A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Mestrado em Estudos de Linguagens Disciplina: Ambientes sociotécnicos para ensino/aprendizagem de línguas Edson de Freitas Pinto Sérgio José Batista Gomes.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Mestrado em Estudos de Linguagens Disciplina: Ambientes sociotécnicos para ensino/aprendizagem de línguas Edson de Freitas Pinto Sérgio José Batista Gomes."— Transcrição da apresentação:

1 Mestrado em Estudos de Linguagens Disciplina: Ambientes sociotécnicos para ensino/aprendizagem de línguas Edson de Freitas Pinto Sérgio José Batista Gomes 21 de setembro de 2011

2 NATIVOS DIGITAIS, IMIGRANTES DIGITAIS por Marc Prensky 2

3 Origem: Era da tecnologia digital – primeiras gerações (últimas décadas do século XX)

4 “Nós nunca compreenderemos a tecnologia precisamente da mesma forma que os nativos digitais compreendem. Esta distinção é crítica na educação, porque nós estamos em uma época em que todos os nossos alunos são nativos digitais, ao passo que nossos educadores, professores, administradores e planejadores curriculares são imigrantes digitais.” “Use Their Tools! Speak Their Language!” Marc Prensky, Março de Use_Their_Tools_Speak_Their_Language.pdf Use_Their_Tools_Speak_Their_Language.pdf Use_Their_Tools_Speak_Their_Language.pdf

5 Refugiados: ignoram a tecnologia ou a negam, agindo como se ela não existisse. Voyeurs: conhecem a existência da tecnologia, mas não as utilizam. Imigrantes: participam nas redes digitais, porém de modo limitado. Nativos: adotam de modo intenso a tecnologia em sua vida diária. Tipologia proposta por Wesley Fryer

6 Atualidade: Os estudantes da atualidade são diferentes. Os professores terão de conhecer o perfil do estudante digital para dar início a uma nova etapa no processo de ensino-aprendizagem.

7 Cotidiano/ambiente do novo estudante digital:  computadores;  jogos de vídeo/computador;  aparelhos de música digital;  câmaras digitais;  telemóveis;  redes sociais;  ;  Internet;  outros aparelhos e instrumentos digitais.

8 Características dos “novos alunos”:  recebem informação muito rápido;  gostam de ações paralelas/múltiplas;  preferem gráficos a textos;  apreciam acessos aleatórios – hipertextos;  gostam de trabalhar em rede;  precisam de respostas/elogios instantâneos e recompensas frequentes;  preferem jogos a trabalho.

9 PARTINDO DA ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DE UM NATIVO DIGITAL PODEMOS TENTAR ESBOÇAR O PERFIL DO NOVO ESTUDANTE DIGITAL.

10 PERFIL DO ESTUDANTE DIGITAL :  Capacidade de comunicação: o jovem comunica muito e com diferentes interlocutores em simultâneo, abandonando as formas tradicionais de comunicação, como a carta.  Interesse pela partilha: o jovem utiliza a internet para partilhar emoções e a sua própria intimidade. Esta partilha emocional torna-se mais importante que a partilha intelectual.

11  Desejo de criar: são adeptos de construir sítios, filmes, avatares, e outros mundos…utilizando ferramentas poderosas e inovadoras,  Prazer em trocar: (música, filmes…) este prazer está relacionado com a necessidade de exprimir a sua própria personalidade,  Habilidade para coordenar e gerir o trabalho em grupo: o aluno tem capacidade para gerir o trabalho em diferentes projetos em simultâneo e com diferentes parceiros, tal como o faz nos jogos interativos.

12  Necessidade de avaliar: para se poder confiar e acreditar em quem não se conhece na internet, há a necessidade de avaliar sítios e comportamentos on line,  Motivação para aprofundar a aprendizagem: o jovem, quando interessado numa temática, tem ao seu dispor um mundo de informação e recursos para explorar, o que torna a aprendizagem muito estimulante.

13  Habilidade para pesquisar e filtrar informação essencial: habituado a buscar muita informação ao mesmo tempo, o jovem adquire esta habilidade,  Prazer em transmitir informação: adoram reencaminhar a informação e, mais uma vez, partilhar tudo o que têm ou encontram numa perspectiva de “Sharing Knowledge is Power”,  Capacidade de evoluir e de se adaptar: o jovem sempre modifica a sua forma de lidar com a tecnologia para facilitar a sua vida (neuroplasticidade e maleabilidade).

14 O PROFESSOR IMIGRANTE DIGITAL  Prefere a oferta de informação lenta e controlada, de fontes limitadas.  Prefere processamento linear e tarefas únicas ou limitadas.  Prefere oferecer texto ao invés de figuras, som e vídeo.  Prefere oferecer informação de forma linear, lógica e sequencial.

15  Prefere que os estudantes trabalhem independemente ao invés de interagir em rede,  Prefere adiar a gratificação e as recompensas,  Prefere ensinar o que está no currículo e testes padronizados.

16 Os professores que atuam na escola e possuem mais de vinte anos são imigrantes no ciberespaço. Ou seja, nasceram em outro meio e aprenderam a construir conhecimento de forma diferente do que esta geração denominada de “nativos” o faz. (Prensky, 2007)

17 Como ensinar os estudantes digitais? Metodologia: o ser mais rápido e sucinto a transmitir a informação; transmitir a informação; o utilizar ações paralelas; o usar acessos aleatórios; o organizar trabalho em grupo; grupo; o permitir a partilha; o estimular a criatividade.

18 Conteúdos: Objetivoconseguir uma amálgama de saberes tradicionais Objetivo: conseguir uma amálgama de saberes tradicionais (“legacy”) com novos saberes (“future”). (“legacy”) com novos saberes (“future”). Saberes tradicionais: leitura e escrita;  leitura e escrita;  Aritmética;  Pensamento lógico;  Compreensão dos textos e das ideias do passado; Novos saberes: mundo digital; tecnologia. tecnologia.

19 Recursos: -Materiais adaptados à linguagem dos estudantes digitais; -Elaborar jogos de computador e outros tipos de software para qualquer conteúdo e disciplina; -Pedir ajuda aos próprios estudantes digitais para participarem da invenção de novas metodologias para o ensino de qualquer matéria ou nível escolar.

20 Os analfabetos do século XXI não serão aqueles que não conseguem ler e escrever, mas aqueles que não conseguem aprender, desaprender e reaprender. Alvin Toffler

21 Conclusão: O futuro já chegou. O futuro já chegou. A Escola tem de mudar. A Escola tem de mudar. Vamos fazê-lo! Vamos fazê-lo!

22

23 Bibliografia: PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants parts I & II. On the Horizon, MCB University Press. v. 9. n. 5, PRENSKY, M. Digital natives, digital immigrants parts I & II. On the Horizon, MCB University Press. v. 9. n. 5,


Carregar ppt "Mestrado em Estudos de Linguagens Disciplina: Ambientes sociotécnicos para ensino/aprendizagem de línguas Edson de Freitas Pinto Sérgio José Batista Gomes."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google