A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

AULA TÉCNICA 01 2006 INSTRUTOR: SCOPINO. SCOPINO TREINAMENTOS INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA: CFI AUTOLATINA AULA PARTE 1/3 INTRODUÇÃO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "AULA TÉCNICA 01 2006 INSTRUTOR: SCOPINO. SCOPINO TREINAMENTOS INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA: CFI AUTOLATINA AULA PARTE 1/3 INTRODUÇÃO."— Transcrição da apresentação:

1 AULA TÉCNICA INSTRUTOR: SCOPINO

2 SCOPINO TREINAMENTOS INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA: CFI AUTOLATINA AULA PARTE 1/3 INTRODUÇÃO

3 ENVIE SUAS DÚVIDAS À UMEC TEMOS PLANTÃO DE DÚVIDAS AO VIVO COM O INSTRUTOR SCOPINO NO FINAL DESTA AULA.

4 Já tivemos aulas sobre sistemas de injeção eletrônica: LE JETRONIC - SPI – MULTEC 700 Agora veremos: Injeção Eletrônica CFI - FIC Linha AUTOLATINA VW - FORD

5 CFI Trata-se de um sistema fabricado pela FIC (Ford Industria e Comércio), e com apenas um injetor para alimentar o motor de 4 cilindros. CFI = Central de Injeção de Combustível Não possui lâmpada de diagnóstico no painel, mas por ser um sistema digital, permite a comunicação via scanner ou até mesmo o códigos de piscadas, através de uma lâmpada colocada no conector de diagnósticos.

6 A ESTRATÉGIA BÁSICA SINAIS DE ENTRADA ECUECU SINAIS DE SAÍDA

7 ECU

8 A APLICAÇÃO Este sistema está aplicado na linha Autolatina (holding que incluía as linhas VW e FORD): Família GOL – PARATI Família ESCORT – LOGUS – POINTER – VERONA - PAMPA Família SANTANA – QUANTUN –ROYALE - VERSAILLES de 1994 à 1996 Trata-se de um sistema monoponto digital. Por questões de níveis de poluentes, não atende a FASE III do PROCONVE.

9 DETALHES NO VEÍCULO

10 O PRINCÍPIO Este sistema possui sensores e atuadores ligados à ECU, e por ser um sistema digital, é possível a substituição de sinal de todos os sensores (exceção o sensor de rotação / dentro do distribuidor), também possui códigos de falhas registradas em memória de defeitos passados e presentes através de scanner, ou pelo código de piscadas (colocando lâmpada no conector).

11 CHAVE DE IGNIÇÃO POSIÇÃO DA CHAVE FUNCION. DA BOMBA DE COMB. DEFINIÇÃO DO SISTEMA CONTATO LIGADO LIGADA POR 03 SEGUNDOS O.K. CONTATO LIGADO LIGADA CONTÍNUA FALHA GRAVE

12 DETALHE NA CENTRAL DE FUSÍVEIS

13 DETALHES DOS RELÉS NO ESCORT: VERDE= ECU MARROM= BOMBA

14 FUSÍVEL COM SOLDA FRIA

15 O FUNCIONAMENTO Neste sistema temos uma única válvula injetora, chamado de monoponto ou single point. É justamente o controle deste atuador o principal controlado pela ECU (60 pinos), o TI = Tempo de Injeção. A ECU recebe as informações de vários sensores, processa-as e comanda os atuadores, controlando a injeção e o mapeamento do ponto de ignição.

16 Neste sistema temos um módulo de ignição, que serve para comandar a bobina (fechamento do primário) enquanto a ECU não assume este mapeamento. O SHORTING PLUG serve como interruptor desta comunicação, portanto serve também para a regulagem do ponto de ignição. MÓDULO TFI

17 SHORTING PLUG

18

19 PERGUNTA QUAL É O PROCEDIMENTO PARA A REGULAGEM DO PONTO DE IGNIÇÃO ?

20 RESPOSTA.AQUECER O MOTOR.MANTER EM MARCHA LENTA.RETIRAR O SHORTING PLUG.COM A PISTOLA ESTROBOSCÓPICA AJUSTAR O PONTO ALTERANDO O DISTRIBUIDOR.REINSTALAR O PLUG

21 OBRIGADO PELO ACOMPANHAMENTO DAS AULAS. ATÉ A PRÓXIMA: INJEÇÃO ELETRÔNICA CFI – PARTE 2/3 Instrutor Scopino

22 E AGORA VAMOS AO VIVO AO PLANTÃO DE DÚVIDAS COM O SCOPINO UMEC – UNIVERSIDADE DO MECÂNICO


Carregar ppt "AULA TÉCNICA 01 2006 INSTRUTOR: SCOPINO. SCOPINO TREINAMENTOS INJEÇÃO ELETRÔNICA SISTEMA: CFI AUTOLATINA AULA PARTE 1/3 INTRODUÇÃO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google