A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistemas e Sinais (LEIC) – Capítulo 10 – Transformadas de Fourier Carlos Cardeira Diapositivos para acompanhamento da bibliografia de base (Structure and.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistemas e Sinais (LEIC) – Capítulo 10 – Transformadas de Fourier Carlos Cardeira Diapositivos para acompanhamento da bibliografia de base (Structure and."— Transcrição da apresentação:

1 Sistemas e Sinais (LEIC) – Capítulo 10 – Transformadas de Fourier Carlos Cardeira Diapositivos para acompanhamento da bibliografia de base (Structure and Interpretation of Signals and Systems, Edward A. Lee and Pravin Varaiya), maioritariamente baseados na informação pública disponível em

2 Sinais e Transformadas de Fourier SinaisContínuos->CTFT (Transformada de Fourier para tempo contínuo a definir) SinaisContínuos->CTFT (Transformada de Fourier para tempo contínuo a definir) SinaisContínuosPeriodicos -> Série de Fourier (que é um sinal discreto) SinaisContínuosPeriodicos -> Série de Fourier (que é um sinal discreto) SinaisDiscretos = [Inteiros->Complexos] -> DTFT (tranformada de Fourier para tempo discreto a definir) SinaisDiscretos = [Inteiros->Complexos] -> DTFT (tranformada de Fourier para tempo discreto a definir) SinaisDiscretosPeriódicos -> Série de Fourier (que é um sinal discreto) SinaisDiscretosPeriódicos -> Série de Fourier (que é um sinal discreto)

3 CTFT O domínio do sinal x(t) é o tempo que se mede em segundos O domíno da CTFT é a frequência que se mede em rad/s

4 Sinais periódicos Já conhecíamos este resultado do desenvolvimento em série de Fourier

5 Se o período tender para infinito -2p -p 0 p 2p -2w 0 -w 0 0 w0w0 2w 0

6 Se p tender para infinito, a série de Fourier tende para a CTFT -2p -p 0 p 2p -2w 0 -w 0 0 w0w0 2w 0 -p 0 p -4w 0 -3w 0 -2w 0 -w 0 0w0w0 -2w 0 -3w 0 -4w 0

7 Se p tender para infinito, a série de Fourier tende para a CTFT Na CTFT todas as frequências estão representadas. Na CTFT todas as frequências estão representadas. Os sinais normais terão um espectro da frequência. Os sinais normais terão um espectro da frequência. Se o sinal for aproximadamente uma sinusoide, o espectro terá amplitude máxima na frequência da sinusoide. Se o sinal for aproximadamente uma sinusoide, o espectro terá amplitude máxima na frequência da sinusoide. Em torno desta frequência, a amplitude da CTFT cai. Em torno desta frequência, a amplitude da CTFT cai. Se fosse verdadeiramente uma sinousoide pura, a CTFT seria apenas um delta de Dirac nessa frequência. Se fosse verdadeiramente uma sinousoide pura, a CTFT seria apenas um delta de Dirac nessa frequência. De um modo geral, o área definida pela CTFT entre duas frequências está relacionada com a quantidade de energia do sinal nessa gama de frequências. De um modo geral, o área definida pela CTFT entre duas frequências está relacionada com a quantidade de energia do sinal nessa gama de frequências.

8 Exemplo: CTFT de uma exponencial w0

9 Exemplo: CTFT de um coseno w0-w0

10 Exemplo: CTFT de um seno w0-w0 / j)

11 CTFT de sinais reais Se o sinal é real : Se o sinal é real : Já era um resultado conhecido das séries de Fourier

12 Mudança de escala

13 Linearidade

14 Reverse …

15 Delta no domínio do tempo O delta de Dirac tem todas as frequências. Se pegarmos em todas as sinusoides do mundo (e jwt ) e as somarmos, obtemos um delta de Dirac.

16 Delta de Dirac como entrada Como o delta de Dirac representa todas as frequências, quando se excita um sistema com um delta de Dirac obtem-se toda a informação sobre o sistema uma vez que o excitámos com todas as frequências. Como o delta de Dirac representa todas as frequências, quando se excita um sistema com um delta de Dirac obtem-se toda a informação sobre o sistema uma vez que o excitámos com todas as frequências.

17 Sinais Periódicos Relação entre a transformada de Fourier e a Série de Fourier Relação entre a transformada de Fourier e a Série de Fourier p t w0w0 w 2w 0 3w 0 0-w 0

18 Exemplo

19 Exemplo Se fizermos reverse, não é necessário recalcular a Transformada, basta aplicarmos a regra y(t)=x(-t), Y(w)=X(-w)

20 Soma das duas …

21 Resposta Impulsiva e Resposta em Frequência A Resposta em Frequência é a Tranformada de Fourier da Resposta Impulsiva. A Resposta em Frequência é a Tranformada de Fourier da Resposta Impulsiva.

22 Exemplo

23 Exemplo

24 Calculando a RF

25 Factorizando …

26 TF inversa …

27 Nota Quando se resolvem equações diferenciais sabemos que somos conduzidos a uma resposta livre, a uma resposta forçada, etc. Quando se resolvem equações diferenciais sabemos que somos conduzidos a uma resposta livre, a uma resposta forçada, etc. Este método permite resolver qualquer equação diferencial desde que se saibam factorizar polinómios, decompor em fracções parciais e fazer a convolução Este método permite resolver qualquer equação diferencial desde que se saibam factorizar polinómios, decompor em fracções parciais e fazer a convolução

28 Mais simetria

29 Exemplos -a a /a x(t) X(w)=?

30 Exemplo

31 Exemplo 2 w aw= w= /a aw= 2 w= 2 /a aw= - w= - /a aw= -2 w= 2 /a w= 0

32 Exemplo >> a=10; >> w=-pi:pi/1000:pi; >> X=2*pi/a./w.*(sin(a*w)); Warning: Divide by zero. >> plot (w,X)

33 Função sinc >> % a função sinc(x) retorna (sin(pi*x))/pi*x pelo que o mesmo gráfico pode ser obtido por: >>>> plot (w,2*pi*sinc(a/pi*w))

34 Analogamente -a a /a x(t) X(w) Se considerarmos que um sistema tem como resposta impulsiva X(t) então a sua resposta em frequência seria x(w) (a menos uma simetria e um factor 2pi), pelo que um filtro passa-baixo ideal é não causal (em tempo real É impossível realizar um filtro passa-baixo ideal (sobre os dados de um ficheiro já seria possível)

35 Aproximação usando Delay -a a /a x(w) X(w) Se considerarmos atrasarmos o sinal em 3pi/4, e truncarmos o valor da resposta impulsiva para t<0, obtemos uma aproximação melhor. Mas há casos em que não se pode fazer um delay, por exemplo, sempre que há feedback.

36 Exemplo Qual a amplitude e fase ?

37 Amplitude e fase

38 Qual a equação diferencial que descreve o sistema ?

39 E a resposta impulsiva ?

40 E a resposta a um degrau ? Como era de esperar uma vez que o degrau corresponde ao integral de um impulso. Aplicando o integral da entrada obtemos o integral da saída, uma vez que o sistema é linear.

41 Exemplo simetria Cálculo de integrais que não se saberia calcular Cálculo de integrais que não se saberia calcular

42 Mais exemplos de simetria Produto de sinais Produto de sinais

43 DTFT

44 Exemplo 0 1 x(n)

45 Módulo 0 1 A DTFT tem periodicidade 2pi

46 DTFT e Série de Fourier

47 DFT

48 Exemplo 0 1 x(n) periódico 8 p

49


Carregar ppt "Sistemas e Sinais (LEIC) – Capítulo 10 – Transformadas de Fourier Carlos Cardeira Diapositivos para acompanhamento da bibliografia de base (Structure and."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google