A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Profa Luciene Rabelo. Modificações Gerais da Dieta Normal Para Aplicações Terapêuticas Consistência; Valor Calórico Total/Qualidade de nutrientes; Composição.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Profa Luciene Rabelo. Modificações Gerais da Dieta Normal Para Aplicações Terapêuticas Consistência; Valor Calórico Total/Qualidade de nutrientes; Composição."— Transcrição da apresentação:

1 Profa Luciene Rabelo

2 Modificações Gerais da Dieta Normal Para Aplicações Terapêuticas Consistência; Valor Calórico Total/Qualidade de nutrientes; Composição química ou constituintes individuais; Fracionamento da dieta/volume; Inclusões e exclusões.

3 As dietas podem ser divididas em Dietas Normais e Dietas Especiais Dieta Normal: dieta balanceada em macro e micronutrientes e adequada a indivíduos sadios ou cuja patologia não necessita de nenhum tipo de modificação. Dieta Especial: é aquela que, apesar de poder ser adequada em nutrientes, apresenta modificações nas suas características físicas e químicas para melhor atender às necessidades do indivíduo.

4 Modificações da dieta Modificações quanto ao sabor : A dieta pode ser doce, salgada, mista ou ainda de sabor suave ou moderado, intenso ou excitante. Exemplo: Quando um paciente apresenta um quadro de anorexia, e sua patologia não requer nenhuma restrição alimentar, podemos oferecer dietas com um sabor mais intenso que estimule seu apetite, utilizando vários tipos de ervas naturais no tempero de sua refeição.

5 Modificações da dieta Modificações quanto à temperatura A dieta pode ser oferecida à temperatura ambiente ou, então, quente ou fria, até mesmo gelada, dependendo do objetivo da dieta. Os alimentos quentes produzem maior saciedade que os alimentos frios. Exemplo: Em pacientes após cirurgia de amígdalas, utilizamos dietas geladas. No caso das dietas por sondas já devem ser administradas em temperatura ambiente.

6 Modificações da dieta Modificações da dieta Modificações quanto à consistência: A dieta pode ter consistência normal (livre), branda, pastosa, semilíquida (líquida-pastosa) e líquida. Em ordem progressiva da mais consistente e completa a menos consistente e mais restrita.

7 Modificações da dieta Consistência Normal Não necessita de nenhuma alteração alimentar/sem comprometimento de mastigação, deglutição ou digestão. Finalidade: fornecer calorias e nutrientes em quantidades diárias recomendadas para manter a saúde do indivíduo. Preparações indicadas – saladas cruas e cozidas; carnes cozidas, grelhadas, assadas, fritas; vegetais crus ou cozidos, refogados ou fritos; frutas cruas, em compotas, assadas, purês; pastelaria; sopas; bolos e doces em geral; óleos, margarinas.

8 Modificações da dieta Consistência branda Dificuldades de mastigação; Deglutição ou na transição de uma dieta pastosa ou líquida para a normal; Facilita e diminui o tempo de digestão; Todos os alimentos são modificados pelo cozimento ou mecanicamente (picados, ralados, moídos) para abrandar as fibras, dando-lhes uma consistência menos sólida.

9 Preparações indicadas – Dieta branda Saladas cozidas (vegetais cozidos e temperados com molho simples); Carnes cozidas, assadas e grelhadas; Ovo cozido, pochê ; Frutas na forma de sucos, cozidas, assadas, compotas, bem maduras sem casca, biscoitos e pães macios não integrais; Pastelaria de forno; sopas; óleos vegetais, margarinas (não utilizar frituras).

10 Modificações da dieta Consistência pastosa : Proporciona maior descanso gástrico; Dificuldade de deglutição; Indivíduos se prótese dentária. Ex: arroz papa, feijão macerado,carne desfiada,purês de legumes,pudins em consistência mais firme,sorvetes

11 Modificações da dieta Consistência semi-líquida (líquida-pastosa): Tem o objetivo de manter o repouso digestivo ou atender às necessidades do paciente quando alimentos sólidos não são bem tolerados. O valor calórico desse tipo de dieta é menor do que as anteriores, em virtude de uma maior limitação em relação aos alimentos permitidos e o tipo de preparação utilizada.

12 Preparações indicadas (LP) Água e infusos (café, chá, mate); sucos (de verduras e frutas) coados; purê de vegetais; caldos de carne e vegetais desengordurados; sopas espessadas, liquidificadas; leite, coalhada, creme, queijos cremosos, margarinas; frutas em papa ou liquidificadas; sorvetes, gelatinas, pudins.

13 Modificações da dieta Consistência líquida completa: É composta totalmente por preparações líquidas. Ela tem como objetivo fornecer os nutrientes de uma forma que exija um mínimo de esforço no processo de digestão e absorção. É indicada quando se deseja um repouso gastrintestinal maior do que nos casos anteriores (pós-operatórios, transtornos gastrintestinais).

14 Preparações indicadas -líquida Leite, iogurte, leite geleificado, creme de leite; gelatinas, geléia de mocotó, sorvetes; bebidas, café, chá, chocolate, gemadas, suco de frutas e de vegetais coados; papas de cereais; sopas de vegetais liquidificados e coados, caldo de carne, caldo de feijão; ovo quente; óleos vegetais, alimentos espessantes: farinhas pré-cozidas, isolados protéicos, clara de ovo.

15 Modificações da dieta Consistência líquida restrita ou cristalina: É uma dieta muito restrita. Geralmente é utilizada no pré ou pós-operatório, ou em preparo de exames. Ela fornece um mínimo de resíduos para proporcionar o máximo de repouso gastrintestinal. Tem baixo valor nutritivo e calórico, portanto não deve ser utilizada por um período superior a três dias. Preparações indicadas – Água e infusos adocicados (chá, café, mate); sucos de frutas coados; caldos de carnes e de legumes coados; geléia de mocotó, picolés de suco de frutas coadas, gelatina.

16 Modificações na composição química Modificações na composição química HIPERPROTEICA E HIPERCALÓRICA: São fornecidos alimentos ricos em proteína de alto valor biológico e mais calóricos, ricos em carboidratos e lipídios, a fim de que a proteína NÃO seja desviada para a produção de energia. Indicada para pacientes desnutridos, reposição de massa muscular, recuperação de pré e pós-operatório, transplante renal e grandes queimados.

17 Modificações da dieta HIPOPROTEICA Dieta com baixo teor de proteínas, principalmente as de origem vegetal (que são de baixo valor biológico). Indicada para pacientes com Insuficiência Renal Crônica e Aguda, Insuficiência Hepática HIPOCALÊMICA Dieta restrita em alimentos Ricos em Potássio. Indicada para os casos em que se faz necessário a restrição de Potássio.

18 Modificações da dieta HIPOSSÓDICA- dieta com restrição de sódio (através da retirada do sal de adição) normoproteica e restrita em açúcares simples. Indicada para pacientes hipertensos, hepatopatas, ou na insuficiência renal. HIPOLIPÍDICA- dieta com baixo teor de lipídeos. Indicada nos casos de Insuficiência Hepática, dislipidemias e cardiopatias.

19 Modificações da dieta HIPOCALÓRICA- Composta de alimentos menos calóricos, selecionados de acordo com o índice glicêmico, teor de carboidratos e lipídeos, com o teor de fibras ligeiramente aumentado. Indicação:Obesidade, hipertensão, hiperlipidemias e cardiopatias. HIPOGLICÍDICA – É uma dieta pobre em carboidratos. A restrição deve ser feita nos carboidratos simples. Indicação: Controle de peso, hipoglicemia e DPOC.

20 Modificação de acordo com a quantidade de resíduo As dietas são classificadas de acordo com a quantidade de resíduo que elas oferecem. Podem ser: Isenta de resíduos; Com pouco resíduo e Rica em resíduo.

21 Modificação de acordo com a quantidade de resíduo Isenta de resíduos – quando se deseja um repouso gastrintestinal. Exemplo: Dietas para gastroenterites, preparo de exames. Indicação: Dieta líquida restrita. Com pouco resíduo – quando se deseja um repouso gastrintestinal moderado. Exemplo: Dietas no tratamento de diarréias moderadas. Indicação: Branda a líquida pastosa.

22 Modificação de acordo com a quantidade de resíduo Ricas em resíduos – quando se deseja estimular o trânsito gastrintestinal. Recomendação de fibras de 20 a 35g por dia. Exemplo: Dietas no tratamento das constipações intestinais, Doença diverticular. Indicação: Normal, rica em fibras. Recomendações gerais: O teor de fibras deve ser aumentado gradativamente para evitar formação de gases e distensão abdominal. Deve haver aporte adequado de líquidos mínimo de 8 copos por dia. Uma ingestão muito elevada pode levar a perda de minerais como Ca,Zn, Mg e outros.

23 Inclusões e exclusões Acrescentar aminoácidos de cadeia ramificada Suco albuminoso Proibir açúcar – Incluir adoçante artificial Excluir óleo – Utilizar TCM

24 Modificações de acordo com a ação intestinal Dieta para controle da diarréia (CONSTPANTE) É uma dieta que além de ter uma consistência que objetiva o repouso gástrico, deve conter alimentos constipantes (batatas, arroz, cenoura, chuchu, mandioca, banana prata, maçã, frango cozido sem gordura, goiaba, entre outros), e evitar alimentos que aceleram o trânsito intestinal, como vegetais crus e frutas com casca. Deve-se ter uma atenção especial no consumo de líquidos para evitar a desidratação.

25 Modificações de acordo com a ação intestinal Dieta para controle da constipação intestinal (LAXANTE) É uma dieta rica em alimentos laxantes como os vegetais crus (alface, almeirão, couve, repolho, agrião, tomate) e cozidos (espinafre, abóbora, beterraba, inhame, taioba, brócolis), frutas (laranja com bagaço, mamão, manga, abacate, mexerica), alimentos ricos em fibras como os pães e cereais integrais, farelo de trigo e aveia. É importante um consumo maior de água.

26 Modificações da dieta Modificações quanto ao volume : O volume deve ser oferecido conforme a capacidade gástrica do paciente e as necessidades ou restrições que se fizerem necessárias de acordo com sua patologia. Exemplo: Pacientes após cirurgia de gastrectomia parcial deve-se iniciar sua dieta com volume reduzido, aumentando gradativamente.


Carregar ppt "Profa Luciene Rabelo. Modificações Gerais da Dieta Normal Para Aplicações Terapêuticas Consistência; Valor Calórico Total/Qualidade de nutrientes; Composição."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google