A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Síndromes Coronarianas. Síndrome Coronariana F Estrutura da Artéria: - Trilaminal –Íntima: células endoteliais – camada única, capaz de manter o sangue.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Síndromes Coronarianas. Síndrome Coronariana F Estrutura da Artéria: - Trilaminal –Íntima: células endoteliais – camada única, capaz de manter o sangue."— Transcrição da apresentação:

1 Síndromes Coronarianas

2 Síndrome Coronariana F Estrutura da Artéria: - Trilaminal –Íntima: células endoteliais – camada única, capaz de manter o sangue em estado líquido. Contém moléculas que desempenham função antitrombótica. –Média: contituída por células musculares lisa –Adventícia: colágeno e tem papel na hemostasia.

3 Síndrome Coronariana F Aterosclerose F É um processo crônico e contínuo caracterizado por uma resposta inflamatória e fibroproliferativa da parede arterial mediada por lesões da superfície arterial F O processo em si, é caracterizado por acumulo de lípides e elementos fibróticos

4 Síndrome Coronariana F Aterosclerose F A lesão arterial inicial ocorre na superfície endotelial, ocasionando disfunção endotelial placa de ateroma F Tal disfunção desencadeia interações com monócitos, plaquetas, células musculares lisas e, eventualmente, linfócitos, dando início a formação da placa de ateroma

5 Síndrome Coronariana F Fisiopatologia Fissura ou rotura da superfície fibrosa da placa aterosclerótica da placa aterosclerótica Exposição do colágeno sub endotelial Liberação de Fator Tissular Ativação e Agregação Plaquetária Ativação do Sistema Intrínseco da Coagulação da Coagulação Formação de Fibrina TromboOclusivo Não Oclusivo

6 Síndrome Coronariana

7 MODIFICÁVEIS NÃO MODIFICÁVEIS Dislipidemia História familiar Sedentarismo Sexo Tabagismo Idade Hipertensão Estresse Álcool Diabetes Obesidade

8 Síndrome coronária aguda diagnóstico Síndrome Coronária Aguda com elevação do segmento STsem elevação do segmento ST angina instávelinfarto do miocárdio Qinfarto do miocárdio não Q Braunwald E. JACC, 2002

9 Síndrome Coronariana F Angina Estável F Síndrome caracterizada por sensação de dor ou desconforto precordial ou torácico. Em geral ocorre em pacientes com doença aterosclerótica obstrutiva, desencadeada ou agravada por esforço físico e emoções e aliviada com repouso e nitrato sub lingual

10 Síndrome Coronariana F Angina Instável Ocupa espaço importante entre angina estável e infarto agudo do miocárdio FISSURA DA PLACA, TROMBO OU ALTERAÇÕES DA VOSOMOTRICIDADE Pode ocorrer por diminuição da luz do vaso decorrente: FISSURA DA PLACA, TROMBO OU ALTERAÇÕES DA VOSOMOTRICIDADE

11 Síndrome Coronariana F IAM sem Supra de ST F Não ocorre necrose transmural e não há benefícios com a terapia trombolítica F Risco de arritmia aumentado

12 Síndrome Coronariana F IAM É a limitação do fluxo sangüíneo de tal magnitude e duração que leva à necrose do músculo cardíaco

13 Síndrome Coronariana

14

15

16

17 F Enzimas Cardíacas F CPK ( U/L); F CKMB ( até 16 U/L); F Troponina T e I; F Mioglobinas.

18 Síndrome Coronariana F Tratamento AAS – Dificulta o metabolismo de prostaglandinas e a síntese do tromboxano A² Dose: 100 a 325mg/dia desde o diagnóstico e continuar indefinidamente.

19 Síndrome Coronariana F Clopidogrel – inibe a ativação do complexo gliproteína (GP) IIb/IIIa dose inicial 300mg dose diária 75mg Em associação com AAS

20 Síndrome Coronariana Tirofibano – glicoproteína IIb/IIIa - dose: 0,4 µg/Kg/min 30min 0,1µ/Kg/min 48 a 72h

21 Síndrome Coronariana F Heparina não fracionada – promove a inativação da trombina e dos fatores de coagulação XI, X e IX ativados – aumento do TTPa –Dose: TTPa 60 a 85seg. Heparina baixo peso molecular : tem o sítio de ligação para a antitrombina – inativa o fator Xa - dose: 1mg/Kg SC 2x/dia

22 Síndrome Coronariana F - F Alteplase – sintetizada a partir do tPA humano –Dose: 15mg em bolus 50mg 30min 35mg 69min -Meia vida – 4 a 8 min -Alto grau de seletividade pelo coágulo - Heparina não fracionada – TTPa mg

23 Síndrome Coronariana F Tenecteplase (TNK – tPA ) – é um mutante tPA –Meia–vida plasmática longa –Dose única em bolus –Menor risco de sangramento –Heparina de baixo peso molecular

24 Síndrome Coronariana F Estreptoquinase: Streptococcus β Hemolítico –Meia-vida – aproximadamente 20min –Ativa tanto o plasminogênio ligado ao coágulo como ao circulante –Dose U – 30min a 1h.

25 Infarto Agudo do Miocárdio trombólise farmacológica Recomendação Classe I Elevação do segmento ST (> 0,1 mV, em duas ou mais derivações), dentro de 12 horas do início dos sintomas História sugestiva de IAM + bloqueio completo de ramo esquerdo, que ofusca a análise do segmento ST

26 Absolutas: Sangramento ativo Sangramento intracraniano prévio e processo expansivo cerebral Acidente vascular cerebral ou trauma de crânio (dentro de 6 meses) Alergia conhecida à droga considerada para uso Relativas: Cirurgia e sangramento gastro-intestinal recentes (<2 meses) Gravidez ou pós-parto(<1 mês) Hipertensão grave e persistente (PAd > 110 mmHg) Trauma recente (<2 semanas), incluindo PCR com fraturas de costelas Contra-indicações Grines C. ACC, 1995

27 Hemorragia maior 12,7% - 15% em estudos invasivos 0,8% - 4% em estudos não invasivos Hemorragia fatal SK - 0,04%rt-PA -0,1% Freqüência das hemorragias conforme o sítio Hematoma em punção do cateterismo25-45 Sangramento em punçãovenosa1-5 Gastro-intestinal4-10 Genito-urinário1-5 Retroperitoneal<1 Epistaxe<1 % Complicações hemorrágicas em sítio extra-craniano Infarto Agudo do Miocárdio trombólise farmacológica

28 Síndrome Coronariana F Inibidor da ECA : captopril –-redução do estresse ventricular –Remodelação miocárdica –Aumento do limiar arritmogênico

29 Síndrome Coronariana F β bloqueador : propranolol e metoprolol –Diminui FC, PA e IC –Reduz o consumo de Oxigênio

30 Síndrome Coronariana F Nitratos: - vasodilatadores arteriais e venosos - diminuem pré-carga, DC e trabalho cardíaco Nitroglicerina Mononitrato de Isossorbida Propatilnitrato

31 Diagnósticos Enfermagem NOCNIC Ansiedade relacionada à dor no peito 2º a hipóxia Medo relacionado ao futuro incerto Auto controle da ansiedade Auto controle do medo Redução da ansiedade / Técnicas de relaxamento /Controle do ambiente Melhora do enfrentamento/ Informação/ Suporte emocional Padrão de Sono Perturbado Relacionado ao ambiente Bem estar pessoalControle do ambiente Intolerância à Atividade relacionada à falta de condicionamento 2º ao medo de dor novamente Conservação da energia Promoção mecânica corporal Controle do peso


Carregar ppt "Síndromes Coronarianas. Síndrome Coronariana F Estrutura da Artéria: - Trilaminal –Íntima: células endoteliais – camada única, capaz de manter o sangue."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google