A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Associativismo e Cooperativismo Aula 1 ESTABELECENDO REDES DE COOPERAÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Associativismo e Cooperativismo Aula 1 ESTABELECENDO REDES DE COOPERAÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 Associativismo e Cooperativismo Aula 1 ESTABELECENDO REDES DE COOPERAÇÃO

2 2 Cooperação Ato ou efeito de cooperar; Cooperar  atuar, juntamente com outros, para um mesmo fim; contribuir com trabalho, esforços, auxílio; colaborar. Cooperação  Busca de Ganhos Competitivos que dificilmente seriam obtidos pela ação individual. As pressões exercídas pelo ambiente competitivo servem como estímulo à busca de cooperação como forma de gerar soluções coletivas.

3 3 Quais são as principais condições para o estabelecimento de uma rede de cooperação Coerência  Objetivos Comuns; Conectividade  capacidade de operar em um ambiente de rede  Interação entre agentes; Coordenação  estrutura que possibilite a coordenação entre os diversos agentes.

4 4 Condições para o Estabelecimento da Cooperação Figura 1 – Obtenção de Ganhos Competitivos Objetivos Comuns Ganhos Competitivos Gestão Interação

5 5 Objetivos Comuns Interesses convergentes entre os atores participantes; Objetivos comuns são, com efeito, os antecedentes que facilitam o surgimento de um ambiente de cooperação em torno de interesses representativos de todos. Ex:  Acessar recursos tangíveis e intangíveis;  Exercer assimetria de poder  Empoderamento;  Lobby  pressão de um grupo organizado;  Poder de Barganha.  Buscar reciprocidade  Comprar-Vender;  Ganhar eficiência  Reduzir Custos;  Alcançar estabilidade  Incerteza e Competição;  Conquistar legitimidade  Forte reputação no mercado;  Obter flexibilidade  velocidade e adaptabilidade.

6 6 Interação A interação emerge quando dois ou mais participantes se conectam; A conectividade (capacidade de interligar) pode ser representada pela intensidade e pela frequência da comunicação; Realiza-se por meio de recurso tecnológicos (TIC – tecnologia de informação e comunicação) e da comunicação face-a-face.

7 7 Fortalecer a Interação Pessoal Identidade: refere-se às imagens mentais que são criadas em relação aos outros participantes. Complexidade: Grande parte da interação depende não só de que é dito, mas também da maneira como se dá essa interação. Assim, várias formas de linguagem ocorrem simultaneamente, como as expressões corporais e faciais. Autenticidade: A mentira, a fraude, a sabotagem e outras ações oportunistas tornam-se mais fáceis de se perceber.

8 8 Entendendo a Rede Entender as redes por meio da interação entre indivíduos na busca de um determinado objetivo. Obter os melhores empregos? (p. 157)  Enviar currículos?  Múltiplos processos seletivos?  Indicação de outros profissionais? WASSERMAN, Stanley;FAUST, Katherine. Social network analysis. USA: Cambridge University Press, 1994.

9 9 Laços Fortes e Fracos Laços Fortes: Interações que ocorrem repetidamente por longos períodos de tempo e que, por isso, são mais intensas e geram maior proximidade. Laços Fracos: Interações pouco intensas, distantes e menos frequentes; As oportunidades não decorrem dos laços fortes.

10 10 Rede e Estrutura Relacional

11 11 Atributos de Interação Densidade; Cliques; Equivalência Estrutural; Buraco Estrutural; Autonomia Estrutural; Centralidade; Proximidade Poder de Bonacich

12 12 Associativismo Caso Supermecado Portal (p. 154): BALESTRIN, Alsones; VERSCHOORE, Jorge. Redes de cooperação industrial: estratégias de gestão na nova economia. Porto Alegre: Bookman, 2008.


Carregar ppt "Associativismo e Cooperativismo Aula 1 ESTABELECENDO REDES DE COOPERAÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google