A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ENVELHECIMENTO PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ENVELHECIMENTO PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA."— Transcrição da apresentação:

1 ENVELHECIMENTO PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA

2 DADOS CURIOSOS NO ANO DE 2020 A POPULAÇÃO DE PESSOAS ACIMA DE 65 ANOS AUMENTARÁ 82% EXPECTATIVA DE VIDA: HAITI – 47 ANOS JAPÃO – 80 ANOS BRASIL – 57 ANOS NO BRASIL EM 1996 TÍNHAMOS 7,6 MILHÕES DE IDOSOS. ATÉ 2020 ESSE NÚMERO IRÁ AUMENTAR 16 X ENTRE 1990 E 1995 A POPULAÇÃO ACIMA DE 60 ANOS AUMENTOU 14% NO MUNDO TODO NO BRASIL, DOS 8,4 MILHÕES ACIMA DE 65 ANOS, 44% SÃO APOSENTADOS INATIVOS. MATSUDO, 2001

3 PROCESSOS DEGENERATIVOS RELACIONADOS AO ENVELHECIMENTO

4 OSTEOPOROSE

5 A osteoporose é definida como uma desordem esquelética que compromete a força dos ossos acarretando em aumento no risco de quedas. GENANT et al. 1999

6 DADOS ALARMANTES OSTEOPOROSE É O MAIOR PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA EM TODO O MUNDO EM 2020 AFETARÁ 14 MILHÕES DE ADULTOS NO MUNDO INTEIRO O SISTEMA DE SAÚDE NORTE AMERICANO GASTA, ATUALMENTE, 17 BILHÕES DE DÓLARES POR ANO EM MILHÕES DE PESSOAS IRÃO SOFRER FRATURAS ORIUNDAS DA OSTEOPOROSE LANE, 2006

7 FATORES CLÍNICOS DA OSTEOPOROSE MÉDICOS PADRÃO DE VIDA GENÉTICOSNUTRICIONAIS LANE, 2006

8 SARCOPENIA

9 PREVALÊNCIA < DE 70 ANOS % > DE 80 ANOS 50% PERDA DE 3- 6% POR DÉCADA OU 3KG DE MASSA MAGRA FATORES HORMONAIS SÃO UM DOS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS FIATARONE, 1998

10 O QUE ACONTECE COM O IDOSO EM RELAÇÃO A: FORÇA

11 A força muscular cai abruptamente após os 50 anos; A partir da septuagésima década de vida as perdas podem chegar a 50%; Idosos tem desempenho piorado em 20% a 40% dos testes de força quando comparados a indivíduos jovens; MATSUDO, 2001

12 SPIRDUSO, 1995

13 TEORIA DA MULTIFATORIEDADE PARA PERDA DE FORÇA 1)MUSCULARES; 2)NEUROLÓGICOS; 3)AMBIENTAIS SPIRDUSO, 1995

14 O QUE ACONTECE COM O IDOSO EM RELAÇÃO A: FLEXIBILIDADE ?

15 O colágeno diminui e endurece; 60% de idosos acima de 85 anos possuem alguma diminuição da amplitude articular devido a desuso; Amplitude de caminhada e da articulação do ombro foram as mais afetadas MONTEIRO, 2006

16 DIMINUIÇÃO DA FLEXIBILIDADE DIMINUIÇÃO DA ÁGUA EM TENDÕES E MÚSCULOS DOENÇAS DEGENERATIVAS IDADE BIOÓGICA

17 O QUE CONTECE COM O IDOSO EM RELAÇÃO A: CAPACIDADE AERÓBIA

18 Redução do VO 2 MÁX na ordem de 10% por ano após os 50 anos; 15 ml.kg.min -1 em idosos com 80 anos ou mais; DC MATSUDO, 2001

19 PROGRAMA DE EXERCÍCIOS PARA IDOSOS: POR ONDE COMEÇAR ?

20 ANALISAR A CAPACIDADE FUNCIONAL DO IDOSO NívelCARACTERÍSTICACAPACIDADE A SEREM ESTIMULADAS I Não executa nenhuma AVD e depende completamente de auxílio externo - INCAPACIDADE FÍSICA Força, flexibilidade e equilíbrio nas AVD II Não executa algumas ou nenhuma AVD necessitando de cuidados domiciliar ou institucional – FISICAMENTE DEPENDENTE Força, flexibilidade e equilíbrio nas AVD III Executa todas as AVD, mas somente algumas AIVD – FISICAMENTE FRÁGIL Força, flexibilidade e equilíbrio nas AVD e AIVD IV Executa todas as AVD e AIVD. Possui baixa reserva funcional e grande susceptibilidade de migrar para o nível III – FISICAMENTE INDEPENDENTE Força e endurance muscular, endurance cardiorrespiratório, flexibilidade, equilíbrio, coordenação e agilidade nas AAVD V Executa todas a AAVD e exercícios/esportes de intensidade moderada – FISICAMENTE APTO Idem IV VI Executa exercícios de alta intensidade e alto risco podendo competir em nível internacional – ELITE FÍSICA Idem IV + específico no esporte ADAPTADO DE RASO, 2007.

21 ANALISAR AS CARACTERÍSITCAS INDIVIDUAIS DO IDOSO LIMITAÇÕES FUNCIONAIS; CONTRA – INDICAÇÕES RELATIVAS; CONTRA INDICAÇÕES ABSOLUTAS RASO, 2007

22 CONTRA - INDICAÇÕES ABSOLUTAS Hipertensão descontrolada ( 160/100); Angina em repouso; Cardiomiopatia hipertrófica; hipotensão ao esforço; doenças metabólicas descontroladas CONTRA – INDICAÇÕES RELATIVAS Desordens musculo- esqueléticas, baixa capacidade ao exercício; dificuldade em seguir a prescrição de exercícios; sobrevivente recente de parada cardíaca. RASO, 2007.

23 PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO PARA O IDOSO

24 PRESCRIÇÃO DA CAPACIDADE AERÓBIA PARA IDOSOS: ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS

25 PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIOS AERÓBIOS PARA INICIANTES OBJETIVO: Promover adaptações gerais INTENSIDADE: 60% FCMáx ou escalas de percepção subjetivas de esforço VOLUME: 20 por sessão já é suficiente para o desenvolvimento da capacidade aeróbia FREQUÊNCIA SEMANAL: 2 a 3x na semana MÉTODOS: Optar por métodos contínuos extensivos ou variativos com baixa intensidade

26 PRESCRIÇÃO E EXERCÍCIOS AERÓBIOS PARA INTERMEDIÁRIOS OBJETIVO: Desenvolvimento da capacidade aeróbia INTENSIDADE: 70 a 80% FCMáx ou escalas de percepção subjetivas de esforço VOLUME: 30 a 40 por sessão já é suficiente para o desenvolvimento da capacidade aeróbia FREQUÊNCIA SEMANAL: 3 a 4x na semana MÉTODOS: Optar por métodos contínuos extensivos, intensivos ou variativos. O início do trabalho intervalado tb é aceito

27 PRESCRIÇÃO E EXERCÍCIOS AERÓBIOS PARA AVANÇADOS OBJETIVO: específicos (ex. melhora do VO 2 Máx, melhora do limiar anaeróbio) INTENSIDADE: 70 a 90% FCMáx ou escalas de percepção subjetivas de esforço VOLUME: 40 a 60 por sessão ou acima FREQUÊNCIA SEMANAL: 4 a 6x na semana MÉTODOS: todos

28 FORÇA

29 DINÂMICAESTÁTICA CONCÊNTRICAEXÊNTRICA MÁXIMAHIPERTRÓFICA WEINECK (2003); KRAEMER E FLECK (1999). EXPLOSIVARESISTÊNCIA

30 ASPECTOS A SEREM CONSIDERADOS Treinamento de força pode diminuir a sarcopenia (perda de massa muscular) e aumentar a força consideravelmente (ADAMS et al. 1999); Treinamento de força pode diminuir a sarcopenia (perda de massa muscular) e aumentar a força consideravelmente (ADAMS et al. 1999); Estudos mostram incrementos de força de até 226% em idosos com o treinamento de força (ADAMS et al. 1999) Estudos mostram incrementos de força de até 226% em idosos com o treinamento de força (ADAMS et al. 1999) Idosos com idade avançada (80 anos ou +) podem se beneficiar de um treinamento com pesos. Estudos demonstram que esse tipo de população não possui qualquer contra-indicação na prática de musculação e que treinamentos realizados com intensidades de até 80% de 1RM foram bem tolerados e obtiveram ótimas respostas nesta população (MAZZEO et al. 1998) Idosos com idade avançada (80 anos ou +) podem se beneficiar de um treinamento com pesos. Estudos demonstram que esse tipo de população não possui qualquer contra-indicação na prática de musculação e que treinamentos realizados com intensidades de até 80% de 1RM foram bem tolerados e obtiveram ótimas respostas nesta população (MAZZEO et al. 1998)

31 FLEXIBILIDADE

32 FREQUÊNCIA INTENSIDADE VOLUME MÉTODOS VARIÁVEIS DO TREINAMENTO

33 Recomendações da literatura ESTÁTICO ETNYRE & LEE (1987) BLOMFIELD & WILSON (2000) BALÍSTICO ETNYRE & LEE (1987) 30 A 60 DE REPETIÇÕES DINÂMICO ATIVO ZACHAROV (1992) REP C/ 2-3 SÉRIES FNP FLECK & KRAEMER (1999) 3 – 6 SÉRIES AUTOR DURAÇÃO DA SESSÃO (minutos) FREQUENCIA SEMANAL FOX et al (1991) HARRE (1976) -Diário ACSM (2000) - MÍNIMO DE 2-3 PLATONOV E BULATOVA (s.d.) (objetivo de ganho) (manutenção da saúde) Para aumentar: diário Manutenção: 3-4 RAPOSO (2000) 15-20Diário

34 AVALIAÇÃO DA FLEXIBILIDADE MÉTODOS DE TREINAMENTO SELEÇÃO DOS GRUPOS E EXERCÍCIOS MUSCULARES NÚMERO DE EXERCÍCIOS POR GRUPAMENTOS MUSCULARES NÚMERO DE SÉRIES POR EXERCÍCIOS NÚMERO DE REPETIÇÕES (ATIVO DINÂMICO) DURAÇÃO DO ALONGAMENTO (PASSIVO ESTÁTICO) MONTEIRO (2007


Carregar ppt "ENVELHECIMENTO PROF. DNDO. ALEXANDRE EVANGELISTA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google