A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração de Sistemas de Informação Gestão Virtual Prof. Afranio Lamy Spolador Jr. Agradecimento ao Prof. Luís Pedro Zambon, autor do material.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração de Sistemas de Informação Gestão Virtual Prof. Afranio Lamy Spolador Jr. Agradecimento ao Prof. Luís Pedro Zambon, autor do material."— Transcrição da apresentação:

1 Administração de Sistemas de Informação Gestão Virtual Prof. Afranio Lamy Spolador Jr. Agradecimento ao Prof. Luís Pedro Zambon, autor do material.

2 Gestão Virtual Novos Paradigmas Ao longo dos próximos dez anos, a Internet provocará mudanças no comportamento do consumidor que colocará por terra todos os programas de reengenharia e de redução de custos... essas mudanças serão tão profundas que as empresas terão que se realinhar com um foco no cliente ainda mais pronunciado do que o atual... Mesmo a ênfase na qualidade será menos importante face às novas e rapidamente mutantes demandas. David Siegel - Futurize sua empresa

3 Gestão Virtual Novos Paradigmas A Internet almeja essa mudança no mundo dos negócios. Ela pode ser seu pior pesadelo ou sua melhor oportunidade. A questão é: como você irá reagir?... Você pode mergulhar de cabeça no e- Commerce com um arsenal de ferramentas táticas para vendas e marketing on-line ou, ainda, pode assumir uma abordagem mais holística, que comece mudando a maneira como você encara a Internet. Qual posição beneficiará mais sua empresa a longo prazo? David Siegel - Futurize sua empresa

4 Gestão Virtual Novos Paradigmas Quem pode direcionar essa escolha ? Quem irá tomar essa decisão ? (e outras tantas...) CEOUsuário CIOGerente Usuário Analista de SistemasProgramador ConsultorEspecialista Quem ?

5 Gestão Virtual A Empresa Virtual O valor do Site - Valor Real ou Virtual Redução de CustosouMarketing Deslocar ClienteouCliente em casa Troca documentosouTroca eletrônica Faturasou Cobrança eletrônica Risco CobrançaouVenda certificada Processo reduzidoou Eliminação de processos Qualidade processoouProcesso automatizado Em síntese: Qual é o ganho ???

6 Gestão Virtual A Empresa Virtual A reestruturação da organização Adequar a estrutura da empresa Reordenar os processos Dentro da Empresa Work Flow padroniza as relações departamentais Reduz custos Agiliza - elimina processos Fora da Empresa Padrão de negócios Contratos de fornecimento - estoque administrado Agiliza todo o ciclo Em síntese: Qual é o ganho ???

7 Gestão Virtual A Empresa Virtual A reestruturação da organização O Fluxo automatizado dos Processos garante um ciclo interno: simplificado e um ciclo externo: padronizado. No todo, o ganho é de todos os Agentes (Players), desde que todos estejam no mesmo nível de evolução tecnológica. Daí a pressão do e-Commerce - mídia - marketing Em síntese: Qual é o ganho ???

8 Gestão Virtual A Empresa Virtual A reestruturação da organização Então o ganho não é da organização ? O que a organização ganha sozinha ? Incrementa vendas Novos Clientes Penetração em Mercados nunca imaginados Depende para tanto da Logística de Distribuição Logística de Gestão Interna Logística Financeira

9 Gestão Virtual A Empresa Virtual A reestruturação da organização Então o ganho não é da organização ? O que a organização ganha se todos os players estiverem no mesmo nível ? Incrementa vendas Novos Clientes Penetração em Mercados nunca imaginados Redução dos custos de todos os processos dos envolvidos Redução significativa dos preços Especialização e automatização dos players

10 Gestão Virtual A Empresa Virtual QUEM SÃO OS PLAYERS OU AGENTES ? O Foco- O CLIENTE O Interessado- A Empresa - O SITE Logística Financeira- Operadores Financeiros Segurança Operação- Cartório Certificação Logística Distribuição- Operadores Logísticos Comunicação- Telecoms e Fabricantes Internet- Provedores Equipamentos- Fabricantes Loja Virtual- Fabricantes de Software Divulgação- Mídia e Marketing

11 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes O Foco - O que ganha o CLIENTE ? Conforto da compra sem deslocamentos (Clima) Visualização dos Produtos (Escolha) Comparação de Preços entre Sites (Economia) Autonomia para decisão (sem Constrangimentos) Alternativas de Pagamento (...) Suas Apreensões: Vou receber o produto ? Em quanto tempo ? É seguro ? Posso informar meus dados ? Meu número do Cartão de Crédito

12 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes O Interessado - O que ganha a EMPRESA ? Novo canal de vendas (Internet) Redução de Custos Operacionais (Preço) Não necessita de Loja Real Administração de Estoques Agilidade e Padronização Atender o Cliente de forma personalizada (MKT) Conhecer melhor o Cliente (Relacionamento) Maior segurança cobrança (reduz Inadimplência) Suas Apreensões: Dependente de uma cadeia de envolvidos Investimento e Desconhecimento

13 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Logística Financeira- O que ganha o Op Financeiro ? Baixo Custo da Operação Virtual (Custos) Novos Negócios (Receita) Exclusividade (Garantia) Integra Agentes Financeiros (Parcerias) Cartões, Bancos, Correio, Financeiras Suas Apreensões: Tecnologia de Ponta - investimentos Segurança Parcerias exclusivas - mercado competitivo

14 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Segurança Operação - O que ganha o Cartório ? Novo Negócio (Oportunidade) Mercado carente (Oportunidade) Imagem divulgada pelos sites (Marketing) Seu negócio é fundamental para os outros players Suas Apreensões: Deve ser extremamente seguro (Vital) Investimento em tecnologia (Vital) segurança rapidez na operação em função do volume Competição

15 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Logística Distribuição - O que ganha o Op. Logístico ? Concentração das operações (Ganho de escala) Pode atender concorrentes (Redução de custos) Especialização (Focado) O Marketing é nas Empresas (Menor custo) Suas Apreensões: Prazo de entrega deve ser assegurado Eficácia do: Transportador Depósito Entregador

16 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Comunicação - O que ganham as Telecoms ? Todos os players e Cliente dependem: (Mercado) Comunicação de boa velocidade (Vital) Confiabilidade (Vital) Equipamentos (Vital) Novo negócio e em expansão (Mercado) Custos operacionais decrescentes (Custos) Suas Apreensões: Evolução tecnológica contínua Permanente atualização tecnológica Qualidade do serviço / Mercado Competitivo

17 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Internet - O que ganham os Provedores ? Estímulo a novos Clientes (Mercado) Novos negócios (Mercado) Hospedar o site Mercado corporativo Mercado pessoa física Suas Apreensões: Segurança Investimentos Velocidade

18 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Equipamentos - O que ganham os Fabricantes ? Necessidade contínua de: (Mercado) Equipamentos mais potentes Tecnologia de ponta Novos negócios (Mercado) Necessidades crescentes Suas Apreensões: Os padrões internacionais Mercado altamente competitivo Investimentos contínuos em P&D

19 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Loja Virtual - O que ganham os Fab Software ? Novos negócios (Mercado) Desenvolvimento de Lojas Virtuais Venda de consultoria / suporte Venda de templates de lojas Necessidades crescentes (Mercado) Conjunto de tecnologia para viabilizar uma loja Suas Apreensões: Mercado altamente competitivo Constante atualização tecnológica e de pessoal Turnover de profissionais

20 Gestão Virtual A Empresa Virtual - Players ou Agentes Divulgação - O que ganha a Mídia e Marketing ? Loja/Site deve ter Campanha eficaz (Clientes) Os players ou agentes precisam se conhecer O marketing associado as páginas Novos negócios, nova mídia Mais informações sobre o mercado e Cliente Segmentação de Clientes mais efetiva Suas Apreensões: Mercado altamente competitivo Inovação, criatividade, eficácia Profissionais

21 Gestão Virtual B2C - Business to Costumer Relações do Cliente Final com a Empresa via Site Cliente + Provedor + Loja Virtual Cliente quer saber: Onde encontrar o que quer comprar... Facilidade na busca Saber onde está o pedido Quando será a entrega Segurança da cobrança

22 Gestão Virtual B2B - Business to Business Relações entre Organizações Loja Virtual + Operador Financeiro + Operador Logístico + Transportador + Indústria Comunicação de grandes volumes Transferência eletrônica de dados Transferência em lotes Transferência on-line Acompanhamento de todo o processo Segurança e confiabilidade

23 Gestão Virtual - Modelos B2G - Business to Government Relação entre o governo e empresas. Redução de custos e burocracia Gerência da Informação Agilidade G2C - Government to Citzen Relação entre Governo e Cidadão Exclusão Digital Facilidade de acesso à informação Compartilhamento das informações Redução de custos e burocracia

24 Gestão Virtual O Comércio Eletrônico As várias arquiteturas possíveis viabilizadas pela disponibilidade de: Agentes - Estado da Arte dos Agentes Recursos $- Interesse do investidor Tecnologia- Estado da Arte da Empresa Mão de Obra- Qualificação todos os níveis Parceiros- Consultorias, Fornecedores Onde está sua empresa ?

25 e-Commerce - ESQUEMA - 1 Cliente Operador Logístico Operador Financeiro Retaguarda Site : Loja e Work-Flow BancosBancos CartõesCartões FinanceirasFinanceiras Indústrias Operador Financeiro

26 e-Commerce - ESQUEMA - 2 Cliente Operador Logístico Operador Financeiro Retaguarda Site : Loja e Work-Flow BancosBancos CartõesCartões FinanceirasFinanceiras Indústrias Operador Financeiro

27 e-Commerce - ESQUEMA - 3 Cliente Operador Logístico Operador Financeiro Retaguarda Site : Loja e Work-Flow BancosBancos CartõesCartões FinanceirasFinanceiras Indústrias Operador Financeiro

28 e-Commerce - ESQUEMA - 4 Cliente Operador Logístico Retaguarda Site : Loja e Work-Flow BancosBancos CartõesCartões FinanceirasFinanceiras Indústrias

29 Gestão Virtual A Viabilização do B2B EDI WAN - em lotes Provedores externos ou próprio Extranet Ambiente compartilhado - on-line Internet Protocolos: FTP... XML - misto Mais fácil, barato e acessível

30 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE É a troca de informações entre computadores de empresas parceiras, geralmente utilizando-se de um terceiro fornecedor/facilitador. BENEFÍCIOS Agilidade, Rapidez e Segurança Automação do relacionamento entre Empresas Economia de recursos pela eliminação de controles Elimina a necessidade de digitação de dados ATORES Situação 1: Empresa GERADORA - Empresa RECEPTORA Situação 2: Empresa Geradora - Provedor - Empresa Receptora

31 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE UTILIZANDO O PROVEDOR DE EDI B A D C Caixas Postais Provedor EDI A D CB

32 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE SEM PROVEDOR B A A C D Ligações podem ser de todos com todos

33 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE UTILIZANDO O PROVEDOR DE EDI Provedor B A D C

34 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE ALGUNS PROVEDORES NACIONAIS: PROCEDA GSI INTERCHANGE EMBRATEL e Outras USO DO EDI NO BRASIL BANCOS % MERCANTIL % AUTOMOTIVO % TRANSPORTE % GOVERNO % OUTROS %

35 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE CARACTERÍSTICAS Formalidade Legal não Existe - tentativa padrão mundial A informalidade tem favorecido a disseminação Acordo entre as partes - convênio Auditabilidade - Manter arquivos com indicação de sua geração, com retenção até estar formalizada a conclusão total da operação e estar de acordo com prazos tributários se assim for o caso. REQUISITOS CONECTIVIDADE - PADRONIZAÇÃO SEGURANÇA - Integridade, Autenticidade, Sigilo, Garantia de Entrega.

36 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE PROPOSTA PARA IMPLANTAÇÃO DE EDI Seleção dos parceiros Seleção do Provedor (WAN) Estabelecer os acordos comerciais com parceiros e provedor Definição de mensagens a serem trocadas e procedimentos Definição de Software e Hardware Desenvolvimento do sistema EDI interno REQUISITOS PARA SELEÇÃO DO PROVEDOR Características do Sistema no provedor Procedimentos de segurança contra acesso não autorizado Confidencialidade e Auditabilidade das Operações Definição de prazos e horários de entrega Respostas aos Documentos Eletrônicos

37 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE MENSAGENS QUE SERÃO TROCADAS PELAS PARTES Confirmação do envio/recebimento Identificação de irregularidade/inconsistência nos dados Não aceitação do movimento se Header/Trailer incorretos Recusa se somatórios dos detalhes não fechar com Trailer DEFINIÇÃO DE HARDWARE E SOFTWARE Microcomputador PC e modem, não necessariamente dedicados O Provedor fornece o software para: No envio: Formatar, Criptografar, Compactar, Transmitir Na recepção: Recepcionar, Descompactar, Descriptografar, Reformatar, Gravar, Retornar Protocolo O Parceiro deverá assegurar-se do número sequencial e integridade do movimento em relação ao Header/Trailer.

38 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE ALGUNS TIPOS EXISTENTES NO MERCADO EDI - Bancário Cobrança Eletrônica Transferência de Fundos Aplicações etc EDI - Comércio & Indústria - EDIFACT Pedido Nota Fiscal Estoque Fatura etc

39 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE Exemplo CONJUNTO DE REGISTROS PARA EDI-BANCÁRIO Registro A - Header Registro B - Cadastramento Registro C - Exclusão de Cadastro Registro D - Retorno de Irregularidade de Cadastramento Registro F - Movimento de Cobrança Registro G - Retorno de Irregularidade de Movimento Registro H - Movimento de Pagamentos Registro I - Solicitação de Relação de Agências Registro J - Movimento de Agências Registro Z - Trailer

40 EDI - ELETRONIC DATA INTERCHANGE CONJUNTO DE REGISTROS PARA EDI-BANCÁRIO Registro A - Header Registro B - Cadastramento Registro C - Exclusão de Cadastro Registro D - Retorno de Irregularidade de Cadastramento Registro F - Movimento de Cobrança Registro G - Retorno de Irregularidade de Movimento Registro H - Movimento de Pagamentos Registro I - Solicitação de Relação de Agências Registro J - Movimento de Agências Registro Z - Trailer


Carregar ppt "Administração de Sistemas de Informação Gestão Virtual Prof. Afranio Lamy Spolador Jr. Agradecimento ao Prof. Luís Pedro Zambon, autor do material."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google