A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A SAÚDE DO TRABALHADOR PELA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE Rodrigo Mendes Silva Luna (UFPB) Erika Valeska da Costa.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A SAÚDE DO TRABALHADOR PELA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE Rodrigo Mendes Silva Luna (UFPB) Erika Valeska da Costa."— Transcrição da apresentação:

1 A SAÚDE DO TRABALHADOR PELA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE Rodrigo Mendes Silva Luna (UFPB) Erika Valeska da Costa Alves (UFPB); Geysa Sâmya Pacheco de Araújo Leite (UFPB); Rávila Suênia Bezerra da Silva (UFPB); Carina Carvalho Correia Coutinho (UFPB) INTRODUÇÃO As relações saúde e trabalho desde o século XIX sofreram significativas transformações nos seus aspectos conceituais e metodológicos, passando da Medicina do Trabalho e Saúde Ocupacional, à Saúde do Trabalhador. Está inserida na saúde pública, rompe com a concepção hegemônica que estabelece um vínculo causal entre a doença e o agente específico. A ST é um campo de saberes e práticas, desenvolvidas por diversos atores situados em lugares sociais distintos e formados por uma perspectiva comum. A Educação Popular em Saúde é a área do conhecimento que tem se ocupado mais diretamente com a criação de vínculos entre a ação em saúde e o pensar e fazer da população. O Projeto Educação Popular e Atenção à Saúde do Trabalhador (PEPAST) é uma atividade extensionista da Universidade Federal da Paraíba, que busca articular esses dois espaços. Seu objetivo é contribuir para reorientação da formação nesse campo, na construção de um olhar re-significado em ST, considerando o sujeito (trabalhador), a saúde e o mundo do trabalho. METODOLOGIA A dinâmica do projeto é desenvolvida semanalmente em etapas: um encontro semanal (reunião), com objetivo de planejar e organizar estratégias de ações, avaliação e suporte, assim como para aprofundamento teórico sobre o objeto de trabalho do projeto. O PEPAST desenvolve ações em parceria com a equipe de saúde da Comunidade Maria de Nazaré, através de visitas domiciliares a trabalhadores, além de atividades do Grupo Operativo Interdisciplinar em Saúde do Trabalhador (GOIST). As visitas domiciliares semanais são realizadas por duplas interdisciplinares de estudantes, e recebidas pelas famílias a serem acompanhadas. Nesse espaço a relação com o outro traduz-se em troca de saberes onde a escuta, o respeito, o afeto e a atenção integral são elementos essenciais. Destacam-se as atividades com o GOIST, onde os usuários, estudantes, professores, profissionais do serviço e convidados interagem de maneira dialógica e horizontal em que os saberes e vivências são respeitados e valorizados através de rodas de conversas. Os temas surgem a cada encontro de acordo com as sugestões dos usuários. Nestas rodas, os princípios da Educação Popular em Saúde são colocados em prática. RESULTADOS Percebeu-se, ao longo das atividades do projeto, que a educação popular provocou estímulo ao protagonismo dos atores envolvidos no processo. Destaca-se a aproximação parceira entre a comunidade com o serviço de saúde local. O protagonismo estudantil aparece na estruturação das atividades, já que os estudantes participam incisivamente da organização do projeto, causando uma descentralização em relação ao papel tradicional dos docentes/orientadores, onde a autonomia é o elemento propulsor. A educação popular mostrou-se um componente importante para ruptura da distância entre os extensionistas e a comunidade, permitindo um contato mais próximo com a realidade social. Foi evidenciado um maior comparecimento ao posto de saúde das famílias devido ao estreitamento de vínculo entre os extensionistas e estas, que começaram a se sentir cuidadas, passando a cuidar mais de si mesmas. O projeto possibilitou conhecer a rotina da comunidade e dos setores que compõem a rede de atenção à saúde, os quais poderão ser futuros cenários de prática profissional. A participação do projeto junto à rede de média complexidade proporcionou a visualização de um sistema falho no que diz respeito à ST, com precário fluxo de encaminhamentos e notificações dos casos relacionados. CONCLUSÃO Desde seu surgimento em 1998, o PEPAST passou por várias mudanças na sua estruturação e campos de atuação, ampliando sua visão em saúde numa perspectiva de abordagem integral, interdisciplinar e intersetorial. Hoje o projeto apresenta-se como sendo uma estratégia eficaz de contribuição na re-significação da relação do cuidado no campo da ST, estimulando a autonomia estudantil, a horizontalização das relações e a proximidade com a comunidade e com os diversos setores da saúde, proporcionando uma reorientação na formação do profissional por meio de ricas vivências onde o diálogo, a escuta e a troca de saberes direcionam a metodologia do projeto. VISITA ÀS CASAS DA Mª DE NAZARÉ GOIST NA ASSOCIAÇÃO DA COMUNIDADE Mª DE NAZARÉ


Carregar ppt "A SAÚDE DO TRABALHADOR PELA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE Rodrigo Mendes Silva Luna (UFPB) Erika Valeska da Costa."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google