A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DESCONTAMINAÇÃO DESINFETANTES MAIS UTILIZADOS REVISÃO CONCEITUAL DESINFECÇÃO: É A ELIMINAÇÃO DE MICROORGANISMOS PATOGÊNICOS NA SUA FORMA VEGETATIVA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DESCONTAMINAÇÃO DESINFETANTES MAIS UTILIZADOS REVISÃO CONCEITUAL DESINFECÇÃO: É A ELIMINAÇÃO DE MICROORGANISMOS PATOGÊNICOS NA SUA FORMA VEGETATIVA."— Transcrição da apresentação:

1

2 DESCONTAMINAÇÃO DESINFETANTES MAIS UTILIZADOS

3 REVISÃO CONCEITUAL DESINFECÇÃO: É A ELIMINAÇÃO DE MICROORGANISMOS PATOGÊNICOS NA SUA FORMA VEGETATIVA.

4 DESCONTAMINAÇÃO IMPORTÂNCIA

5 PORQUÊ LIMPAR OS ARTIGOS QUE SERÃO ESTERILIZADOS?

6

7 LIMPEZA LIMPEZA É A REMOÇÃO FÍSICA DA SUJIDADE. REALIZADA COM ÁGUA E SABÃO OU DETERGENTE. PODE SER MANUAL OU AUTOMÁTICA E POR AÇÃO MECÂNICA.

8 LIMPEZA CONSTITUI A 1ª E A MAIS IMPORTANTE ETAPA PARA A EFICÁCIA DOS PROCEDIMENTOS DE DESINFECÇÃO OU ESTERILIZAÇÃO DOS ARTIGOS, POIS, SE NÃO FOR ADEQUADA, A DESINFECÇÃO E A ESTERILIZAÇÃO NÃO SERÃO EFICAZES.

9 OBJETIVOS A) REMOÇÃO DA SUJIDADE, B) REMOÇÃO OU REDUÇÃO DE MICROORGANISMOS, C) REMOÇÃO OU REDUÇÃO DE SUBSTÂNCIAS PIROGÊNICAS.

10 TIPOS 1) ALTO NÍVEL: MATA TODAS AS FORMAS DE MICROORGANISMOS VEGETATIVOS E UM ALTO NÚMERO DE ESPOROS.

11 TIPOS 2) NÍVEL INTERMEDIÁRIO: NÃO MATA ESPOROS, INATIVA FORMAS BACTERIANAS VEGETATIVAS, MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS, FUNGOS, VRUS LIPÍDICOS DE PEQUENO E MÉDIO TAMANHO.

12 TIPOS 3) BAIXO NÍVEL: NÃO DESTRÓI ESPOROS, MYCOBACTERIUM TUBERCULOSIS, NEM PEQUENOS VÍRUS NÃO LIPÍDICOS.

13 EPI(s) O USO DESSES EQUIPAMENTOS, SE REFERE Á PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO DE INFECÇÕES ATRAVÉS DO CONTATO COM MATERIAL BIOLÓGICO, E É INDISPENSÁVEL PARA A SEGURANÇA OCUPACIONAL.

14 EPI(s)EPI(s) GORRO, MÁSCARA ADEQUADA, LUVA DE BORRACHA, BOTA DE BORRACHA, ÓCULOS DE PROTEÇÃO E AVENTAL.

15 DETERGENTE É UM SABÃO. PROMOVE A ELIMINAÇÃO DAS IMPUREZAS OU SUJEIRAS RETIDAS EM UM MEIO SÓLIDO. PODE SER SÓLIDO OU LÍQUIDO.

16 DESINCROSTANTES SÃO DETERGENTES CONCENTRADOS QUE FREQUENTEMENTE ATACAM OS METAIS PROVOCANDO A OXIDAÇÃO. NÃO SÃO DESINFETANTES.

17 DESINFETANTE AGENTE OU PRODUTO QUÍMICO PRÓPRIO PARA DESTRUIR OS MICROORGANISMOS.

18 TIPOS DE DESINFETANTES 1) ÁLCOOL. 2) GLUTARALDEÍDO. 3) HIPOCLORITO.

19 I) ÁLCOOL A) MECANISMO DE AÇÃO: - RUPTURA DA MEMBRANA CELULAR, - DESTRUIÇÃO DAS PROTEÍNAS COM SUBSEQUENTE INTERFERÊNCIA NO METABOLISMO E DIVISÃO CELULAR.

20 ESPECTRO DE AÇÃO RÁPIDO E AMPLO ESPECTRO DE AÇÃO EM BACTÉRIAS VEGETATIVAS, VÍRUS E FUNGOS, MAS NÃO É ESPORICIDA.

21 OBSERVAÇÃO: UM MINUTO E FRICÇÃO DAS MÃOS É TÃO EFICAZ QUANTO 4 A 7 MINUTOS DE PREPARAÇÃO DA PELE COM OUTROS ANTI-SÉPTICOS, NA REDUÇÃO DO NÚMERO DE BACTÉRIAS NA PELE.

22 I) ÁLCOOL É UM ANTI-SÉPTICO CAPAZ DE DESTRUIR MICROORGANISMOS EXISTENTES EM TECIDOS VIVOS.

23 TIPOS A) ÁLCOOL – ETÍLICO => 70% B) ÁLCOOL ISOPROPÍLICO => 92%

24 INDICAÇÕES COMO ANTI- SÉPTICO - 1) DEGERMAÇÃO DAS MÃOS DA EQUIPE ENTRE PROCEDIMENTOS, NA IMPOSSIBILIDADE DA LAVAGEM DAS MÃOS,

25 INDICAÇÕES COMO ANTI- SÉPTICO - 2) PARA PELE EM PROCEDIMENTOS DE BAIXO E MÉDIO RISCO, - 3) ANTES DE COLOCAR LUVAS.

26 INDICAÇÕES DO ÁLCOOL 70% COMO DESINFETANTE

27 COMPATIBILIDADE COM MATERIAIS: INDICADO PARA SUPERFÍCIES EXTERNAS DOS MATERIAIS, MATERIAIS DE VIDRO, EQUIPAMENTO ELÉTRICO, A BATERIA E A NITROGÊNIO(serras, motores,etc.).

28 OBSERVAÇÃO NOS MATERIAIS E EQUIPAMENTOS A FRICÇÃO DEVE SER POR 3 MINUTOS.

29 DESVANTAGEM RESSECA PLÁTICO E BORRACHA.

30 II) GLUTARALDEÍDO AÇÃO GERMICIDA: ALTERAÇÃO DO RNA, DNA E SÍNTESE PROTEICA.

31 APLICAÇÃO E INDICAÇÃO A) DESINFETANTE DE ALTO NÍVEL, MAIS UTILIZADO PARA MATERIAIS TERMO-SENSÍVEIS.

32 TEMPO DE EXPOSIÇÃO: * CONFORME ORIENTAÇÃO DO FABRICANTE. POUCOS MINUTOS: ATIVO CONTRA A MAIOR PARTE DOS VÍRUS. 8 A 10H: AÇÃO MAIOR CONTRA FORMAS ESPORULADAS.

33 B) ESTERILIZAÇÃO A FRIO: VARIAÇÃO SEGURA DE NO MÍMINO 08 A 10H.

34 INDICAÇÕES: 1) MATERIAIS ENDOSCÓPICOS. 2) MATERIAIS QUE ENTRAM EM CONTATO COM A ÁRVORE TRAQUEOBRÔNQUICA (VAS).

35 VANTAGEM AMPLO ESPECTRO DE AÇÃO QUE PERMITE A UTILIZAÇÃO SEGURA PARA PACIENTES, INDEPENDENTEMENTE DO TIPO DE PATOLOGIA.

36 DESVANTAGEM TOXICIDADE PARA MANIPULAÇÃO PELOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE. IMPREGNA MATÉRIA ORGÂNICA NO MATERIAL.

37 TEMPO DE EXPOSIÇÃO MATERIAL VAS => 30. VÍRUS HIV => 1 A 2 [ ] DE 1%. VÍRUS HBV => 5 A 2%.

38 EFEITOS POTENCIAIS Á SAÚDE: 1) INALAÇÃO CAUSA IRRITAÇÃO AO TRATO RESPIRATÓRIO. OS SINTOMAS INCLUEM TOSSE E AUMENTO DA FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA.

39 2) CONTATO COM A PELE: PODE CAUSAR: - DOR, - VERMELHIDÃO, - IRRITAÇÃO SEVERA OU QUEIMADURAS.

40 3) CONTATO COM OS OLHOS: - IRRITAÇÃO, - VERMELHIDÃO, E - DOR. * PODE RESULTAR EM CEGUEIRA TEMPORÁRIA OU PERMANENTE.

41 EXPOSIÇÃO CRÔNICA: A EXPOSIÇÃO CRÔNICA PODE PREJUDICAR A PELE.

42 III) HIPOCLORITO DE SÓDIO APLICAÇÃO: QUANTO MAIOR A CONCENTRAÇÃO E O TEMPO, MAIOR O ESPECTRO DE AÇÃO, PODENDO SER UTILIZADO COMO DESINFETANTE DE BAIXO A ALTO NÍVEL.

43 ESPECTRO DE AÇÃO TEM AMPLO ESPECTRO DE AÇÃO, CHEGANDO A TER AÇÃO SOBRE ESPOROS DO B. SUBTILLIS. É MAIS UTILIZADO EM CONCENTRAÇÕES DE ppm.

44 UTILIZAÇÃO - BORRACHAS E EXTENSÕES. - MATERIAIS DE TERAPIA RESPIRATÓRIA.

45 CARACTERÍSTICAS - É O DESINFETANTE MAIS UTILIZADO. - APRESENTA AÇÃO RÁPIDA - BAIXO CUSTO. - É CONSIDERADO PREJUDICIAL AO AMBIENTE.

46 PREPARO DA SOLUÇÃO * SEMPRE A 1%. ( ppm) OBSERVAR A CONCENTRAÇÃO DE CLORO ATIVO NO RÓTULO DA EMBALAGEM.

47 FÓRMULA PPM x 1000 ML X = PPM x 1000 ML 10 x % DE CLORO ATIVO X= x QUANTIDADE DE SOLUÇÃO QUE QUERO PREPARAR 10 x [ ] DE CLORO ATIVO DA EMBALAGEM.

48 ONDE: X => QUANTIDADE DE HIPOCLORITO EM ML QUE SERÁ NECESSÁRIO PARA PREPARAR A QUANTIDADE DE SOLUÇÃO PREVISTA. NÃO ESQUECER QUE ESTE VALOR TEM QUE SER DESCONTADO DA QUANTIDADE DA SOLUÇÃO PREVISTA, PARA SABER QUAL A QUANTIDADE DE ÁGUA QUE SERÁ COLOCADA.

49 EXEMPLO PREPARAR 10 LITROS DE SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO A 1% SENDO QUE DISPONHO DE FRASCO DE HIPOCLORITO NA CONCENTRAÇÃO DE 3,2 % DE CLORO ATIVO.

50 ENTÃO: X = x x 3,2 X = => ML 32

51 ENTÃO: PARA PREPARAR 10 LITROS DE SOLUÇÃO DE HIPOCLORITO DE SÓDIOA 1 %, SÃO NECESSÁRIOS ML DE HIPOCLORITO E ML DE ÁGUA.

52 DETERGENTE ENZIMÁTICO É UM COMPLEXO ENZIMÁTICO. CONTÊM ENZIMAS NA SUA FORMULAÇÃO => TÊM O PODER DE ACELERAR O PROCESSO DE QUEBRA DA DA MATÉRIA ORGÂNICA IMPREGNADA NO MATERIAL.

53 ENZIMAS SÃO SUBSTÂNCIAS BIOQUÍMICAS DE ESTRUTURA PROTEICA QUE TÊM A PROPRIEDADE DE PROMOVER TRANSFORMAÇÕES ESPECÍFICAS EM OURAS SUBSTÂNCIAS BIOQUÍMICAS, COMO AS PROTEÍNAS, GORDURAS CARBOHIDRATOS E AÇÚCARES.

54 - TÊM O PODER DE ACELERAR O PROCESSO DE QUEBRA DA MATÉRIA ORGÂNICA IMPREGNADA NO MATERIAL, FACILITANDO SUA REMOÇÃO E ELIMINAÇÃO COM RAPIDEZ E EFICIÊNCIA.

55 AÇÃO DAS ENZIMAS AÇÃO DAS ENZIMAS PROMOVEM A QUEBRA DA MATÉRIA ORGÂNICA (SANGUE, PUS, SUOR, SALIVA, MUCO, ETC) QUE ESTÃO IMPREGNADOS NOS MATERIAIS.

56 TIPOS DE ENZIMAS 1) PROTEASES: DECOMPÕEM AS PROTEÍNAS. 2) AMILASES E CARBOHIDRASES: DECOMPÕEM OS POLISSACARÍDEOS (AÇÚCARES COM MOLÉCULAS MUITO GRANDES). 3) LIPASES: DECOMPÕEM AS GORDURAS.

57 CARACTERÍSTICAS 1- ATÓXICO: NÃO IRRITANTE DA MUCOSA NASAL, DÉRMICO E OCULAR. 2- PRATICIDADE: DILUIÇÃO ÚNICA E ECONÔMICA => FACILITA A PADRONIZAÇÃO E EXECUÇÃO DAS ROTINAS.

58 3- CORROSIVIDADE: O PRODUTO NÃO DEVE CAUSAR DANOS AOS EQUIPAMENTOS E MATERIAIS, INCLUSIVE ENDOSCÓPICOS. 4- BIODEGRADÁVEL: DECOMPOSIÇÃO RÁPIDA EM MOLÉCULAS SIMPLES. (NÃO SE ACUMULAM).

59 5- BAIXO CUSTO: FACILITAR A IDENTIFICAÇÃO DO CUSTO POR LITRO DILUÍDO DO PRODUTO.


Carregar ppt "DESCONTAMINAÇÃO DESINFETANTES MAIS UTILIZADOS REVISÃO CONCEITUAL DESINFECÇÃO: É A ELIMINAÇÃO DE MICROORGANISMOS PATOGÊNICOS NA SUA FORMA VEGETATIVA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google