A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES Elaborado Por: Cristiano De Angelis.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES Elaborado Por: Cristiano De Angelis."— Transcrição da apresentação:

1 MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES Elaborado Por: Cristiano De Angelis

2 Introdução Este trabalho tem como objetivos, reforçar conteúdos e introduzir conceitos matemáticos, através de Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares. É possível desenvolver atividades que envolvam, problemas, cálculos, algoritmos, combinatória, trigonometria, logaritmo, e uso de softwares. Sem dúvida, cabe ao ensino de matemática o desenvolvimento do raciocínio e nesse sentido matrizes, determinantes e sistemas lineares são interessantes para serem trabalhados, utilizando se possível material de apoio. Este trabalho está estruturado de tal forma que a parte teórica e os exercícios visam a exploração deste conteúdo. Num segundo momento, passamos a exercícios mais específicos, ligados a este conteúdo matemático como forma de exemplificar o uso do software como recurso didático.

3 1. Matrizes n Matriz é um conjunto com elementos dispostos em linhas e colunas. Exemplo: 1a linha 2a linha 1a coluna 2a coluna 3a coluna A =B = 1a coluna 2a coluna 3a coluna 1a linha 2a linha 3a linha

4 A indicação do número de linhas e colunas é chamada de ordem da matriz. Nos exemplos, A tem ordem (2X3) e B tem ordem (3X3), ou, simplesmente 3. Matriz quadrada é toda matriz que tem igual número de linhas e colunas (ordem n). O elemento que está na linha i e coluna j é representado por a ij. Desta forma, uma matriz genérica de ordem m x n é representada por: A =

5 1.1 Matrizes Com Denominações Especiais n Matriz Linha n Matriz Coluna n Matriz Quadrada * Diagonal principal de uma matriz quadrada * Diagonal secundária de uma matriz quadrada n Matriz Nula n Matriz Diagonal n Matriz Identidade ou Unidade n Matriz Transposta n Matriz Simétrica n Matriz Oposta n Matriz Escalar

6 Exercícios 1. Determinar a soma dos elementos da diagonal principal da matriz de ordem 3 definida por a ij = i + j. 2. A transposta de uma matriz A= (a ij ) é a matriz A T = (b ij ), tal que as linhas de uma são as colunas de outra. Se A tem ordem nxm, então At tem ordem mxn e b ij = a ji, para todo i e todo j. Determinar a matriz transposta da matriz de ordem 2x3 definida por a ij = i-j. 3. Matriz identidade é toda matriz quadrada cujos elementos da diagonal principal são iguais a 1e os demais iguais a zero. Quantos zeros tem uma matriz identidade de ordem n? 4. Seja A de ordem 15x20 definida por a ij = i - j Determinar o elemento b 98 de A T.

7 1.2 Igualdade De Matrizes n Duas matrizes de mesma ordem são iguais, se, e somente se, os elementos que ocupam a mesma posição são iguais. SÓ EXISTE IGUALDADE DE MATRIZES QUE POSSUEM A MESMA ORDEM. Exemplo: b) = serão iguais se, e somente se: x = 1 e y = 8 A = B = a) Estas matrizes, A e B:

8 2. Operações Com Matrizes n Vamos apresentar as operações básicas com matrizes através de exemplos: A = B = C = a) A - 2.B = - = b) A. C =. = = c) A. B =. = =

9 d) B. A =. = = e) A. I =. == A.I = A, para qualquer matriz A (I é o 1 das matrizes). Em geral A.B B.A (não comutativa). Para A, B, C quadradas de mesma ordem, A.(B+C)=A.B + A.C (distributiva). Para A, B, C quadradas de mesma ordem, A.(B.C)=(A.B).C (associativa).

10 Exercícios 1. Numa turma, os graus que seis alunos receberam em três provas bimestrais são dadas pela seguinte matriz A: A matriz B informa o peso de cada uma das provas: 2, 3 e 5 nesta ordem. B = Use as matrizes A e B para calcular as notas finais dos alunos e analise os graus dos aprovados e dos reprovados, sabendo que é necessário 60 pontos para aprovação.

11 2. Uma micro-empresa, em abril teve a seguinte matriz custo, distribuição Salário Aluguel, água, luz,etc matéria prima Em maio houve vários aumentos, colocados na matriz B, A = B = Utilize A e B para calcular o custo total do mês de maio. Muitos empresários repassaram os 12% de aumento do salário mínimo para o preço do produto final, alegando que o custo aumentou 12%.

12 3. A matriz C fornece, em reais, o custo das porções arroz, carne e salada usados num restaurante: C = arroz carne salada A matriz P fornece o número de porções de arroz, carne e salada usados na composição dos pratos tipo P 1, P 2, P 3 deste restaurante: P = Prato P 1 Prato P 2 Prato P 3 A matriz que fornece o custo de produção, em reais, dos pratos P 1, P 2, P 3 é: (A)(B)(C)(D)(E)

13 4. A matriz A = [a ij ] 5x5, com i, j {1, 2, 3, 4, 5}, revela um caminho ligando alguns pontos do desenho, onde a ij = 1 significa: existe uma ligação entre P i e P j e a ij = 0 significa: não existe uma ligação entre P i e P j. A =P1P1 P2P2 P3P3 P4P4 P5P5 Saindo de P 1, sem repetir trechos, qual o ponto final do caminho? (A) P 1 (B) P 2 (C) P 3 (D) P 4 (E) P 5

14 3. Matriz Inversa n A inversa de uma matriz A, quando existir, é a matriz representada por tal que : = Exemplo: A = tem = como inversa, pois

15 4. Determinantes e Sistemas Lineares 4.1 Sistema De Equações Na Forma Matricial n Um sistema de equações do primeiro grau pode ser posto na forma matricial. Exemplo: n A matriz A é chamada de MATRIZ PRINCIPAL, a X de MATRIZ DAS INCÓGNITAS e a B de MATRIZ DOS TERMOS INDEPENDENTES. Dado o sistema yx zyx zyx, podemos colocá-lo na forma: z y x = 3 2 1, ou seja,A. X = B. AXB

16 4.2 Determinante De Uma Matriz De Ordem 2 Sistema genérico de duas equações e duas incógnitas: (* -1) Assim temos: x = e y =

17 Observamos que denominadores são iguais nas duas expressões, sendo formados pelos elementos da matriz principal do sistema. Se forem nulos, não poderemos determinar a solução (divisão por zero). Desta forma, é este denominador que determina a existência e a unicidade da solução. Como poderíamos chamar algo que determina?

18 Vamos definir e representar o determinante da matriz por Determinante de uma matriz de ordem 2 é o produto dos elementos da diagonal principal menos o produto dos elementos da diagonal secundária.

19 4.3 Resolução De Um Sistema 2x2 Por Determinantes Nas expressões encontradas para x e y observamos que os numeradores são também determinantes. Na primeira, a matriz utilizada teve a primeira coluna substituída pela matriz B. Na segunda expressão, foi substituída a segunda coluna. x = e y =

20 Chamando Esta regra, válida apenas se, é chamada de REGRA DE CRAMMER.

21 4.4 Discussão de Um Sistema 2x2 Um sistema pode ser de três tipos: DETERMINADO: possui uma única solução. INDETERMINADO: possui mais de uma solução. IMPOSSÍVEL: não possui solução. x = 1 e y = 1 é o único par de soluções: Determinado. x = 1 e y = 1, x = 2 e y = 0 e x = 0 e y = 2 são algumas das infinitas soluções: Indeterminado. não tem solução: Impossível.

22 Podemos classificar um sistema analisando os determinantes. A regra de Crammer, ainda que válida apenas caso, nos induz à discussão do sistema. Vamos, por exemplo, considerar que: existe e é único não está definido tem infinitas respostas Assim, temos: Determinado Indeterminado Impossível

23 4.5 Determinantes De Ordem n Vimos a origem e o cálculo de um determinante de ordem 2. Este foi útil na resolução e discussão de um sistema de ordem 2, bem como na identificação de matrizes inversíveis de ordem 2. De forma análoga, podemos obter determinantes de ordens superiores a 2. Determinante De Ordem 3: a) Determinante De Ordem 3: Dada a matriz A =, temos: det(A)= a 11. a 22. a 33 + a 12. a 23. a 31 + a 21. a 32. a 13 -a 13. a 22. a 31 - a 12. a 21. a 33 - a 23. a 32. a 11 Exemplo: = -33 = * No sentido da diagonal secundária troca-se o sinal.

24 No cálculo do det(A) observamos o seguinte: * Usamos 6 parcelas (fatorial de 3). * Cada parcela é o produto de 3 elementos da matriz. * Em cada produto há um e somente um elemento de cada linha e coluna. * A metade das parcelas tem o sinal trocado.

25 * A soma de n! parcelas. * Cada parcela é o produto de n elementos da matriz. * em cada produto há um e somente um elemento de cada linha e coluna. * A metade das parcelas tem o sinal trocado. Determinate De Ordem n b) Determinate De Ordem n: Com base no que foi observado no cálculo do determinante de ordem 3, temos que o determinante de uma matriz de ordem n é: Vamos calcular o determinante através do baixamento de ordem. Desta forma determinantes de ordem superior a 3 são expressos em função de determinantes de ordem 3 e, então, calculados. Inicialmente, definimos co-fator c ij de um elemento a ij da matriz A:

26 c ij é o produto de pelo determinante da matriz obtida da A eliminando- se a linha i e a coluna j. ( ) Para se obter o baixamento de ordem procede-se da seguinte forma: (1) Escolhe-se qualquer linha ou coluna da matriz. (2) Multiplica-se cada elemento da linha ou coluna escolhida pelo seu co-fator. (3) Soma-se todos os produtos obtidos.

27 4.6 Propriedades Dos Determinantes As propriedades dos determinantes são decorrentes da definição de determinante. As propriedades abaixo são enunciadas para as linhas de uma matriz quadrada A. Contudo, são válidas também para as colunas. (1) Se A tem uma linha nula, então det(A) =0 (2) Permutando-se duas linhas de A, det(A) inverte o sinal. (3) Se A tem duas linhas iguais, então det(A) =0 (4) Se A tem duas linhas múltiplas, então det(A) =0 (5) det(A.B) = det(A).det(B) (6) Multiplicando uma linha de A por k real, det(A) fica multiplicado por k. (7) Se L i e L j são linhas de A e k é real, temos: substituindo L i por L i + k.L j, det (A) não se altera.

28 Exemplo: Sabendo que = 2, calcular Tocar a segunda linha pela terceira. Substituindo a primeira linha pela segunda multiplicada por uma constante (3) somada com a primeira linha. Multiplicar a terceira linha por uma constante (2). Determinante = 2. (-1). 2 = -4

29 4.7 Cálculo Da Inversa De Uma Matriz De Ordem 2 Podemos calcular a inversa de uma matriz A de ordem 2 da seguinte forma: (1) Elementos da diagonal principal: trocar de posição. (2) Elementos da diagonal secundária: trocar de sinal. (3) Dividir todos os elementos por det(A).

30 Resolução De Exercícios Com Auxílio de Software

31 Conclusão O nosso objetivo com este trabalho, foi obter informações mais detalhadas a respeito de Matrizes, Determinantes e Sistemas Lineares. O desafio no qual a dupla se propôs foi descobrir outras formas de apresentar este conteúdo, apresentando também o uso de software para que de alguma forma possa facilitar a compreensão, descobrindo novas possibilidades de uso do material numa aplicação à sala de aula. Foi válida essa experiência, pois podemos perceber, a importância do conteúdo e do material concreto no ensino da matemática, principalmente, pelo estímulo que ele traz, pois não desejamos que a matemática de hoje se torne monótona e repetitiva.

32 Referências Bibliográficas BACCARO, Nelson. e CYRINO, Hélio. Matemática. segundo grau, volume 2, editora Ática, 6a edição, p. 96 a 152. GENTIL, Nelson. e outros. Matemática para o 2o. grau. volume 2, editora Ática, 277 exercícios resolvidos e 754 exercícios propostos, p. 139 a 208. MÓTTOLA, Paulo R. de Carvalho. Móttola Matemática pra o vestibular. 2a edição, p. 109 a 126. TEXEIRA, José Carlos. e outros. Matemática - Matrizes - Determinantes - Sistemas Lineares. livro 15, sistema anglo de ensino, Anglo Vestibulares, p. 1 a 86.


Carregar ppt "MATRIZES, DETERMINANTES E SISTEMAS LINEARES Elaborado Por: Cristiano De Angelis."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google