A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Teoria Organizacional Módulo 3 – Comportamento Individual. Teorias de Motivação Prof Doutor Rodrigo Magalhães.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Teoria Organizacional Módulo 3 – Comportamento Individual. Teorias de Motivação Prof Doutor Rodrigo Magalhães."— Transcrição da apresentação:

1 1 Teoria Organizacional Módulo 3 – Comportamento Individual. Teorias de Motivação Prof Doutor Rodrigo Magalhães

2 2 Índice 1.Diferenças Individuais 2.Motivação e Factores Motivacionais 3.Caso prático – Sargento Young Anexo: Inteligência Emocional

3 3 1. Diferenças Individuais

4 4 Diferenças Individuais Em cada momento da sua vida, o indivíduo tenta dar sentido ao mundo com que se depara e a si próprio, como ser integrado nesse mundo. É, pois, importante reconhecer que cada pessoa vê o mundo de maneira diferente (i.e. diferenças cognitivas)

5 5 Diferenças Individuais Reconhecer que existem diferenças cognitivas individuais, é importante em dois sentidos: 1) O aumento do auto-conhecimento: conhecendo melhor as suas características próprias poderá melhor entender as suas tendências comportamentais, inclinações, aptidões. 2) O reconhecimento de que os outros têm formas diferentes de sentir, pensar e agir aumentará a sua tolerância e procura de formas de lidar produtivamente com estas diferenças, tornando-as úteis no trabalho.

6 6 Porque interpreta cada indivíduo a realidade de uma forma diferente? porque cada pessoa percebe o mundo de forma diferente Diferenças Individuais Definição de percepção Processo de organização e interpretação das experiências sensoriais, na tentativa de dar significado aos estímulos que chegam permanentemente ao indivíduo vindos do seu meio interno ou do ambiente que o rodeia

7 7 Porque é que cada pessoa percebe o mundo de forma diferente? porque a interpretação das experiências sensoriais varia de indivíduo para indivíduo, pois é influenciada por factores internos, tais como: fisiológicos emocionais cognitivos de personalidade Diferenças Individuais

8 8 Percepção Social a forma como a pessoa percebe o mundo à sua volta a partir da forma como interge com as outras pessoas ******* Erving Goffman (1959): a interacção social pode ser vista como sendo análoga ao desempenho teatral, em que os actores tentam, no desempenho do seu papel, produzir uma determinada imagem, que cause no espectador uma determinada impressão. Diferenças Individuais Cada pessoa percebe o mundo de forma diferente porque as percepções sociais também são diferentes

9 9 Diferentes interpretações da realidade Diferentes percepções Diferentes comportamentos Diferenças Individuais

10 10 Diferenças Individuais Competências individuais: aquilo que o indivíduo é capaz de compreender ou realizar Expectativas: crenças em relação às consequências de determinados actos ou situações Valores subjectivos: os valores sociais e culturais, que a pessoa interioriza como sendo mais os importantes para si Sistemas auto-reguladores: modo como a pessoa regula o seu próprio comportamento através do estabelecimento de objectivos para si própria Estratégias de codificação: modo como o indivíduo tende a interpretar as situações Estilo Cognitivo: forma como conceptualiza e tenta resolver os problemas Diferenças individuais no âmbito profissional

11 11 2. Motivação

12 12 Motivação O comportamento do homem pode ser analisado em função das necessidades que sente. As necessidade humanas transformam-se em estímulo para a acção e no sentido de as suprir. As necessidades insatisfeitas, transformam-se em fonte de motivação, gerando uma actividade intencional, no sentido da persecução de um objectivo.

13 13 Motivação: Um conjunto de forças energéticas que têm origem quer no indivíduo quer fora dele e que moldam o comportamento no trabalho, determinando a sua forma, direcção, intensidade e duração (Pinder, 1998 in Pina e Cunha et al, 2003:102) Motivação

14 14 A pirâmide de necessidades de Maslow Necessidades Básicas (Fisiológicas) Necessidades de Segurança Necessidades de Associação (Sociais, Pertença, Amor) Auto-estima (Ego-status) Auto- realização Motivação

15 15 A hierarquia das necessidades de Maslow Necessidades básicas: são aquelas que estão ligadas a interesses de sobrevivência ou fisiológicos. Necessidades de segurança: estabilidade, boas condições de higiene e segurança no trabalho, benefícios, assistência médica, reforma, etc. Necessidades de Associação: de relação com os seus pares, de participação em actividades de grupo. A partir destas desenvolvem-se sentimentos de afiliação, de integração na família organizacional, e de procura de um status. Motivação

16 16 A hierarquia das necessidades de Maslow Ego-status: busca de oportunidades em que se possa demonstrar a capacidade profissional, dando o máximo do esforço à organização e esperando como recompensa o reconhecimento dos outros. Auto-realização: preocupação com a auto-aprovação, procura de oportunidades para testar a capacidade, maximizar o potencial e criatividade. Motivação

17 17 Auto- realização Auto-estima Necessidades sociais, pertença, amor Segurança Necessidades Fisiológicas O trabalho própriamente dito Responsabilidade Crescimento pessoal Realização Reconhecimento Qualidade de relações inter- pessoais (c/ chefes, colegas e subordinados) Políticas da empresa Condições laborais Salário Hierarquia de necessidades de Maslow Teoria de dois- factores de Herzberg Factores higiénicos Motivadores Necessidades básicas Necessidades de alto nível Motivação

18 18 Teoria de Herzberg Herzberg pesquisou as fontes de motivação directamente relacionadas com a realização do trabalho. Constatou que: à medida em que as pessoas crescem, se desenvolvem, ganham maturidade e adquirem experiência pessoal, passam a dar mais importância a factores como a auto-estima e auto-realização. A motivação do homem no seu trabalho, depende de dois tipos de factores, cada um deles ligado a um tipo de necessidades: –Factores de Higiene ou Manutenção –Factores Motivacionais Motivação

19 19 Factores de Higiene ou Manutenção Quando o homem se sente insatisfeito com o seu trabalho vira a sua atenção para os factores do ambiente. Estes, não provocam crescimento na capacidade de produção, apenas impedem a insatisfação e as perdas na realização do empregado. Exemplos: Programa e administração, supervisão, condições de trabalho, relações interpessoais, dinheiro, segurança. Teoria de Herzberg Motivação

20 20 Factores motivacionais Traduzem: Fontes de satisfação Indicam : Sentimentos de realização Crescimento profissional Reconhecimento Oferecem: Desafio e amplitude Resultam em: Aumento da capacidade total de produção. Teoria de Herzberg Motivação

21 21 3. Caso Prático – Sargento Young

22 22 Anexo Inteligência Emocional

23 23 Formas de lidar com as diferenças inter-individuais no trabalho Para além dos factores cognitivos, os aspectos afectivos afectam também as atitudes em relação ao trabalho e os comportamentos a elas associados. As cognições dos indivíduos são influenciadas pelas suas emoções: há uma espécie de sabedoria instilada nas emoções. Os comportamentos dos indivíduos em situação de trabalho englobam, necessariamente, estas duas vertentes. Inteligência Emocional

24 24 Capacidade para conciliar emoções e razão: usar as emoções para facilitar a razão raciocinar inteligentemente acerca das emoções Embora as pessoas tenham diferentes capacidades podem, de uma forma consciente, lidar com as suas emoções e as de outras pessoas e gerí-las de modo funcional, quer em termos pessoais quer organizacionais. Os gestores que estão atentos aos seus próprios sentimentos e aos sentimentos dos outros, podem utilizar este conhecimento para melhorar o seu próprio desempenho e a interacção com os outros. Inteligência Emocional

25 25 Componentes da inteligência emocional 1. Auto-conhecimento: Estar aberto para sentir, desperto para reconhecer e consciente para controlar e utilizar as suas próprias emoções é a base para reconhecer as emoções dos outros e relacionar–se com o mundo em seu redor. O Auto-conhecimento fornece as bases para todos os outros componentes da inteligência emocional. Os gestores com um alto nível de auto-conhecimento, aprendem a intuir os sentimentos presentes em cada situação e a usar estas pistas para o esclarecimento dos problemas e a tomada de decisões. Inteligência Emocional

26 26 Componentes da inteligência emocional 2. Gestão das emoções: Não significa suprimir ou negar as suas emoções, mas entendê- las e utilizá-las para lidar com as situações produtivamente. Significa encontrar em cada situação o equilíbrio emocional necessário para poder pensar claramente e executar as suas tarefas. Para isso é necessário: Reconhecer os sentimentos presentes na situação Pensar acerca do que eles significam e a que estão ligados Pensar na forma como eles afectam a situação Escolher como agir. Inteligência Emocional

27 27 Componentes da inteligência emocional 3. Auto-motivação: Capacidade de se motivar a si próprio de forma a manter-se confiante e optimista apesar dos obstáculos, recuos, os mesmo falhas. É fundamental para alcançar objectivos a longo prazo, tanto na vida, como nos negócios. Inteligência Emocional

28 28 Componentes da inteligência emocional 4. Empatia: Significa ser capaz de se colocar no lugar do outro e reconhecer o que ele está a sentir, através dos seus sinais não verbais ( tom de voz, gestual, expressões faciais). A empatia é baseada na auto-confiança pois, estar atento ás suas próprias emoções torna mais fácil reconhecer as dos outros. Inteligência Emocional

29 29 Componentes da inteligência emocional 5. Competências sociais: Capacidade de estabelecer contacto com os outros, reagir às suas emoções e influenciá-los. Os gestores necessitam de competências sociais para compreender as relações interpessoais, lidar com os desacordos, gerir conflitos e levar as pessoas a perseguir juntas um objectivo comum. Inteligência Emocional


Carregar ppt "1 Teoria Organizacional Módulo 3 – Comportamento Individual. Teorias de Motivação Prof Doutor Rodrigo Magalhães."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google