A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Efeitos do treinamento aeróbio nos participantes do projeto de reabilitação cardíaca e metabólica da Una da Saúde – Unisul. Luana Martins Rosa – Bolsista.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Efeitos do treinamento aeróbio nos participantes do projeto de reabilitação cardíaca e metabólica da Una da Saúde – Unisul. Luana Martins Rosa – Bolsista."— Transcrição da apresentação:

1 Efeitos do treinamento aeróbio nos participantes do projeto de reabilitação cardíaca e metabólica da Una da Saúde – Unisul. Luana Martins Rosa – Bolsista Art 170 – Pesquisa – Educação Física – Campus Tubarão Marcos Paulo Huber – Esp, Orientador Introdução Muito se tem comentado e divulgado sobre a importância do exercício físico para a prevenção e tratamento de doenças cardíacas, controle da diabete e redução de peso corporal. Os meios de comunicação de massa têm divulgado constantemente esta situação, enfatizando a importância de uma vida saudável para a manutenção do bem estar e qualidade de vida. Esta vida saudável somente será alcançada através de uma alimentação adequada, controle do estresse e realização sistemática e orientada de exercícios físicos. Um dos tipos de exercícios mais importantes para esta população é o exercício aeróbio, que é mais prolongado e em uma intensidade mais baixa. Desta forma, se torna evidente a preocupação em investigar os resultados e efeitos a longo prazo, em pessoas que participam de programas de treinamento para populações especiais. Tendo em vista esta situação surge uma indagação: É possível melhorar os níveis de Vo2 max através de treinamentos aeróbios como por exemplo a caminhada orientada? e verificar as mudanças ocorridas na media dos resultados a cada 12 semanas de atividade continuada. Objetivos Identificar as mudanças na potência aeróbia de idosos com exercícios aeróbios de caminhada após 36 semanas de treinamento; Verificar as mudanças ocorridas na media dos resultados a cada 12 semanas de atividade continuada. Metodologia Participaram da pesquisa 11 indivíduos, (5 homens e 6 mulheres), sedentários, com idade variando entre 55 e 71 anos, participantes de um projeto de reabilitação cardíaca e metabólica da universidade, testados pré, inter e pós intervenção de 36 semanas. Para avaliar a potência aeróbia máxima (VO2max) utilizou-se o teste de 1 milha (1600 metros) proposto pelo Rochport Walking Institute, (1986). O teste consiste em caminhar o percurso no menor tempo possível sem correr. Ao final do teste registra-se o peso corporal (kg), idade (anos completos), sexo, tempo para percorrer os 1600 metros e freqüência cardíaca ao final do teste (batimentos por minuto). Os indivíduos foram testados pré, inter e pós intervenção. O método escolhido para a montagem do programa foi a caminhada orientada, composto, a ser executado durante 36 semanas, 3 vezes por semana e duração de 30, 40 e 50 minutos. A intensidade da caminha foi estabelecida como moderada. A medida que o grupo foi evoluindo na execução da caminhada, as cargas de tempo foram aumentadas de 30 para 40 no segundo trimestre e de 40 para 50 no terceiro trimestre. Para a análise dos dados utilizou-se a média e a comparação com as tabelas com as normas para a classificação do Vo2 máx desenvolvidas pela American Hearth Association (ARAÚJO, 1986, apud PITANGA, 2004, p. 156) Mulheres Homens Resultados Conforme o gráfico 1 verifica-se que no decorrer do programa de treinamento aeróbio existiu uma melhora nas condições de utilização de oxigênio, uma vez que da 12ª semana até a 24ª semana houve uma melhora de 2,52, o que corresponde a um aumento dos níveis de vo2 max em 14,7 %. Quanto a diferença entre a 24ª semana até a 36ª semana percebeu-se uma diferença de 0,28 o que corresponde a um aumento de 1,5 %. Realizando um comparativo entre a 12ª semana e a 36ª semana observou-se uma melhora de 16,2 %.. Nota-se uma evolução quanto as menções que classificam as pessoas de acordo com seus níveis de Vo2, onde até a 12ª semana a grande maioria composta por 64% se encontrava classificada na menção Muito Fraco de acordo com Araújo, (1986, apud Pitanga, 2004, p. 156.). Após todo o processo de treinamento chegar até a 36ª semana observou- se que as mesmas pessoas agora se encontram na grande maioria composta por 55 % na menção razoável. Conclusões Através deste estudo podemos constatar que o treinamento aeróbio realizado em três sessões semanais com duração de mais de 30 minutos, pode trazer benefícios para a capacidade aeróbia aumentando a capacidade do organismo em consumir oxigênio, ou seja, pode acarretar melhoras nos níveis de Vo2 max. Observou-se que ocorreu uma melhora mais significativa nas primeiras 24 semanas, pois nas últimas duas semanas houve uma estabilização dos resultados, fato este ocorrido possivelmente porque as sessões de treinamento já não causavam mais as adaptações necessárias para um aumento significativa nos níveis de Vo2 max. Bibliografia ANTUNES, H. K.M. et al. Análise de taxa metabólica basal e composição corporal de idosos do sexo masculino antes e seis meses após exercícios de resistência. Rev Bras Med Esporte, v.11, n.1, Disponível em:. Acesso em: 14 Mar PITANGA, F. J. G. Testes, medidas e avaliação em educação física e esportes. 3 ed. São Paulo: Phorte, Apoio Financeiro: Unisul Artigo 170 Pesquisa


Carregar ppt "Efeitos do treinamento aeróbio nos participantes do projeto de reabilitação cardíaca e metabólica da Una da Saúde – Unisul. Luana Martins Rosa – Bolsista."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google