A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Há algo errado nas Licenciaturas ? Paulo Figueiredo Lima (Dmat/UFPE) Presidente da SBEM 1 o. Colóquio em Epistemologia e Pedagogia das Ciências no Ensino.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Há algo errado nas Licenciaturas ? Paulo Figueiredo Lima (Dmat/UFPE) Presidente da SBEM 1 o. Colóquio em Epistemologia e Pedagogia das Ciências no Ensino."— Transcrição da apresentação:

1 Há algo errado nas Licenciaturas ? Paulo Figueiredo Lima (Dmat/UFPE) Presidente da SBEM 1 o. Colóquio em Epistemologia e Pedagogia das Ciências no Ensino PUC-Rio 2005

2 PREÂMBULO Certamente vamos todos concordar que há, sim, algo errado nas licenciaturas. Provavelmente, haverá menor concordância quando passarmos a indicar O QUE ANDA ERRADO NAS LICENCIATURAS e, conseqüentemente, quando apontarmos O QUE FAZER PARA MUDAR.

3 QUE PROFESSOR FORMAR? Que Matemática deve saber um futuro professor de Matemática? Quais são os saberes matemáticos e os saberes didáticos que deve constituir? Como deve aprender Matemática aquele que, num futuro próximo, se dedicará a ensiná-la profissionalmente? Como conseguir que os futuros docentes se tornem competentes no processo de transformar os conhecimentos matemáticos historicamente produzidos em saber matemático escolar relevante à formação intelectual dos alunos?

4 Como provocar, desenvolver e sustentar um processo de reconversão epistemológica que permita aos futuros professores se libertarem de comportamentos, atitudes e crenças que têm contribuído para estigmatizar a Matemática? Qual deve ser o perfil dos que formarão os professores? O que define um professor de Matemática como profissional?

5 Que conhecimentos profissionais são básicos e fundamentais para a formação professor de matemática e para a formação do formador de professores de Matemática?

6 O DESAFIO DOS GRANDES NÚMEROS 35 milhões de alunos no EF Um milhão e meio de professores 9 milhões de alunos no EM 470 mil professores (demanda de 700 mil) licenciados para o ensino 5ª. a 8ª. e para o EM 180 mil escolas de EF 19 mil escolas de EM Cerca de 400 Licenciaturas em Matemática

7 Desafios simultâneos: Letramento matem á tico para todos O letramento em Matem á tica é a capacidade individual de identificar e compreender o papel da Matem á tica no mundo, de fazer julgamentos bem fundamentados e de se envolver com a Matem á tica de maneira a atender à s suas necessidades atuais e futuras como um cidadão construtivo, consciente e reflexivo. (Relat ó rio do PISA, Brasil Forma ç ão de quadros tecnol ó gicos e cient í ficos Garantia de oportunidades para os aspirantes a patamares mais avançados de conhecimentos e competências matemáticas.

8 Uma nova visão da Matemática Matemática: forma de interação humana Matemática como modelo abstrato para os fenômenos O conhecimento matemático: o método axiomático-dedutivo Matemática: campo fértil para conexões internas e externas Matemática: multiplicidade de representações A Matemática como instrumento de formação cidadã

9 Currículo de Licenciatura: extensa lista de problemas desconsideração do repertório de conhecimento dos ingressantes a seleção inadequada de conteúdos para a constituição de competências profissionais a falta de oportunidades para desenvolvimento cultural dos alunos

10 persistentes dicotomias entre: –conteúdo e metodologia de ensino- aprendizagem –a Matemática e as outras áreas do saber –teoria e prática –ensino e pesquisa –formação inicial e formação continuada

11 Eixos norteadores dos cursos de formação de professores Currículo centrado no desenvolvimento de competências Coerência entre a formação oferecida e a prática esperada do futuro professor A pesquisa como elemento essencial na formação do professor

12 Competências profissionais a serem desenvolvidas nos cursos de formação comprometimento com os valores inspiradores da sociedade democrática compreensão do papel social da escola domínio dos conteúdos matemáticos a serem socializados, de seus significados em diferentes contextos e de sua articulação interdisciplinar. ao domínio do conhecimento em Educação Matemática conhecimento de processos de investigação que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica gerenciamento do próprio desenvolvimento profissional

13 A construção da identidade da Licenciatura em Matemática Os cursos de Licenciatura em Matemática devem oferecer formação profissional, entendida como preparação voltada para o atendimento das demandas de um exercício profissional específico. A identidade dos cursos deve ser construída com base em elementos constitutivos do processo de construção do conhecimento profissional como: vinculação da formação acadêmica com a prática profissional, valorização permanente do conhecimento didático-pedagógico da Matemática a ser ensinada e promover, realização de práticas investigativas que promovam a articulação entre teoria e prática.

14 Tais elementos devem refletir-se na definição dos objetivos do curso, na eleição dos conteúdos da formação, na criação de diferentes tempos e espaços de vivência para os alunos, nas relações entre professores formadores e professores em formação, na dinâmica da sala de aula, no processo de avaliação.

15 ARTICULAÇÃO MATEMÁTICA BÁSICA X MATEMÁTICA SUPERIOR Nos cursos de Licenciatura em Matemática, os conteúdos a serem abordados pelo futuro professor devem ser aprofundados nos seus aspectos epistemológicos e históricos e tratados de modo articulado com conteúdos mais complexos da Matemática e também com suas didáticas específicas. É necessário construir um conhecimento consistente deles, inclusive as suas relações com outras áreas do conhecimento e adequá-los às atividades escolares próprias das diferentes etapas e modalidades da educação básica.

16 Ciências da Educação Epistemologia Uma interface muito especial: EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: uma confluência de múltiplos saberes Godino & Batanero: Psicologia Sociologia DIDÁTICA DA MATEMÁTICA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Matemática Semiótica Outras

17 Eixos norteadores dos cursos de formação de professores A concepção de competência Coerência entre a formação oferecida e a prática esperada do futuro professor A pesquisa como elemento essencial na formação do professor

18 A inversão da lógica da organização curricular O ponto de partida: Que competências profissionais devem ser construídas por um(a) professor(a) de Matemática? Em que âmbitos de conhecimento encontram-se os conteúdos que dão consistência à constituição das competências?

19 Competências Profissionais Gerais 4Competências referentes ao domínio dos conteúdos a serem socializados, de seus significados em diferentes contextos e de sua articulação interdisciplinar. 4Competências referentes ao domínio do conhecimento pedagógico

20 Competências Profissionais Gerais 4Competências referentes ao comprometimento com os valores inspiradores da sociedade democrática. 4Competências referentes à compreensão do papel social da escola.

21 Competências Profissionais Gerais 4Competências referentes ao conhecimento de processos de investigação que possibilitem o aperfeiçoamento da prática pedagógica. 4Competências referentes ao gerenciamento do próprio desenvolvimento profissional.

22 Articulação entre teoria e prática Inerente ao conceito de competência: tratam sempre de alguma forma de atuação, só existem "em situação" e, portanto, não podem ser aprendidas apenas pela comunicação de idéias. não basta a um profissional, ter conhecimentos sobre seu trabalho; é fundamental que saiba fazê-lo!

23 Desafio: pensar formas mais criativas que a mera organização disciplinar A supremacia do conhecimento fragmentado de acordo com as disciplinas impede freqüentemente de operar o vínculo e a totalidade, e deve ser substituída por um modo de conhecimento capaz de apreender os objetos em seu contexto, sua complexidade, seu conjunto... Perrenoud

24 Buscar novas formas de organização institucional e curricular Estudos disciplinares e interdisciplinares Seminários longitudinais Desenvolvimento de Projetos de trabalho Oficinas de leitura, escrita e uso das novas tecnologias Auto formação pelo uso das TIC Grupos de estudo temáticos Grupos de investigação...

25 O desafio que vai além do projeto 2O dia a dia da sala de aula - a constituição de modelos de professor. 2O princípio da simetria invertida (Schön) 2O faça o que eu diga mas não faça o que eu faço. 2O desafio de envolvimento de todo o corpo docente.

26 CAMPO TEMÁTICOS: Sistemas numéricos Funções reais GeometriaÁlgebra Cálculo e análise Fundamentos da Matemática (Teoria dos conjuntos, lógica, epistemologia da Matemática), Estatística; Probabilidade; Combinatória

27 Um exemplo de currículo que siga as atuais Diretrizes: RESUMO DA CARGA HORÁRIA DAS DISCIPLINAS DisciplinasC. H. Obrigatórias Conteúdo matemático Conteúdos complementares (Física, Estatística, Informática,...) Prática de ensino, estágio, monografia Área de educação Total parcial Eletivas Total geral nas disciplinas Outras atividades acadêmico-culturais Total do curso (no mínimo)2800


Carregar ppt "Há algo errado nas Licenciaturas ? Paulo Figueiredo Lima (Dmat/UFPE) Presidente da SBEM 1 o. Colóquio em Epistemologia e Pedagogia das Ciências no Ensino."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google