADAS AO PROCESSO DECISÓRIO, COLABORANDO COM OS GERENTES NA BUSCA DA EFICÁCIA GERENCIAL. EMBORA O ÓRGÃO CONTROLADORIA E A POSIÇÃO DO EXECUTIVO (CONTROLLER) POSSA VARIAR DE UMA EMPRESA PARA A OUTRA, EXISTE UM CONCEITO QUE É COMUMENTE OBSERVADO QUANTO AO EXECUTIVO É QUE O MESMO TENHA UM PROFUNDO CONHECIMENTO CONTÁBIL SOMADO A UM GRANDE CONHECIMENTO GERENCIAL DA EMPRESA COMO UM TODO.

38 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC COM BASE EM REVISÃO DE LITERATURA E DA PRÁTICA EMPRESARIAL, AO LONGO DOS ANOS, TEM INDICADO QUE AS RESPONSABILIDADES E AS ATIVIDADES BÁSICAS DA CONTROLADORIA PODEM SER CARACTERIZADAS DA SEGUINTE FORMA: PLANEJAMENTO: ESTABELECER E MANTER UM PLANO INTEGRADO PARA AS OPERAÇÕES CONSISTENTES COM OS OBJETIVOS E AS METAS DA COMPANHIA, A CURTO E A LONGO PRAZO, QUE DEVE SER ANALISADO E REVISADO CONSTANTEMENTE, COMUNICANDO AOS VÁRIOS NÍVEIS DE GERÊNCIA POR MEIO DE UM APROPRIADO SISTEMA DE COMUNICAÇÃO;

39 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC CONTROLE: DESENVOLVER E REVISAR CONSTANTEMENTE OS PADRÕES DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA QUE SIRVAM COMO GUIAS DE ORIENTAÇÃO AOS OUTROS GESTORES NO DESEMPENHO DE SUAS FUNÇÕES, ASSEGURANDO QUE O RESULTADO REAL DAS ATIVIDADES ESTEJA EM CONFORMIDADE COM OS PADRÕES ESTABELECIDOS;

40 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC INFORMAÇÃO: PREPARAR, ANALISAR E INTERPRETAR OS RESULTADOS FINANCEIROS PARA SEREM UTILIZADOS PELOS GESTORES NO PROCESSO DE TOMADA DE DECISÃO, AVALIAR OS DADOS, TENDO COMO REFERÊNCIA OS OBJETIVOS DAS UNIDADES DA COMPANHIA; PREPARAR AS INFORMAÇÕES PARA USO EXTERNO PARA QUE ATENDAM ÀS EXIGÊNCIAS DO GOVERNO, AOS INTERESSES DOS ACIONISTAS, DAS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS, DOS CLIENTES E DO PÚBLICO EM GERAL.

41 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC CONTABILIDADE: DELINEAR, ESTABELECER E MANTER O SISTEMA DE CONTABILIDADE GERAL E DE CUSTOS EM TODOS OS NÍVEIS DA EMPRESA, INCLUSIVE EM TODAS AS DIVISÕES, MANTENDO REGISTROS DE TODAS AS TRANSAÇÕES FINANCEIRAS NOS LIVROS CONTÁBEIS DE ACORDO COM OS PRINCÍPIOS DE CONTABILIDADE E COM FINALIDADE DE CONTROLE INTERNO. PREPARAR AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EXTERNAS DE ACORDO COM AS EXIGÊNCIAS DO GOVERNO.

42 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC Outras funções: ADMINISTRAR E SUPERVISIONAR CADA UMA DAS ATIVIDADES QUE IMPACTAM O DESEMPENHO EMPRESARIAL, COMO IMPOSTOS FEDERAIS, ESTADUAIS E MUNICIPAIS, ENVOLVENDO-SE ATÉ MESMO COM NEGOCIAÇÕES COM AUTORIDADES FISCAIS, QUANDO NECESSÁRIO. MANTER RELACIONAMENTO ADEQUADO COM AUDITORES INTERNOS E INTERNOS;

43 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC ESTABELECER PLANOS DE SEGURO; DESENVOLVER E MANTER SISTEMAS E PROCEDIMENTOS DE SUPERVISIONAR A TESOURARIA, INSTITUIR PROGRAMAS DE FINANCIAMENTOS; E MUITAS OUTRAS. OBVIAMENTE, AS CIRCUNSTÂNCIAS VARIAM A CADA EMPRESA, ENTRETANTO, A INFORMAÇÃO AO LADO DOS RECURSOS (CAPITAL) HUMANO PODE SER VISTA COMO FATOR DIFERENCIAL NO RESULTADO DA EMPRESA,

44 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC O CONTROLLER TEM COMO BASE DIRECIONADORA DE SUAS FUNÇÕES A BUSCA DA EFICÁCIA ORGANIZACIONAL. SEGUNDO MENDES (1991), O CONTROLLER PODE SER VISTO AO MESMO TEMPO COMO PROTAGONISTA E COADJUVANTE DE UMA MUDANÇA COMPORTAMENTAL IMPORTANTE SEM PRECEDENTES NA HISTÓRIA DA CONTABILIDADE E DA ADMINISTRAÇÃO.

45 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC ENTRE OS REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA O DESEMPENHO DA FUNÇÃO DA CONTROLADORIA, PODEM-SE ELENCAR: UM BOM CONHECIMENTO DO RAMO DE ATIVIDADE AO QUAL A EMPRESA FAZ PARTE, ASSIM COMO DOS PROBLEMAS E DAS VANTAGENS QUE AFETAM O SETOR; UM CONHECIMENTO DA HISTÓRIA DA EMPRESA E UMA IDENTIFICAÇÃO COM SEUS OBJETIVOS, SUAS METAS E SUAS POLÍTICAS, ASSIM COMO COM SEUS PROBLEMAS BÁSICOS E SUAS POSSIBILIDADES ESTRATÉGICAS;

46 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC HABILIDADE PARA ANALISAR DADOS CONTÁBEIS E ESTATÍSTICOS QUE SÃO A BASE DIRECIONADORA DE SUA AÇÃO E CONHECIMENTO DE INFORMÁTICA SUFICIENTE PARA PROPOR MODELOS DE AGLUTINAÇÃO E SIMULAÇÃO DAS DIVERSAS COMBINAÇÕES DE DADOS; HABILIDADE DE BEM EXPRESSAR-SE ORALMENTE E POR ESCRITO E PROFUNDO CONHECIMENTO DOS PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E DAS IMPLICAÇÕES FISCAIS QUE AFETAM O RESULTADO EMPRESARIAL.

47 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC Heckert e Wilson (1963) ESTABELECEM ALGUNS PRINCÍPIOS QUE DEVEM NORTEAR O TRABALHO DO CONTROLLER: INICIATIVA, VISÃO ECONÔMICA, COMUNICAÇÃO RACIONAL, SÍNTESE, VISÃO VOLTADA PARA O FUTURO, OPORTUNIDADE, PERSISTÊNCIA, COOPERAÇÃO, IMPARCIALIDADE, PERSUASÃO, CONSCIÊNCIA DE SUAS PRÓPRIAS LIMITAÇÕES.

48 CONTROLADORIA: UM ORGÃO DE GESTÃO EMPRESARIAL Por Adm.LEONIDAS LOPES DE CAMARGO – MsC Heckert e Wilson (1963) ESTABELECEM ALGUNS PRINCÍPIOS QUE DEVEM NORTEAR O TRABALHO DO CONTROLLER: INICIATIVA, VISÃO ECONÔMICA, COMUNICAÇÃO RACIONAL, SÍNTESE, VISÃO VOLTADA PARA O FUTURO, OPORTUNIDADE, PERSISTÊNCIA, COOPERAÇÃO, IMPARCIALIDADE, PERSUASÃO, CONSCIÊNCIA DE SUAS PRÓPRIAS LIMITAÇÕES.


Carregar ppt "CONTROLADORIA E AUDITORIA Professor: LEONIDAS LOPES DE CAMARGO GRADUADO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRE EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Carga Horária : 102 h/a – 03."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google