A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Empresa Competitiva `Conhecer e satisfazer suas necessidades Comprometer toda a empresa, não só comercial Flexibilidade, resposta O cliente interno, o.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Empresa Competitiva `Conhecer e satisfazer suas necessidades Comprometer toda a empresa, não só comercial Flexibilidade, resposta O cliente interno, o."— Transcrição da apresentação:

1 Empresa Competitiva `Conhecer e satisfazer suas necessidades Comprometer toda a empresa, não só comercial Flexibilidade, resposta O cliente interno, o cliente externo e o ambiente CLIENTE Filosofía de prevenção e antecipação Desenvolver competências básicas Plano estratégico compartilhado com a equipe humana ESTRATEGIA Conservação da Tecnologia utilizada Introdução de melhoras à Tecnologia Gerar e introduzir Tecnologias Avançadas INOVAÇÃO Dirigir contando com as pessoas Descentralizar decisões Utilizar a inteligência de todos Utilizar capacidade de aprendizagem de todos EQUIPE COMPETITIVIDADE

2 Estratégia Tecnológica Balanço de Problemas Tecnológicos Plano Estratégico e Inovação Ferramentas de Avaliação Plano Tecnológico Aplicação de Tecnologia existente Projeto de Inovação Próprio Plano de colaboração Tecnológica conjunta: - Universidades - Centros Tecnológicos - Clientes - Fornecedores... Organização Conselho Tecnológico Mobilização de toda a Organização à Tecnologia

3 VALORIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PROJETOS FORMULAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA ANÁLISES DE RESULTADOS E DETECÇÃO DE NECESSIDADES GERÊNCIA DE PROJETOS SERVIÇOS E ASSISTÊNCIA TÉCNICA PROCESSO DE GT EM CENTROS DE P+D

4 SERVIÇOS E ASSISTÊNCIA TÉCNICA Representa o elemento crítico de vinculação Setor P&D - Empresa. A inserção sistemática do Centro na atividade cotidiana da empresa, através de um programa permanente de Asistência Técnica, constitui o veículo ideal para a aquisição de um conhecimento real e profundo dos problemas, necessidades e perspectivas da empresa, que sirvam de insumo básico para a formulação de projetos de investigação no Centro de P&D. Normalização Consultoria em Gerência da Produção e Atividades Conexas Capacitação de Recursos Humanos Inteligência Competitiva como Serviço através do acesso que tem os Centros de P&D às bases de dados. Formulação de Projetos e Solicitações de Financiamento para as PMEs

5 ANÁLISES DE RESULTADOS E DETECÇÃO DE NECESSIDADES A instituição de P&D deverá desenvolver a capacidade de processamento da informação adquirida através do exercício da assistência técnica de maneira tal que pode diagnosticar com precisão os problemas e necessidades reais da organização produtiva. Esta função deve ser complementada com os resultados da atividade prospectiva que deverá levar-se a cabo no contexto da gerência competitiva da instituição. A instituição de P&D deve adquirir o conhecimento amplo do perfil competitivo do setor, as tendências comerciais e tecnológicas do mesmo e o posicionamento específico da empresa dentro desse cenário presente e futuro. Os vazios de necessidades derivadas deste contraste darão lugar aos projetos concretos a serem abordados pelo centro de P&D.

6 Início do Projeto Objetivo do Projeto PROJETO Define-se como projeto um conjunto de atividades interdependentes dirigidas a um objetivo específico, com duração pré-determinada. Além disso, deve caraterizar-se como uma atividade não repetitiva e de recursos limitados e previamente designados para sua execução.

7 Os tipos de projetos mais usuais na atividade de Ciência e Inovação Tecnológica são: Inovação Tecnológica Desenvolvimento Tecnológico Criação Científica Formação de Recursos Humanos FORMULAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA Não é suficiente a identificação de vazios, limitações, ou problemas concretos dentro de uma organização produtiva. É necessário adquirir os conhecimentos e destrezas para a formulação de projetos de solução das deficiências com uma clara visão dos objetivos finais da ação proposta. O centro deve aprender reconhecer os valores e parámetros de avaliação da organização produtiva e desenhar o projeto de desenvolvimento em total concordância com estes. A capacidade de "venda" da idéia ao produto, é tão crítica no mercado de Serviços Tecnológicos como é em qualquer outro tipo de atividade comercial.

8 tempo Conceituação Estruturação Execução Conclusão desenvolvimento Fases do Projeto

9 V V alor de mercado de um projeto de P&D valor real dos conhecimentos, das tecnologias desenvolvidas ou por desenvolver, como resultado de sua atividade investigativa; o grau de novidade e repetitividade dos resultados do projeto; magnitude da vantagem comercial que o mesmo tem na capacidade de dar a empresa dimensão do mercado ao qual está dirigido o projeto; nível de sofisticação do processo ou do produto; exigências de investimento para sua importação industrial; nível de risco associado a investigação etc. VALORIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PROJETOS TECNOLÓGICOS

10 Tecnologia é o conjunto de conhecimentos científicos, de engenharia, gerenciais e/ ou empíricos que contribuem para a criação, produção, distribuição e comercialização de bens e serviços.

11 De acordo com o ponto de vista de alcance da tecnologia, ou seja, desde a produção até o produto final, as tecnologias podem classificar-se em: - Tecnologia de processo Esquemas tecnológicos, balanços materiais, diagramas de fluxo, descrição do equipamento. São condições, procedimentos e formas de organização necessárias para combinar insumos, recursos humanos e capital para produzir um bem ou serviço. - Tecnologia de produto Composição, configuração, propriedades ou desenho mecânico do produto. Mercado, condições de embalagem e armazenagem (temperatura, umidade, tempo de armazenagem, forma do mesmo) e condições de transporte e comercialização. São as normas, especificações, requisitos gerais de qualidade e apresentação do produto ou serviço. - Tecnologia de consumo Forma ou processo de utilização do produto. Responde a determinações do produto, hábitos, tradições e outros fatores determinados pelo usuário final.

12 O conhecimento contido em uma tecnologia vincula-se não somente com os meios materiais e os procedimentos, mas também com as formas organizacionais para sua produção, distribuição e consumo

13 Tecnologia, vista desde o ângulo de seus componentes materiais de conhecimento e de organização, pode existir como uma combinação de 4 elementos: Incorporadas em objetos (hardware) Materiais, maquinarias, produtos etc. Incorporadas em registros (software) Bases de dados, procedimentos, manuais de processos Incorporadas no homem (humanware) Conhecimentos, experiências, habilidades, criatividade Incorporadas em instituições (orgware) Estruturas e formas organizacionais, interações, experiência empresarial

14 A partir de uma perspectiva estratégica (Arthur D. Little) Tecnologia básica: é uma tecnologia chave do passado que, atualmente, está ao alcance de qualquer empresa do setor. Não constitui uma ferramenta estratégica por si mesma. Deve ter um complemento com algum ponto forte da empresa (boa localização, sistema de comercialização). Ao passar do tempo, se converte em auxiliar de outras tecnologias. Tecnologia emergente: é a tecnologia que se encontra no primeiro estado de sua aplicação na indústria, mostrando um importante potencial de desenvolvimento, acompanhado de um nível de incerteza. Pode chegar a ser a tecnologia chave, uma vez avaliada pelo mercado, razão pela qual constitui a maior estratégia competitiva de uma empresa. Tecnologia chave: esta tecnologia é a que sustenta a posição competitiva atual da empresa que a utiliza e, portanto, exerce um impacto maior na obtenção de benefícios e no acréscimo da produtividade. A tecnologia chave pode ter sido gerada pela própria empresa ou adquirida de terceiros; porém, em ambos os casos, se encontra plenamente assimilada pela empresa.

15 Crescimento Saturação Emergência Maturação Inversão Rendimento Evolução do ciclo do vida da tecnologia

16 Fase de emergência é o período de visão e desenvolvimento incipiente de uma tecnologia. Esta surge da invenção recente, não importa qual seja a fonte, e percorre uma fase de inserção na vida econômica. É um período em que, geralmente, os rendimentos técnicos desta tecnologia são menos fortes que as de outras tecnologias mais antigas. Fase de crescimento é o período mais intenso da nova tecnologia, e que é confiável o suficiente para desenvolver algumas grandes aplicações que permitam concretizar potencialidades. Denomina-se fase de crescimento pois, existe um forte crescimento dos rendimentos. Fase de maturidade é o período em que a tecnologia se estabiliza. A experiência adquirida nos campos em que se tenha implantado e desenvolvido, possibilita resolver os principais problemas que estabelecem suas aplicações e estabilizar os procedimentos de usos. Também se estabilizam os rendimentos. Fase de saturação é o período em que a técnica chega a seus limites. Isto se manifesta no plano econômico por uma diminuição progressiva dos ganhos de produtividade e crescimento dos custos.

17 Para avaliar suas probabilidades de êxito, considera-se as seguintes características das novas tecnologias : Vantagem relativa sobre as tecnologias atuais em exploração quanto a qualidade, custo e outros fatores Oportunidade, introdução no mercado no momento adequado Competitividade com os critérios, valores, experiências e expectativas Complexidade quanto ao grau de dificuldade para ser assimilada Adaptabilidade facilidade para efetuar ajustes ou trocas freqüentemente requeridas nos procedimentos estabelecidos Comprobabilidade ou grau em que uma mudança pode ser provada pelo usuário sobre uma base limitada Observabilidade ou grau em que os resultados alcançáveis pela mudança são claramente percebidos e facilmente comunicados Requerimentos de recursos de todo tipo Continuidade no desenvolvimento tecnológico anterior por meio das atividades de P & D e engenharização Possibilidade de ampliação a outras aplicações e mercados Pressões externas regulamentos nacionais e internacionais, abastecimento estável de matérias-primas, nível dos competidores Alem disso, exigem impacto social (emprego, condições de trabalho, qualidade de vida, e outras) e ambiental (grau de preservação do meio ambiente)

18 Tecnologias Predominantes Tecnologia da informação CAD/CAM Produção de robots Objetivos inteligentes Novos materiais Compostos Plásticos Biotecnologia Engenharía de fermentação Engenharía enzimática Engenharía genética Novas energías Nuclear Renovavel Poupança de energía

19 O AMBIENTE TECNOLÓGICO DA EMPRESA Ambiente genérico Ambiente específico Sócio-Culturais Econômico Tecnológicos Políticos Clientes Fornecedores Competidores Grupos reguladores Ambiente da empresa

20 Ambiente Genérico: Tendências do Ambiente Econômico Decrescente importância dos Estados Unidos Mudanças Tecnológica Crises das políticas de demanda Globalização dos negócios

21 Ambiente Genérico: Fatores Tecnológicos O componente tecnológico constitui um fator competitivo fundamental Incremento radical da velocidade de mudança tecnológica e surgimento de tecnologias mutantes de caráter sinérgico Incorporação de nova tecnologia se desenvolve tanto no novo produto, como no processo de produção e gestão Desenvolvimento crescente de novas tecnologias em função de: incremento das possibilidades do produto, desenvolvimento de novos materiais, incremento da qualidade de produto, incremento da capacidade produtiva, redução dos custos, novas formas de acesso ao consumo.

22 Fatores Tecnológicos. Ambiente genérico (continuação) Crescente importância estratégica das atividades industriais Importância da disponibilidade da tecnologia e conhecimento Incremento do tráfego da tecnologia Incremento da facilidade para aquisição da tecnologia As novas tecnologias modificam os processos produtivos e organização do trabalho Reduz o ciclo de vida dos produtos e processos

23 O AMBIENTE TECNOLÓGICO DA EMPRESA Ambiente genérico Ambiente específico Sócio-Culturais Econômico Tecnológicos Políticos Clientes Fornecedores Competidores Grupos reguladores Ambiente da empresa

24 Ambiente específico Análises estruturais do setor industrial Conjunto de forças competitivas que atuam num setor (M. Porter): Ameaça de produtos substitutivos Ameaça de novos competidores Intensidade da rivalidade entre as empresas de um setor Poder de negociação de cliente e fornecedores

25 1 - Ameaça de produtos substitutivos A capacidade de um produto para substituir a outro depende da relação que existe entre componentes, funções e preço de ambos produtos, que é variável com o tempo. Modificar a imagem do produto Reduzir custos Incrementar a qualidade, o design e os serviços Medidas para defender os produtos

26 2 - Ameaça de novos competidores Barreiras de entrada Atrativos do mercado Economias de escala Efeito experiência Controle das técnicas de produção Controle de inputs escassos Diferenciação dos produtos Necessidades de capital Restrições de caráter legal Nível de rentabilidade da empresa. Ritmo de crescimento do setor Base da competência do setor

27 3 - Intensidade da rivalidade entre as empresas das indústrias de um setor Fatores que incidem no nível de rivalidade Nível de concentração Ritmo de crescimento do setor Grau de diferenciação dos produtos Estrutura de custos Barreiras de saída

28 4 - Poder de negociação de clientes e fornecedores Os clientes pressionam para que haja uma melhoria nas funções dos produtos que adquirem e reduzir o preço de compra. Fatores que aumentam o poder de negociação de um provedor, reduzem o poder do cliente.

29

30 Incerteza e distribuição de recursos 1. Nível de Incerteza 2. Recursos Grau de substituição e concentração de Fornecedores Importância dos recursos

31 Sistemas Tecnológicos e Inovação

32 Evolução dos Sistemas Tecnológicos Um Novo Sistema Tecnológico Desenvolvimento de novas tecnologias que substituam as tecnologias já saturadas. Estabelecimento de uma nova rede de relações entre essas tecnologias. Descobrimento de novas aplicações Nova relação da ciência com a inovação Nova situação do mundo tecnológico com o meio natural e com a organização econômica

33 Outras Características do Sistema Tecnológico da 2a. Revolução Industrial Coerência do Sistema Tecnológico Relação mais forte entre a ciência e inovação Novas relações entre as tecnologias em desenvolvimento Desenvolvimento da organização do trabalho

34 Saturação das tecnologias genéricas Rendimentos decrescentes da pesquisa Diminuição da produtividade Crises da economia de escala Crises com relação ao Meio Ambiente Crises da organização

35 Estruturação do novo Sistema Tecnológico Formação de malhas tecnológicas Nova lógica de conjunto Mudanças Sociais Abstração e desmaterialização Substituição da matéria e energia pela informação Mudança de referências Mudança de espaços Mudança da polaridade

36 Relações inter-tecnológicas das novas tecnologias

37 A Inovação Tecnológica A principal missão da tecnologia consiste em fazer com que a empresa seja viável no mercado como conseqüência de permitir- lhe satisfazer, mediante uma fabricação eficaz e eficiente, os segmentos escolhidos pela demanda.

38 A competitividade desenvolvida depende de uma alta porcentagem do nível tecnológico alcançado e da velocidade da atuação do mesmo. Acervo tecnológico: desenvolvimento de atitudes tecnológicas endógenas e o estímulo da capacidade para inovar. Corrente Tecnológica: seleção e aquisição da tecnologia procedente do ambiente e sua posterior assimilação, adaptação e difusão.

39 Conceito de Inovação A inovação tecnológica é, antes de tudo, uma atitude, uma capacidade de melhora do próprio produto, mediante a adaptação dos processos existentes e a organização aos novos desenvolvimentos tecnológicos que lhes sejam de aplicação. Esta melhora pode ser direta e indireta. Direta - acrescenta novas qualidades aos produtos Indireta - reduz custos por meio de mudanças ou melhoria nos processos.

40 Demanda do mercado Elevado risco de fracassar conhecida e previsível Rápido reconhecimento Difícil reação imitativa da e aceitação do mercado concorrência Facilmente adaptável Necessidade de política as vantagens existentes de marketing no mercado Localiza-se na atual Demanda não coincide com segmentação do mercado segmentos de mercado estabelecido Produtos melhoradosProdutos inovadores

41 Fontes de oportunidades para a Inovação O inesperado O incongruente As necessidades do processo As mudanças na estrutura da indústria As mudanças demográficas O surgimento de novos conhecimentos

42 Ideias aportados pelos clientes Dois métodos: Estimular aos clientes Analisar os clientes

43 Os parâmetros econômicos da inovação Custos de P&D, produção e comercialização do produto Ingressos futuros gerados pelo novo produto Probabilidade de êxito do mercado do produto

44 Orçamentos de P&D Limitantes Superiores Limitantes inferiores Fatores econômicos Fatores não econômicos Nível mínimo para manutenção do conhecimento das mudanças tecnológicas Recursos da empresa, capacidade de pesquisa, disponibilidade financeira Benefícios da empresa, Investimento Total, Nível de vendas, Cota de mercado, Utilização da capacidade produtiva, Orçamento de P&D das empresas competidoras Quantidade de pessoas em P&D, idade dos gerentes, sistemas de comunicações

45 Êxito e fracasso das inovações Êxito Fracasso Superioridade Técnica do produto Competência em marketing Saber-fazer tecnológico Existência de crescimentos de mercado Importância do investimento Sinergia em marketing e direção Falta de coordenação entre as áreas Ausência de cultura inovadora Falta de um sistema de vigilância tecnológica Preço elevado do produto Não existência de mercado Falta de espírito inovador

46 Principais benefícios para a empresa e país a partir da inovação Empresas País aumentam o valor agregado, o emprego interno e externo e os benefícios; melhoram a competitividade industrial, a cooperação com a Universidade; reduz os níveis de importação e fortalece a coesão na organização aumentam o PIB por habitante, o emprego nacional, o número de empresas; eficácia da Universidade em suas funções docente e de pesquisa; reduz o déficit comercial

47 a) Segundo o objeto da inovação: - Pr o d u t o - P r o c e s s o - M e t o d o l o g i a b) Segundo o tipo de mercado: - E m p r e s a - C o n s u m i d o r - C l a s s e b a i x a ou a l t a c) Segundo o grau de mudança - R a d i c a l, utiliza um princípio científico novo e representa uma ruptura em relação às tecnologias anteriores. - I n c r e m e n t a l, representa uma melhora técnica relativamente pequena sem modificar a essência de uma tecnologia. d) Segundo o significado econômico - B á s i c a, representa um grande impacto econômico p/ a empresa. - M e l h o r i a, seu impacto econômico não é significativo. INOVAÇÃO

48 Etapas da Inovação Idéia Pesquisa Básica Pesquisa Aplicada Transferência de Tecnologia Desenvolvimento Produção Comercialização

49 S


Carregar ppt "Empresa Competitiva `Conhecer e satisfazer suas necessidades Comprometer toda a empresa, não só comercial Flexibilidade, resposta O cliente interno, o."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google