A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Disciplina: Psicologia Empresarial Professora: Silvia Lorenzoni Perim

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Disciplina: Psicologia Empresarial Professora: Silvia Lorenzoni Perim"— Transcrição da apresentação:

1 Disciplina: Psicologia Empresarial Professora: Silvia Lorenzoni Perim

2 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Chiavenato, I. Administração dos Novos Tempos O maior desafio das organizações é MOTIVAR pessoas! Conhecer a motivação humana é uma alternativa. Os gestores fundamentam suas práticas motivacionais nos estudos sobre motivação da área de Psicologia.

3 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Motivação é um traço de personalidade humana, presente em apenas algumas pessoas? Motivação é um traço de personalidade humana, presente em apenas algumas pessoas? Os desmotivados são preguiçosos ou indolentes? Os desmotivados são preguiçosos ou indolentes? MOTIVAÇÃO = interação indivíduo com a situação.

4 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES MOTIVAÇÃO Refere-se aos fatores que provocam, canalizam e sustentam o comportamento de um indivíduo Stoner e Freeman, 1985 Refere-se aos fatores que provocam, canalizam e sustentam o comportamento de um indivíduo Stoner e Freeman, 1985 A motivação de um funcionário reflete-se na quantidade de tempo e na atenção dedicadas às suas atividades Lévy-Leboyer, 1990 A motivação de um funcionário reflete-se na quantidade de tempo e na atenção dedicadas às suas atividades Lévy-Leboyer, 1990

5 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES MOTIVAÇÃO Direção do comportamento (objetivos); Direção do comportamento (objetivos); Força e intensidade do comportamento (esforço); Força e intensidade do comportamento (esforço); Duração e persistência do comportamento (necessidade). Duração e persistência do comportamento (necessidade).

6 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Motivação: Desejo de exercer altos níveis de esforço em direção a determinados objetivos organizacionais, condicionados pela capacidade de satisfazer algumas necessidades individuais.

7 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES CICLO MOTIVACIONAL Carência/necessidades Equilíbrio Carência... Tensão que busca ser atenuada. Geração impulso Localização dos Objetivos Necessidade Carência interna pessoa

8 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES CICLO MOTIVACIONAL Necessidade não-satisfeita (carência) Tensão Impulso Comportamento dirigido para a meta Satisfação da necessidade Redução da Tensão

9 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Funcionários motivados estão sempre em estado de tensão. (Exemplo: estabelecimento de metas aos funcionários) É importante que as necessidades pessoais sejam compatíveis e consistentes com os objetivos organizacionais.

10 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Incentivo = Estímulo externo, recompensa Necessidade = Carência interna pessoal, motivo. Meta = Finalidade da direção na qual se dirige o comportamento. (objetivo individual)

11 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Desejo = Objetivo conscientemente visado pela pessoa Motivação = Processo que leva ao comportamento de atingir os objetivos organizacionais simultaneamente aos individuais

12 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 1 – Teoria da Hierarquia das Necessidades (Apesar da teoria de Maslow ( 1943 ) ser empírica e sem base científica, é amplamente aceita pelos administradores.) Auto- realização Estima Sociais Segurança Fisiológicas

13 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO Teoria das Necessidades de Maslow É a mais difundida. Cada pessoa possui uma hierarquia de cinco necessidades humanas. 1. Fisiológicas ( fome, sede, sono, sexo ) 2. Segurança ( proteção, busca estabilidade ) 3. Sociais ( afeição, aceitação social, integração com o outro ) 4. Estima ( auto-respeito, autonomia, senso de competência, status, reconhecimento) 5. Auto-realização (Crescimento pessoal e alcance do potencial)

14 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 2 – Teoria das Necessidades de Maslow O primeiro passo para se motivar uma pessoa é conhecer o nível da hierarquia que ela está focalizando. Qual o nível que está dominante? O primeiro passo para se motivar uma pessoa é conhecer o nível da hierarquia que ela está focalizando. Qual o nível que está dominante?

15 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 2 – Teoria das Necessidades de Maslow Enquanto não estiverem satisfeitas, as necessidades situadas mais na base da hierarquia permanecem predominantes na determinação do comportamento. Porém, quando satisfeitas, passam a não mais motivar. Enquanto não estiverem satisfeitas, as necessidades situadas mais na base da hierarquia permanecem predominantes na determinação do comportamento. Porém, quando satisfeitas, passam a não mais motivar. (A remuneração em algum momento passa a não ser fator de motivação) Nosso comportamento seria mobilizado pelas faltas? Necessidades satisfeitas não mais motivam?

16 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 2 – Teoria das Necessidades de Maslow A motivação pode estar baseada na deficiência ou no crescimento! Maslow estudou pessoas auto-realizadas e constatou que realizar atividades que traziam crescimento pessoal tornava as pessoas ainda mais desejosas de tais atividades.

17 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 2 – Teoria Higiene-Motivação Herzberg ( 1960 )(Teoria dos dois fatores: satisfação e insatisfação) Para Herzberg os fatores que geram satisfação são diferentes dos que geram insatisfação. Contexto do cargo Higiênicos ( relacionados a fontes de insatisfação ): Associados ao contexto/ambiente de trabalho

18 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO Higiênicos salário políticas e diretrizes relações com o superior, os colegas e os subordinados. condições ambientais de trabalho estilo de supervisão

19 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 2 – Teoria Higiene-Motivação Herzberg Herzberg Conteúdo do cargo Motivacionais ( Fontes de satisfação ): Relacionados com o conteúdo do trabalho. Relacionados com o conteúdo do trabalho. Ex: o trabalho em si, responsabilidade, crescimento e progresso, e realização pessoal.

20 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIA DE CONTEÚDO 2 – Teoria Higiene-Motivação Recebe críticas por basear-se em uma pesquisa numa pequena amostra e fazendo generalizações a partir dela. Simplifica demais a natureza da satisfação no trabalho. Recebe críticas por basear-se em uma pesquisa numa pequena amostra e fazendo generalizações a partir dela. Simplifica demais a natureza da satisfação no trabalho.

21 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES Exercício 1 Associe exemplos motivadores de sua vida pessoal e profissional a cada uma das cinco necessidades humanas de Maslow. Associe exemplos motivadores de sua vida pessoal e profissional a cada uma das cinco necessidades humanas de Maslow. Responder e entregar na aula! Responder e entregar na aula!

22 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO As teorias de conteúdo focam as necessidades e incentivos que geram o comportamento, já as de processo procuram verificar como o comportamento é ativado, dirigido, mantido e encerrado. As teorias de conteúdo focam as necessidades e incentivos que geram o comportamento, já as de processo procuram verificar como o comportamento é ativado, dirigido, mantido e encerrado. 1. ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS 2. REFORÇO 3. EQUIDADE 4. EXPECTÂNCIA

23 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO 1. ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS Edwin Locke define que trabalhar em direção a algum objetivo constitui uma grande fonte de motivação. Pois, os objetivos e metas influenciam o comportamento das pessoas. Objetivos mais difíceis Objetivos mais difíceis Objetivos Específicos Objetivos Específicos Oportunidade de participar Oportunidade de participar A retroação da tarefa A retroação da tarefa Capacitação e auto-eficácia Capacitação e auto-eficácia Comprometimento com os objetivos Comprometimento com os objetivos

24 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS Objetivos mais difíceis Conduzem melhor o desempenho desde que usado com bom senso. Conduzem melhor o desempenho desde que usado com bom senso. Objetivos Específicos Favorecem o desempenho, pois a imprecisão ou generalização não focam os resultados. (Faça o melhor possível ou venda seis carros por semana?) Favorecem o desempenho, pois a imprecisão ou generalização não focam os resultados. (Faça o melhor possível ou venda seis carros por semana?)

25 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS Oportunidade de participar A participação melhora o nível de aceitação dos objetivos, mesmo que haja imposição de objetivos difíceis. Gera maior comprometimento. A participação melhora o nível de aceitação dos objetivos, mesmo que haja imposição de objetivos difíceis. Gera maior comprometimento. A retroação da tarefa Conhecer os resultados motiva as pessoas. A retroação interna ou autogerada permite que o funcionário monitore seu próprio progresso, sendo melhor do que a gerada externamente pelo chefe. Conhecer os resultados motiva as pessoas. A retroação interna ou autogerada permite que o funcionário monitore seu próprio progresso, sendo melhor do que a gerada externamente pelo chefe.

26 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS Capacitação e auto-eficácia A capacitação dá segurança ao indivíduo e a crença a respeito de seu próprio desempenho é auto- eficaz. Um alimenta o outro. A capacitação dá segurança ao indivíduo e a crença a respeito de seu próprio desempenho é auto- eficaz. Um alimenta o outro. O comprometimento com os objetivos É favorecido pela participação e aceitação dos objetivos, pois a pessoa se torna proprietária dos mesmos. É favorecido pela participação e aceitação dos objetivos, pois a pessoa se torna proprietária dos mesmos.

27 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO ESTABELECIMENTO DE OBJETIVOS Ao estabelecer um objetivo, o mesmo atua como um estímulo interno e orienta melhor o comportamento da pessoa. Portanto, para Locke a formulação de objetivos difíceis e específicos constitui poderosa força motivadora.

28 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO REFORÇO Enquanto a teoria do estabelecimento de objetivos é uma abordagem cognitiva a do Reforço é comportamental. Lei do Efeito, Thorndyke BEHAVIORISMO 1. Reforço Positivo – Reforçar comportamento desejável 2. Reforço Negativo - Reforçar comportamento desejável evitando uma consequência desagrádavel 3. Extinção - eliminar comportamento indesejável removendo consequência agradável 4. Punição – eliminar comportamento indesejável aplicando consequência desagradável

29 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO REFORÇO Produção de alta qualidade Alcança objetivos de produção Com zero defeitos 1 Encoraja funcionário e recomenda prêmio 2 Deixa de reclamar e exigir Alcança objetivos de Produção com muitos defeitos 3 Não encoraja e Nem recompensa 4 Adverte o funcionário

30 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO EQUIDADE Contribuições (Esforços) X Recompensas É comum os funcionários se compararem uns com os outros. Quando um empregado descobre ineqüidade pode se comportar: Quando um empregado descobre ineqüidade pode se comportar: Reduzindo seu esforço de trabalho; mantendo a quantidade de trabalho, mas reduzindo a qualidade; saindo da organização. Reduzindo seu esforço de trabalho; mantendo a quantidade de trabalho, mas reduzindo a qualidade; saindo da organização.

31 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO EXPECTÂNCIA Esforço Desempenho Recompensa Objetivos Pessoais Esforço Desempenho Recompensa Objetivos Pessoais A teoria é contingencial ( indeterminado, incerto, hipotético, relativo ), pois a motivação para o trabalho é determinada pela percepção do indivíduo quanto às relações entre esforço e desempenho e a atratividade das várias recompensas associadas de acordo com os níveis de desempenho.

32 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO EXPECTÂNCIA Comportamento DinheiroPromoçãoBenefícios Aprovação do Chefe Aprovação Do grupo Satisfação Pessoal Produtividade

33 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES TEORIAS DE PROCESSO EXPECTÂNCIA Recompensas Recompensas Extrínsecas X Intrínsecas Retorno positivamente Retornos positivamente avaliados dados ao avaliados recebidos pelo indivíduo por fonte(s) indivíduo como resulta- externa(s) ao seu do direto do desempenho esquema na tarefa Exemplo:Sentido de de trabalho. realização após executar uma tarefa desafiadora. uma tarefa desafiadora.

34 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES MODELOS INTEGRADOS DE MOTIVAÇÃO Tanto a teoria da Expectância quanto à de Equidade se importam com as necessidades humanas. Existem três aspectos básicos que devem ser utilizados pelo gestor para obtenção de um desempenho excelente das pessoas. O conhecimento da motivação humana; O conhecimento da motivação humana; A capacitação das pessoas ( treinamento, orientação, liderança ) A capacitação das pessoas ( treinamento, orientação, liderança ) Oportunidades de desafios para que elas apliquem seus conhecimentos. Oportunidades de desafios para que elas apliquem seus conhecimentos.

35 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES APLICAÇÕES PRÁTICAS DAS TEORIAS DE MOTIVAÇÃO RECOMPENSAS MONETÁRIAS RECOMPENSAS MONETÁRIAS Constituem uma aplicação da teoria de Maslow sobre as necessidades de nível mais baixo. Constituem uma aplicação da teoria de Maslow sobre as necessidades de nível mais baixo. O dinheiro é um excelente motivador, pois pode comprar todas as coisas. É um resultado de primeiro nível que permite a satisfação de outros resultados de segundo nível. Funciona como um redutor de ansiedade, consolidação da autoconfiança. O dinheiro é um excelente motivador, pois pode comprar todas as coisas. É um resultado de primeiro nível que permite a satisfação de outros resultados de segundo nível. Funciona como um redutor de ansiedade, consolidação da autoconfiança.

36 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES APLICAÇÕES PRÁTICAS DAS TEORIAS DE MOTIVAÇÃO ENRIQUECIMENTO DE TAREFAS ENRIQUECIMENTO DE TAREFAS Ajuste da tarefa continuamente ao progresso do funcionário: Atribuição de atividades crescentemente mais complexas ou importantes (vertical) e Migração para tarefas diferentes, mas com a mesma complexidade. Maneiras de enriquecer tarefas: Novas aprendizagens, retroação direta (retorno sobre o desempenho), responsabilidade pessoal, singularidade. Ajuste da tarefa continuamente ao progresso do funcionário: Atribuição de atividades crescentemente mais complexas ou importantes (vertical) e Migração para tarefas diferentes, mas com a mesma complexidade. Maneiras de enriquecer tarefas: Novas aprendizagens, retroação direta (retorno sobre o desempenho), responsabilidade pessoal, singularidade.

37 MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES APLICAÇÕES PRÁTICAS DAS TEORIAS DE MOTIVAÇÃO MODIFICAÇÃO SEMANA TRABALHO - FLEXIBILIZAÇÃO MODIFICAÇÃO SEMANA TRABALHO - FLEXIBILIZAÇÃO Melhora o desempenho e a satisfação dos empregados. Exemplo: redução dos dias de trabalho na semana.(pág. 619) Melhora o desempenho e a satisfação dos empregados. Exemplo: redução dos dias de trabalho na semana.(pág. 619)


Carregar ppt "Disciplina: Psicologia Empresarial Professora: Silvia Lorenzoni Perim"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google