A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Www.dalvasantana.com Por que fazer gestão de estoques? Dalva Santanna www.dalvasantana.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Www.dalvasantana.com Por que fazer gestão de estoques? Dalva Santanna www.dalvasantana.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 Por que fazer gestão de estoques? Dalva Santanna

2 A cultura do estoque Homem das Cavernas... A Cigarra e a Formiga Guerra e pós-guerra (despensa) Período de alta inflação (freezer)

3 Importância do estoque na visão do varejo X fornecedores Ordem de importância Disponibilidade de produtos 1º Tempo de entrega 2 Cumprimento do prazo 3 Freqüência de entrega 4

4 Sistema de remediação de falhas 5 Flexibilidade 6 Apoio na entrega física 7 Sistemas de informação 8 Apoio pós-entrega 9

5 Problemas de Estoques Alto custo de manutenção Ocupação de ativos Mobilização de capital Falta de tempo na resposta ao mercado Risco do inventário se tornar obsoleto

6 Definição de estoques Os estoques são acúmulos de matérias-primas, insumos, componentes, produtos em processo e produtos acabados que aparecem em numerosos pontos por todos os canais logísticos e de produção na empresa. Ronald H. Ballou

7 ESTOQUE DE SEGURANÇA São as poucas unidades a mais, mantidas fisicamente disponíveis em um ponto de estocagem, para prever o caso em que a demanda excede à expectativa. Segurança no atendimento à demanda Atendimento da necessidade (não prevista) do cliente Calculados sobre variações estatísticas

8 ESTOQUE EM TRÂNSITO É o estoque que está em trânsito entre os pontos de estocagem ou de produção. Quanto maior à distância e menor a velocidade de deslocamento, maior será a quantidade de estoque em trânsito.

9 ESTOQUE OBSOLETO, MORTO ou REDUZIDO São as partes do estoque que se deterioram e têm sua validade vencida ou é furtada ou perdida Razões de investimento em: Prevenção de Perdas Segurança Ferramentas de Gestão Campanhas promocionais

10 Decisões relativas à gestão do estoque: Volume (quanto comprar?) Tempo (quando pedir?) Seleção (de quem comprar?) Custo (quanto pagar?) Qualidade (como aceitar?)

11 Empurrar: Aloca fornecimento para o cliente PUXAR: Reabastece o estoque baseado na necessidade Componentes da Gestão de Estoques: Controle Reposição Demanda Custo

12 Tempo de DEMANDA: Perpétua: alimentos Irregular: equipamentos de construção Terminada: peças de aeronaves Sazonal: condicionadores de ar

13 Demanda Independente Diversos clientes comprando individualmente, em pequenas frações da produção Demanda Derivada Dependente dos fatores externos à aquisição de produtos relacionados ao produto que está sendo comercializado. Ex. pneus de carro, cartucho de impressoras

14 Fatores para REPOSIÇÃO: Prazo de Entrega Níveis de Serviço Flutuações da demanda e do prazo de entrega Estoques de Segurança Número de reposições por período Conseqüência da Falta de Estoque

15 O varejo perde a venda em 42% das vezes 84% escolhem o local da compra de acordo com a disponibilidade de produtos na gôndola 41% quando não encontram o produto, visitam a concorrência 1% abandonam a loja, sem comprar nada 21% compram na próxima visita à loja Para a Indústria 31% migram para outra marca 2% levam outra versão do produto da mesma marca

16 Custos de manutenção de estoques - custo de espaço - custo de capital - custo de serviços ao cliente - custo de risco do estoque Custos de falta de estoque - custo das vendas perdidas - custo dos pedidos em aberto Custos de manutenção de estoques - custo de espaço - custo de capital - custo de serviços ao cliente - custo de risco do estoque Custos de falta de estoque - custo das vendas perdidas - custo dos pedidos em aberto

17 FUNÇÃO DO CONTROLE DE ESTOQUE A função do Controle de Estoque é maximizar o efeito lubrificante no feedback de vendas não realizadas, ajudando no ajuste do planejamento de produção.

18 A seguir estão relacionados alguns sistemas básicos de localização de estoques: Agrupar itens funcionalmente relacionados. Agrupar os itens de utilização semelhante (funcionalmente relacionados). Por exemplo, colocar todos os itens de ferragens na mesma área do deposito. O pessoal encarregado do deposito se torna familiarizado com as localizações dos itens.

19 Agrupar os itens de giro rápido. Se os itens de giro rápido são colocados perto da área de recebimento e embarque, o trabalho de move-los para dentro e para fora do estoque e´ reduzido. Itens de giro mais lento podem ser colocados em áreas mais remotas do deposito.

20 Agrupar itens fisicamente semelhantes. Os itens fisicamente semelhantes muitas vezes exigem suas próprias instalações de armazenamento e seu material de manuseio adequado. Itens acondicionados em pequenas embalagens podem exigir prateleiras, enquanto itens pesados, tais como pneus ou tambores, exigem instalações e equipamentos diferentes.

21 Colocar o estoque de trabalho e o estoque de reserva em locais separados. Quantidades relativamente pequenas de estoque de trabalho – aquele do qual são feitas às retiradas – podem ser posicionadas perto da área de entrega e de remessa, enquanto o estoque reserva, utilizado para repor o estoque de trabalho, pode ser colocado em um ponto mais remoto.


Carregar ppt "Www.dalvasantana.com Por que fazer gestão de estoques? Dalva Santanna www.dalvasantana.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google