A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MÓDULO GESTÃO DO CONHECIMENTO Carga horária : 4 horas Fornecer, aos participantes, uma visão geral e a conceituação elementar sobre gestão do conhecimento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MÓDULO GESTÃO DO CONHECIMENTO Carga horária : 4 horas Fornecer, aos participantes, uma visão geral e a conceituação elementar sobre gestão do conhecimento."— Transcrição da apresentação:

1 MÓDULO GESTÃO DO CONHECIMENTO Carga horária : 4 horas Fornecer, aos participantes, uma visão geral e a conceituação elementar sobre gestão do conhecimento. Myrza Vasques Chiavegatto

2 GESTÃO DO CONHECIMENTO PLANO DE AULA 1) Conceitos e tipos 2) Lógica de conversão do conhecimento 3) Capital intelectual 4) Noção de ferramentas aplicadas 5) Inteligência coletiva 6) Dinâmica de grupo 7) Novo perfil gerencial

3 CONCEITOS E TIPOS Gestão do Conhecimento: Enfoque: capitalizar o conhecimento organizacional SVEIVY,1998: Arte de gerar valor a partir de bens intangíveis da organização MURRAY (1996) Estratégia que transforma bens intelectuais da organização - informações registradas e o talento dos seus membros - em maior produtividade, novos valores e aumento de competitividade Gestão do Conhecimento

4 CONCEITOS E TIPOS Gestão do Conhecimento: Gartner Group, 1998 processo que envolve gerar, coletar, assimilar e aproveitar o conhecimento, de modo a gerar uma empresa mais inteligente e competitiva. MALHOTRA,1998: Elementos básicos para o processos de gestão do conhecimento: - informação, - processamento da informação, - comunicação, e - ser humano. Gestão do Conhecimento

5 CONCEITOS E TIPOS Principais Funções: –Identificar de forma adequada os conhecimentos relevantes para o bom funcionamento do negócio; –Evitar que conhecimentos estranhos, não desejados sejam introduzidos no desempenho das funções de negócio. Ou seja: Identificação dos conhecimentos utilizáveis (importantes) e dos não- utilizáveis (descartáveis). Gestão do Conhecimento

6 CONCEITOS E TIPOS Atividades comuns entre várias empresas: –Criação de equipes de conhecimento; –Compartilhamento de melhores práticas via utilização de bases de dados, interação e eventos; –Desenvolvimento de bases de dados e de conhecimento via registro das melhores práticas e de diretórios de especialistas; –Utilização de tecnologias colaborativas como intranets e groupwares Ou seja: Trabalho em equipe, compartilhamento e colaboração. Gestão do Conhecimento

7 CONCEITOS E TIPOS Conhecimento é um componente importante das organizações e tem trazido uma nova percepção, uma nova consciência de que o conhecimento organizacional é algo ligado às pessoas, regras e fórmulas que entram de diferentes formas e dinamicamente se transformam em outras. (DRUCKER, 1994; TOFFLER, 1994; NONAKA & TAKEUCHI, 1997; SVEIBY, 1998). Gestão do Conhecimento

8 CONCEITOS E TIPOS Peter Drucker: Um dos desafios mais importantes impostos às organizações da sociedade do conhecimento é desenvolver práticas sistemáticas para administrar a autotransformação. A organização tem aprender a criar o novo através de: 1 ) melhoria contínua de todas as atividades; 2) desenvolvimento de novas aplicações a partir de seus próprios sucessos; e 3) inovação contínua como um processo organizado. Gestão do Conhecimento

9 CONCEITOS E TIPOS NONAKA e TAKEUCHI Explícito: conhecimento formal contido nos manuais e nas normas de praxe das organizações. Pode facilmente ser processado por um computador, transmitido eletronicamente ou armazenado em banco de dados; Tácito : se obtém pela experiência, que sendo de natureza subjetiva e intuitiva dificulta o processamento e a transmissão. Conhecimento acumulado externamente, se amplamente compartilhado dentro da organização, forma uma base de conhecimento organizacional que abastece a inovação, o aperfeiçoamento e melhorias contínuas. Gestão do Conhecimento

10 LÓGICA DE CONVERSÃO Gestão do Conhecimento

11 LÓGICA DE CONVERSÃO As organizações criam e exploram conhecimento para desenvolver novas habilidades e inovações através de três atividades que se sobrepõem: 1) geração e compartilhamento do conhecimento implícito; 2) teste e prototipação do conhecimento explícito; e 3) relacionamento e obtenção de conhecimento externo. O conhecimento tácito pode ser expandido através da socialização e comunicação de interesses e de práticas, e o novo conhecimento tácito pode ser gerado através de internalização do conhecimento explícito por intermédio do aprendizado e treinamento. Novo conhecimento explícito pode ser gerado pela externalização do conhecimento tácito, como acontece, quando novas e melhores práticas são selecionadas entre a prática de trabalho informal de uma informação.

12 Gestão do Conhecimento CAPITAL INTELECTUAL As empresas bem-sucedidas estão se transformando em organizações educadoras e em organizações do conhecimento, onde a aprendizagem organizacional é incrementada e desenvolvida através de processos inteligentes de gestão do conhecimento. Para Sveiby, o capital intelectual é composto dos seguintes ativos intangíveis: 1. Uma nova visão do homem, do trabalho e da empresa. 2. Estrutura plana, horizontalizada, enxuta, de poucos níveis hierárquicos. 3. Organização voltada para processos e não por funções especializadas e isoladas. 4. Necessidade de atender ao usuário - interno e externo - e, se possível, encantá-lo. 5. Sintonia com o ritmo e natureza das mudanças ambientais. 6. Visão voltada para o futuro e para o destino da empresa e das pessoas. 7. Necessidade de criar valor e de agregar valor as pessoas, a empresa e ao cliente. 8. Criação de condições para uma administração participativa e baseada em equipes. 9. Agilidade, flexibilidade, dinamismo e proação. 10. Compromisso com a qualidade e com a excelência de serviços. 11. Busca da inovação e da criatividade

13 Gestão do Conhecimento CAPITAL INTELECTUAL Capital Intelectual é o conhecimento em forma de capital corporativo. Principal pólos => Capital humano (propriedade do trabalhador qualificado) que se torna, em virtude da organização do processo produtivo, um bem tangível da empresa (propriedade de alguém ou de alguns). O trabalho complexo gera mais valor que o trabalho simples, em termos individuais, por lidar com um maior volume de informações e transformá-lo em conhecimento. Esse conhecimento torna-se um ativo, que é gerenciado com o objetivo de produzir mais lucro, expandir o capital. O que torna o capital intelectual um todo inteligente é a existência de uma estrutura organizacional que produz um fluxo de conhecimento modulável e padronizável, que permite o compartilhamento e a transmissão de conhecimento corporativo. Capital Intelectual = Capital Humano + Capital Estrutural

14 Gestão do Conhecimento CAPITAL INTELECTUAL

15 Gestão do Conhecimento DINÂMICA DO CAPITAL INTELECTUAL

16 CAPITAL INTELECTUAL NA GESTÃO PÚBLICA Planejamento Sofrerá uma requalificação e ampliação, devendo estar presente em todos os níveis e setores, em vez de ficar restrito a um nível único e central. Dado o acervo e a produção incessante de conhecimento e as características específicas do aparelho do estado, o planejamento será o conteúdo principal do capital de inovação (novos planos), além de fornecer insumos básicos para alteração ou incorporação de novos processos (novos programas) ou aumentar e aperfeiçoar o capital do cliente (novos conhecimentos sobre a sociedade). O planejamento estratégico será renovado e abastecido com maior quantidade de informações tornam-se um processo cumulativo de conhecimento e não de apenas de compreensão. Gestão do Conhecimento ==> elemento central do capital de inovação no contexto do setor público

17 FERRAMENTAS Entre as principais formas de projetos de GC estão: –Re-uso de conhecimento estruturado relevante –Captura e sessões de compartilhamento de lições aprendidas –Identificação de fontes e redes de experts –estruturação e mapeamento do conhecimento para aumentar a performance –Medição e gerenciamento do valor econômico do conhecimento –Embutimento de conhecimento em produtos e processos –Proteção e segurança de informações e do conhecimento organizacional –Sistemas de Inteligência Competitiva para sistematização e compartilhamento do conhecimento de fontes externas Gestão do Conhecimento

18 FERRAMENTAS Conhecimento ou gestão de meios ????? Não existe gestão do conhecimento. No mínimo, ele é co-gerido / auto-gestão. O que se pode é gerir os canais de conhecimento. Gestão do Conhecimento

19 INTELIGÊNCIA COLETIVA Capacidade de acumulação de memórias/conhecimento. Memória, identidade, percepção, ação, razões, comunicação. Esquema conceitual / Referencial operativo/ Padrões que se usa para lidar com o mundo. Mudanças dos padrões ocorre pelo ensino do trabalho em grupo, em rede. Compartilhar informações e conhecimentos. Compartilhamento da memória, da percepção, da imaginação - Intercâmbio de conhecimento. Dois sentidos de conhecimento: 1) Conhecimento já conhecido para contribuir e influenciar para mudar, evoluir. 2) Conhecido – com quem se estabelece as relações. Saber onde procurar o conhecimento: redes de pessoas e redes de informação. Gestão do Conhecimento

20 INTELIGÊNCIA COLETIVA Como fazer as pessoas relacionarem entre si? +Necessário haver interesse comum, elementos comuns. +O interesse é o objeto de intermediação entre os seres. Possibilitar que os interesses ao serem manifestados sejam coletivizados. Economia afetiva - Ter reconhecimento. Descoberta dos talentos. Se reconhecer como pertencente ao território. Se inserir. Gestão do Conhecimento

21 INTELIGÊNCIA COLETIVA Dimensões - Tríades de Capitais : Capital Social / Capital Cultural / Capital Tecnológico Capital significa circular. Traz a cooperação, não necessariamente acaba com a competição. Ações cooperativas e colaborativas na sociedade como elemento fundamental. Traz a cooperação, não necessariamente acaba com a competição. Cooperação competitiva e competição cooperativa na produção de saberes ou a cultura das idéias. Arte de multiplicar as inteligências umas com as outras: jogo de ganhadores são aqueles que valorizam a melhor inteligência disponível e cooperam de modo mais eficaz com os outros. Unidade e diversidade viva da nooesfera: o mundo das idéias humanas interconectado no ciberespaço. Gestão do Conhecimento

22 INTELIGÊNCIA COLETIVA Dimensões - Tríades de Capitais : Capital Social (seres) Significa interconexão entre as pessoas. A forma, modo, intensidade, freqüência com que se relacionam. Se deseja-se pensar a circulação de idéias é necessário ter a percepção de como elas se relacionam. Como se mede? Conjunto de indicadores para detectar o grau de membership, grau de confiança e volume de ações coletivas (Banco Mundial da Dinamarca) Detectado o levantamento o nível de envolvimento que os indivíduos têm com associações, igrejas, comunidades – Grau de engajamento coletivo O nível do Capital Social aponta para o grau de confiança da sociedade: Quanto menor o grau de CS menor é o relacionamento e maior é o grau de corrupção. Gestão do Conhecimento

23 INTELIGÊNCIA COLETIVA Dimensões - Tríades de Capitais : Capital Cultural (idéias) Todo documento registrado, memória. Maneira como dispõe e flui a informação Otimização da circulação das idéias. Estratégias para que documentos e idéias circulem entre as pessoas. Idéia de um ecossistema mais amplo pode ajudar a fluir/circular idéias específicas de uma organização. Como a memória está organizada? Gestão do Conhecimento

24 INTELIGÊNCIA COLETIVA Dimensões - Tríades de Capitais : Capital Tecnológico (coisas) Indicadores do Orbicom (organização canadense que trabalha a inclusão digital) : Envolve todo tipo de TI (interconexão, acesso, freqüência). Idéias circulam através dos meios de comunicação. Otimizar / disponibilizar. Qual o potencial real de comunicação entre as pessoas? Associam-se com a noção de ecossistema. Meio onde elas circulam, que idéias se associam, que idéias se mudam. De que maneira a difusão de idéias se propagam. 4ª Dimensão – Intelectual Gestão do Conhecimento

25 INTELIGÊNCIA COLETIVA Em termos de informática pública: 1ª onda - Modernização tecnológica, sistemas de informação, etc. 2ª onda - Onda Comunicacional. Governo como provedor de serviços e a interação com as pessoas e as organizações. 3ª onda - Onda Social – não apenas prover serviços, mas relacionar com pessoas. Inclusão digital - Provimento de acesso público à Internet. Comunidades virtuais, Fóruns de discussão Fortalecer as sociedades para que elas possam potencializar suas riquezas. Importância das pessoas se localizarem numa rede (mapa/cartograma). Gestão do Conhecimento

26 INTELIGÊNCIA COLETIVA Barreiras à proliferação do conhecimento: + A maior não é a retenção de conhecimento, mas: 1) pessoas não sabiam que existiam outras pessoas que sabiam sobre o que queria saber. 2) Falta tempo, recursos financeiros para o desenvolvimento. 3) Falta enlaces sociais para escuta mútua. 4) Falta visão sobre a importância do que elas sabem. Gestão do Conhecimento

27 INTELIGÊNCIA COLETIVA Inteligência coletiva é o elemento comum da dimensão do desenvolvimento humano. Como? –Observando; –Entendendo as forças, fraquezas e o desequilíbrio; –Usar as forças para consertar as fraquezas e aumentar o equilíbrio = Política de Inteligência Coletiva Computador : inovação Internet : comunicação Web : linguagem comum Gestão do Conhecimento

28 INTELIGÊNCIA COLETIVA Dinâmica de Grupo Leitura e Discussão do Texto: Fuja do Labirinto Autor: Sérgio Peixoto Mendes Fonte: TEMA - Revista do SERPRO, nº nov/dez Gestão do Conhecimento

29 NOVO PERFIL GERENCIAL Pressupostos básicos : –As organizações precisam de estratégias. –Gestores públicos têm o dever de formular estratégias. –Valor público no setor público corresponde a lucro no setor privado. Valor público incorpora : –Vetor Política Pública: julgamento sobre o que seria valioso e efetivo (propósito e significado para a sociedade). –Vetor Política: diagnóstico das expectativas políticas (dividendos e custos políticos, script, visibilidade). –Vetor Infra-estrutura de capacidade: viabilidade técnico operacional (meios, recursos, sustentabilidade). Gestão do Conhecimento

30 NOVO PERFIL GERENCIAL O trabalho gerencial consiste em criar e agregar valor público, ou em termos de interesse público. O gestor é um estrategista e empreendedor que busca definir uma estratégia para a organização. Esta busca se dá através: –da definição dos objetivos, –formulação de políticas, –design/modelagem de estruturas adequadas, –definição do escopo e foco das ações, –mobilização de recursos. Gestão do Conhecimento

31 NOVO PERFIL GERENCIAL Os gestores deveriam : –operar com base em estratégias organizacionais para criar valor público, –atuar como exploradores que buscam detectar e descobrir valores públicos, –manter um compromisso e uma perspectiva institucional de longo prazo, –operar no contexto de gestão política no sentido de compatibilizar o suporte político, substância da política pública e infra-estrutura de capacidades. Gestão do Conhecimento

32 NOVO PERFIL GERENCIAL Considerações : –O processo político é determinado por onde se encontram os valores públicos – senso de propósito. –A formulação de uma missão é muito importante para o desenvolvimento endógeno de uma organização. –A clarificação de uma linha de produção, que incorpore a possibilidade de inovações pragmáticas - compreensíveis, negociadas, dinamizadas de planos de atuação - é fundamental. –É essencial ajustar estruturas e sistemas administrativos aos requisitos das tarefas, linha de produção e ambiente político. –Os planos de ação devem ser formulados e articulados em nível do microcosmo e da organização como um todo. Gestão do Conhecimento

33 NOVO PERFIL GERENCIAL Ambiente em que vivemos: –complexidade, –incerteza, –mudanças aceleradas, –aldeia global : tudo se inter-relaciona, –necessidade de novas funções do Estado (não-paternalista) - poder mais forte para regular, coordenar e cumprir funções estratégicas. Questionamentos: –sobre o modo tradicional de se pensar os problemas - mudança de paradigma. Qualidade da mão-de-obra: – um dos fatores que mais pesa na definição de padrões de competitividade é a alta especificidade técnica. Gestão do Conhecimento

34 NOVO PERFIL GERENCIAL Desafios para a gerência pública: –lidar com a complexidade e a incerteza, –qualquer mudança tecnológica pode ter importantes impactos sobre os níveis econômico e organizacional, –novo padrão de tempo:o futuro é hoje e as fronteiras são confusas Função do gerente: Fornecer, á sua organização, uma visão do que está ocorrendo no ambiente e, nessa medida, consideradas as tendências dominantes, fazer sugestões sobre como a organização deve orientar-se O gerente legitima determinadas interpretações da realidade. Se ele equivoca-se, toda a organização é induzida ao erro. (Kilksberg,1995) Gestão do Conhecimento

35 NOVO PERFIL GERENCIAL Perfil do Gestor Público requer: –compreensão do contexto político e constitucional da gestão governamental, –operar dentro de metas fixadas por lei, de estruturas organizacionais controladas pelo sistema judiciário e sob constante pressão política, –reconhecimento das especificidades das organizações públicas Instrumentos: Planejamento é um instrumento de alcance limitado quando dissociado da ação. Necessário termos a planificação e a ação juntas, com retroalimentação. Obs: Os instrumentos utilizados no setor privado são com freqüência as restrições nas quais o gestor público dever trabalhar. Gestão do Conhecimento

36 NOVO PERFIL GERENCIAL Aspectos de renovação da Gerência Pública: (Kilksberg,1995) –gerentes devem conversar com maior freqüência, com todos os setores da organização. Através da conversa: obtêm-se dados e análises frescas estabelece-se redes de contatos e processos de negociação que apoia na implementação de decisões dedica-se às questões do momento –identificar problemas realmente críticos, sem se deixar levar pela massa de informação que tem acesso; –ser capaz de tomar decisões rápidas –maximizar a flexibilidade da organização para agir e responder : favorecer e facilitar contatos horizontais, –agir de modo amigável, operando pela negociação e inter-relacionando-se sem imposição autocrática; –buscar feedbacks. –Lidar com o ambiente externo Gestão do Conhecimento

37 NOVO PERFIL GERENCIAL Segundo Willis Harman Conceito Tradicional de Gerência: Direção de recursos humanos, materiais e financeiros com vistas ao alcance de um determinado objetivo. Conceito da Nova Gerência: Criar condições para que os recursos humanos da organização respondam - individualmente e com criatividade - a um meio que requer permanente adaptação. Trata-se de facilitar espaços. Gestão do Conhecimento

38 NOVO PERFIL GERENCIAL Desenvolvimento de Novas Capacidades: –pensar projetando os vários cenários possíveis, –capitalizar outras opiniões (ampliação dos ângulos de leitura), –estimular a cooperação para aumentar a produtividade, –compartilhar informações (visão global da organização), –criar espaços de participação, –saber mais sobre o mundo externo, –desenvolver networks, –estimular a inovação. Gestão do Conhecimento

39 Perguntas ?


Carregar ppt "MÓDULO GESTÃO DO CONHECIMENTO Carga horária : 4 horas Fornecer, aos participantes, uma visão geral e a conceituação elementar sobre gestão do conhecimento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google